22 maio 2017

Resenha - Coroa Cruel, Victoria Aveyard


Livro: Coroa Cruel (A rainha vermelha #0.5)
Autor(a): Victoria Aveyard
Editora: Seguinte
Páginas: 232
Adquira: Saraiva | Submarino
Duas mulheres uma vermelha e uma prateada contam sua história e revelam seus segredos. Em Canção da Rainha, você terá acesso ao diário da nobre prateada Coriane Jacos, que se torna a primeira esposa do rei Tiberias VI e dá à luz o príncipe herdeiro, Cal tudo isso enquanto luta para sobreviver em meio às intrigas da corte. Já em Cicatrizes de Aço, você terá uma visão de dentro da Guarda Escarlate a partir da perspectiva de Diana Farley, uma das líderes da rebelião vermelha, que tenta expandir o movimento para Norta e acaba encontrando Mare Barrow pelo caminho. Esta edição traz, ainda, um mapa de Norta e um trecho exclusivo de Espada de Vidro, o aguardado segundo volume da série A Rainha Vermelha.

ESSA RESENHA NÃO POSSUI SPOILER DO LIVRO ANTERIOR.
LEIA A RESENHA DE A RAINHA VERMELHA.


Quando somos fãs de uma história, qualquer informação adicional que o autor ofereça sobre aquele mundo, é devorado avidamente. Por isso digo que coroa cruel foi um presente de Victoria Aveyard para os seus fãs. O livro é composto por dois contos, também disponibilizados em ebook, que ocorrem antes dessa história e nos ajudam a entender melhor duas personagens secundárias importantes para o desenvolvimento da série. Além disso, o leitor que deveria estar desesperado com o desfecho de Rainha vermelha ganhou os quatro primeiros capítulos do livro subsequente e um mapa muito útil de Norta e seu arredores.


Coriane Jacos era uma garota inquieta, herdeira de uma família falida e de uma casa cujos poderes não pareciam relevantes para a coroa. Ela foi criada para ser uma lady, mas o que gostava mesmo era de construir coisas. Situações adversas, acabam levando-a junto com seu irmão Julian e sua prima idosa a se mudarem para a capital. A vantagem, é que agora Coriane estaria mais próxima de sua melhor amiga, Sarah Skonos. Só que ela acaba fazendo uma nova amizade que, vai mudar o rumo da dinastia: Tiberias, o príncipe herdeiro.

A mão de Cal foi citada diversas vezes em A Rainha Vermelha. Sempre sendo apresentada como uma pessoa boa e amorosa, mas que não conseguiu aguentar a pressão da sua posição e por isso, acabou se suicidando. Há um certo burburinho sobre a sua morte, então eu esperava que Canção da Rainha pudesse explicar melhor o que aconteceu, além de me permitisse conhecer melhor essa mulher tão formidável. Acabei me decepcionando com as duas coisas que vim buscar nesse conto. Descobri que Coriane era cheia de boas intenções, mas tão passiva que é como que ela não existisse. Seu relacionamento com Tibe (que estranho chamar o rei assim) foi tão insosso quanto sua passagem pelo trono. Casal ultra apaixonado? Não vi. E apesar de não restar mais dúvidas sobre seu suicídio/assassinato, faltou uma explicação mais detalhada. A história foi narrada em terceira pessoa, então havia abertura para isso. Ao invés da história de Coriane, a autora poderia ter investido em Elara Merandus. Essa sim daria um conto arrepiante de tão bom.


Diana Farley nasceu e cresceu em Lakeland, um lugar tão ruim quanto Norta para um vermelho. Com as duas monarquias travando uma batalha secular por um pedaço de terra infértil, ela viu tantas pessoas sendo arrastada para as trincheiras quanto seus vizinhos. Quando se alistou para a Guarda Escarlate, ela queria mudar o destino daquelas pessoas e agora que conseguiu sua primeira missão longe da sombra de seu superior, Farley se aproxima ainda mais de seus objetivos. A missão Teia de Aranha é objetiva: entrar nos limites de Norta e fazer aliados com grupos de alimentam o mercado clandestino, para assim formarem um extensa rede de comunicação.

A capitã Farley não é uma pessoa que inspira empatia logo de cara. Então conhecer quem ela é de verdade, é fundamental para que possamos entender suas ações. O conto narrado em primeira pessoa permite que o leitor conheça mais a fundo a estrutura da GE, e preciso dizer que me surpreendi com sua complexidade. A história começa bem antes do primeiro livro, mas era inevitável que Mare Barrow cruzasse seu caminho. Além de nos permitir encaixar melhor algumas peças do quebra cabeça, Cicatrizes de Aço também conta como Shade Barrow entrou para a GE e só isso já valeu pelo conto inteiro. Essa história sim, conseguiu acrescentou algum conteúdo a saga.


Os primeiros capítulos de Espada de Vidro não foram relevantes para mim, pois eu não li os livros na ordem de lançamento. Porém, essa deve ter sido a parte que mais interessou os leitores na época de sua publicação. A Rainha Vermelha termina de uma forma avassaladora demais. Não sei o que seria de mim se não tivesse o segundo já em mãos.

Na última página temos um mapa de Norta e suas fronteiras. Agora ele pode parecer desinteressante, mas será extremamente importante no livro seguinte. Eles ficam em um vai e vem de cidade, que só o mapa para se localizar mesmo.

Antes de iniciar a leitura da série, algumas pessoas me disseram que eu poderia começar lendo Coroa Cruel. Acabei optando por não fazer dessa forma e nem recomendo que vocês façam. Os spoilers que você vai receber são são tão significantes, mas como você ainda não conhece os personagens, não vai conseguir captar toda a mensagem das histórias. Principalmente a de Fayler.

Aos fãs da série, deixo aqui minha recomendação para que conheçam essas histórias, seja através de Coroa Cruel ou dos ebooks individuais de cada conto.

- - - - -
Postagem válida para o TOP COMENTARISTA, Participe!
Valendo um exemplar de O Sol Também é Uma Estrela.

11 comentários

  1. Olá!!!
    A mais pura verdade começar a ler tudo do começa antes de pensar em ler os seguintes no meu caso eu fico totalmente perdida mesmo se forem contos mas é sempre bom quando a estoria realmente é boa vale a pena ler tudo que lança a respeito não é mesmo?
    Até mais!!!

    ResponderExcluir
  2. DREEH!
    Tive oportunidade de ler o primeiro livro da série e adorei.
    Gostaria de ler esses contos complementares, porque é bem como falou, um presente da autora para podemos ampliar o conhecimento sobre as personagens e sobre a ambientação do enredo.
    Adoro livro com mapas.
    Que sua semana seja repleta de luz e paz!
    “A amizade, depois da sabedoria, é a mais bela dádiva feita aos homens.” (François La Rochefoucauld)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE MAIO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Imagina eu que só li o primeiro livro desta saga?
    Puxa...fiquei meio órfã quando terminei A Rainha e ainda não pude comprar os livros seguintes. E pense, como amo contos, agora me deparar com um livro assim, dividido em dois contos tão especiais?
    Preciso urgente!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Confesso que não consigo deixar de ler na ordem, principalmente quando está relacionado a algum conto, sempre quero seguir as publicações, até porque gosto dos detalhes e de ficar por dentro de tudo da série. Imagino que o final do primeiro livro e arrebatador, já que logo quis o próximo para saber o que acontecia. A cada resenha que leio fico louca para começar logo a leitura.

    ResponderExcluir
  5. Eu ainda não li Rainha Vermelha, então nem vou ler esse!
    Confesso que esse livro estava tão barato na saraiva que não tive como não compra-li.
    Então vou primeiro ler Rainha vermelha e depois leio esse!

    ResponderExcluir
  6. Ainda não li os nenhum livro da série, é muito bom quando os contos acrescentam alguma novidade ou nos da informações que nos ajudam entender melhor pena o primeiro ter deixado a desejar, já que tem tem nenhum acréscimo interessante. Agora o segundo já nos permite fatos interessantes como conhecer mais sobre a capitã Farley entre outras coisas.

    ResponderExcluir
  7. Eu adoro a capas dessa serie, são lindas, tenho eles em e-book, mas eu prefiro ler fisicos e estou tentando conseguir, se não conseguir atraves de trocas no skoob ele esta na minha lista de compras para o mes que vem. Depois de ler a sua resenha já sei que terei que ter a continuação a mão, pois não vou aguentar esperar para saber mais.

    ResponderExcluir
  8. Oi Dreeh,
    Ainda não li esses contos e nem as continuações de A Rainha Vermelha, mas já estou me programando para corrigir isso. Surtei com o final do primeiro volume e não vejo a hora de saber o que acontece.
    Apesar dos contos não serem tão empolgantes com certeza vale a pena a leitura, pois servem como complementos, e assim conhecemos um pouco mais (ou não) os personagens e também alguns detalhes da série ficam mais fáceis de entender.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    No momento não li o primeiro livro mas já vi muitas coisas positivas deles é não vejo a hora de começa a ler. Gostei desses pequenos contos, ele aborda um pouco mais sobre o primeiro livro e com certeza são bons, mesmo sendo contos pequenos.

    ResponderExcluir
  10. Olá Dreeh ;)
    Como disse na outra resenha ainda não li a série, mas estou super ansiosa.... estou só esperando ficar de férias para ler!
    Adoro quando tem esses contos, para conhecermos mais sobre os personagens!
    Obrigada pela indicação *-*
    Bjos

    ResponderExcluir
  11. Achei bem legal esses contos por dar essa dose do que esperar pra acabar com aquele desespero depois do primeiro. Quando lançaram o primeiro vi muita gente louca por mais e que adorou ter um conto pra poder se situar, ver alguns detalhes a mais e coisas assim. É bem legal por isso. Quando for ler a série vou tentar ler esses contos também.

    ResponderExcluir


Mais que Livros - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥