27 maio 2017

Lançamentos Maio/2017 - Grupo Companhia das Letras


A melodia feroz, Victoria Schwab
Monstros da Violência Vol. 1
Kate Harker e August Flynn vivem em lados opostos de uma cidade dividida entre Norte e Sul, onde a violência começou a gerar monstros de verdade. Eles são filhos dos líderes desses territórios inimigos e seus objetivos não poderiam ser mais diferentes. Kate sonha em ser tão cruel e impiedosa quanto o pai, que deixa os monstros livres e vende proteção aos humanos. August também quer ser como seu pai: um homem bondoso que defende os inocentes. O problema é que ele é um dos monstros, capaz de roubar a alma das vítimas com apenas uma nota musical. Quando Kate volta à cidade depois de um longo período, August recebe a missão de ficar de olho nela, disfarçado de um garoto comum. Não vai ser fácil para ele esconder sua verdadeira identidade, ainda mais quando uma revolução entre os monstros está prestes a eclodir, obrigando os dois a se unir para conseguir sobreviver.



A conquista, Elle Kennedy
Amores improváveis Vol. 4
De todos os jogadores de hóquei da Universidade de Briar, John Tucker se destaca por ser o mais sensato, gentil e amável. Diferente de seus amigos mulherengos, ele sonha com uma vida tranquila: esposa, filhos e, quem sabe, um negócio próprio. Mas nem mesmo o cara mais calmo do mundo estaria preparado para o turbilhão que ele está prestes a enfrentar. Sabrina James é a pessoa mais ambiciosa, dedicada e batalhadora do campus. Seu jeito sério e objetivo é interpretado por muitos como frieza, mas ela não está nem aí para sua fama de antipática. Tudo o que ela quer é passar em Harvard, tirar ótimas notas e conquistar a tão sonhada carreira como advogada. Só assim ela conseguirá escapar de seu passado difícil. Um acontecimento inesperado vai colocar a vida desses jovens de cabeça para baixo. Juntos, eles aprenderão que a vida é cheia de surpresas - e que o amor é a maior conquista de todas.



Crueldade, Scott Bergstrom
Crueldade Vol. 1
O mundo de Gwendolyn Bloom vira de cabeça para baixo quando seu pai desaparece durante uma viagem de trabalho. Ela logo descobre que ele não é o homem que, por dezessete anos, achou que fosse - e essa é só a primeira de muitas revelações que Gwendolyn terá pela frente. Sem poder contar com a ajuda de mais ninguém para encontrá-lo, a garota parte em uma jornada tão perigosa quanto alucinante, seguindo os rastros do pai pela Europa. Porém, para se infiltrar - e sobreviver - em um novo mundo cheio de maldade e perversão, ela precisará deixar toda a sua vida para trás, assumir uma nova identidade e se tornar alguém tão cruel quanto seus piores inimigos.



A zona morta, de Stephen King
Misturando suspense, terror sobrenatural e elementos de ficção científica, a trama vai manter o leitor virando as páginas compulsivamente até o fim. Depois de quatro anos e meio, John Smith acorda de um coma causado por um acidente de carro. Junto com a consciência, o que John traz do limbo onde esteve são poderes inexplicáveis. O passado, o presente, o futuro - nada está fora de alcance. O resto do mundo parece considerar seus poderes um dom, mas John está cada vez mais convencido de que são uma maldição. Basta um toque e ele vê mais sobre as pessoas do que jamais desejou. Ele não pediu por isso e, no entanto, não pode se livrar das visões. Então o que fazer quando, ao apertar a mão de um político em início de carreira, John prevê o que parece ser o fim do mundo?



 A sombra do vento, Carlos Ruiz Zafón
O Cemitério dos Livros Esquecidos Vol. 1
Nova edição do aclamado livro de Carlos Ruiz Zafón. Barcelona, 1945. Daniel Sempere acorda na noite de seu aniversário de onze anos e percebe que já não se lembra do rosto da falecida mãe. Para consolá-lo, o pai leva o menino pela primeira vez ao Cemitério dos Livros Esquecidos. É lá que Daniel descobre A sombra do vento, romance escrito por Julián Carax, que logo se torna seu autor favorito, sua obsessão. No entanto, quando começa a buscar outras obras do escritor, Daniel descobre que alguém anda destruindo sistematicamente todos os exemplares de todos os livros que Carax já publicou, e que o que tem nas mãos pode muito bem ser o último volume sobrevivente. Junto com seu amigo Fermín, Daniel percorre a cidade, adentrando as ruelas e os segredos mais obscuros de Barcelona. Anos se passam e sua investigação inocente se transforma em uma trama de mistério, magia, loucura e assassinato. E o destino de seu autor favorito de repente parece intimamente conectado ao dele.



Nossas noites, de Kent Haruf
Um romance delicado sobre amar, envelhecer e aproveitar as segundas chances que a vida nos oferece - mesmo quando parece ser tarde demais. Em Holt, no Colorado, Addie Moore faz uma visita inesperada a seu vizinho, Louis Waters. Viúvos e septuagenários, os dois lidam diariamente com noites solitárias em suas grandes casas vazias. Addie propõe a Louis que ele passe a fazer companhia a ela ao cair da tarde para ter alguém com quem conversar antes de dormir. Embora surpreso com a iniciativa, ele aceita o convite. Os vizinhos, no entanto, estranham a movimentação da rua, e não demoram a surgir boatos maldosos pela cidade. Aos poucos, os dois percebem que manter essa relação peculiar talvez não seja tão simples quanto parecia. Neste aclamado romance, Kent Haruf retrata com ternura e delicadeza o envelhecimento, as segundas chances e a emoção de redescobrir os pequenos prazeres da vida - que pode surpreender e ganhar um novo sentido mesmo quando parece ser tarde demais.



Prisioneiras, de Drauzio Varella
O trabalho de Drauzio Varella como médico voluntário em penitenciárias começou em 1989, na extinta Casa de Detenção de São Paulo, o Carandiru. Os anos de clínica e as histórias dos presos, dos funcionários e da própria cadeia seriam retratados nos aclamados livros Estação Carandiru (1999) e Carcereiros (2012). Em 2017, Drauzio encerra sua trilogia literária sobre o sistema carcerário brasileiro com Prisioneiras. Alçando as mulheres encarceradas a protagonistas, o médico rememora os últimos onze anos de atendimento na Penitenciária Feminina da Capital, que abriga mais de duas mil detentas. São histórias de mulheres que não raro entram para o crime por conta de seus parceiros - inclusive tentando levar drogas aos companheiros nas penitenciárias masculinas em dias de visita -, mas que são esquecidas quando estão atrás das grades. As famílias conseguem tolerar um encarcerado, mas não uma mãe, irmã, filha ou esposa na cadeia. No ambiente carcerário feminino, há elementos comuns às penitenciárias masculinas. Assim como no Carandiru, um código de leis não escrito rege as prisioneiras; o Primeiro Comando da Capital (PCC) está presente e mostra sua força através das mulheres que integram a facção; e a relação entre aquelas que habitam as cadeias não é menos complexa. As casas de detenção femininas, no entanto, guardam suas particularidades - diferenças às quais o médico paulistano dedica atenção especial em sua narrativa. Desde a dinâmica dos atendimentos e a escassez de visitas até os relacionamentos entre as presas, fica nítido que a realidade das prisões escapa ao imaginário de quem vive fora delas. Prisioneiras é um relato franco, sem julgamentos morais, que não perde o senso crítico em relação às mazelas da sociedade brasileira. Nesse encerramento de ciclo, Drauzio Varella reafirma seu talento de escritor do cotidiano, retratando sua experiência e a vida dessas mulheres com a mesma disposição, coragem e sensibilidade que empreendeu ao iniciar seu trabalho nas prisões há quase três décadas.

- - - - -
Postagem válida para o TOP COMENTARISTA, Participe!
Valendo um exemplar de O Sol Também é Uma Estrela.

26 maio 2017

Resenha - A História do Brasil Para Quem Tem Pressa, Marcos Costa



Livro: A História do Brasil Para Quem Tem Pressa
Autor(a): Marcos Costa
Editora: Editora Valentina
Páginas: 200
Adquira: Saraiva | Submarino
Livro cedido através da parceria com a editora
Ilustrado e didático, um livro essencial para todos que procuram um ponto de partida para se aprofundar na história do Brasil. Diz o poeta alemão Bertold Brecht: “De nada vale partir das coisas boas de sempre, mas sim das coisas novas e ruins. ” Seguindo tais conselhos, A História do Brasil para Quem Tem Pressa faz uma digressão sobre a história do país para tentar compreender o tempo presente e responder a algumas perguntas essenciais: • Por que, do ponto de vista político, o Brasil ainda é um país muito frágil? • Por que a nossa imensa riqueza natural não se reverte em um estado de bem-estar social universal? • O que estava por trás da viagem que trouxe Cabral ao Brasil? • Por que o território foi dividido em Capitanias Hereditárias? • Por que fomos a última nação do mundo ocidental a abolir de forma oficial o trabalho escravo? Além de responder a essas perguntas, Marcos Costa trata também de outros temas essenciais da nossa história: os verdadeiros milagres brasileiros -- a cana-de-açúcar, o café e o ouro; a abdicação de D. Pedro I; a Guerra do Paraguai; o papel de D. Pedro II e da Princesa Isabel no cenário da futura República; a República do Café com Leite; a Inconfidência Mineira; a Revolução de 1930; o Estado Novo; a morte de Getúlio; a ascensão de JK; Jango e o golpe militar de 1964; o milagre econômico; o movimento das Diretas Já; FHC e o Plano Real; Lula e o PT no poder.

Um livro didático e de fácil compreensão, a história do Brasil para quem tem pressa nos brinda com uma viagem literária por toda a evolução do Brasil, desde a época dos primeiros habitantes até os dias de hoje.

Nesta leitura pude perceber que os problemas que enfrentamos hoje em dia, já tem um histórico que vem desde a descoberta do Brasil. Um país tão rico e tão acolhedor, mas que em toda sua história tem sido explorado de maneira desonesta e desordenada. Com o passar do tempo ao invés de evoluirmos, estamos cada vez mais enredados nesta teia de corrupção e interesses próprios.

Com uma visão ampla e no meu ponto de vista digna, Marcos Costa consegue resumir de maneira bem explicativa e coerente essa história que é de todos nós. Particularmente encontrei dificuldades para resenhar este livro, por ser uma história que conhecemos desde o ensino fundamental e, além disso, nos trás uma visão política, tendo em conta que este assunto aborda opiniões distintas, fica um pouco difícil dissertar sobre o tema, enfim, ainda com toda essa bagagem recomendo a leitura para aqueles que gostam de história ou desejam conhecer de forma mais dinâmica os acontecimentos do nosso país.

Em relação a edição física a Editora Valentina como sempre está de parabéns, o livro possui capa dura e reproduz um pouco do que encontramos na história, as folhas são brancas, as letras possuem o tamanho ideal para um leitura agradável e não me lembro de ter encontrado erros de revisão.

Para quem busca conhecer um pouco mais da história do Brasil de forma resumida, esse livro certamente é indicado.


- - - - -
Postagem válida para o TOP COMENTARISTA, Participe!
Valendo um exemplar de O Sol Também é Uma Estrela.


25 maio 2017

Especial Harry Styles

Olá, pessoal. Espero que estejam todos bem e preparados para um dos álbuns mais esperados de 2017. Sim, Harry Styles fez seu primeiro vôo solo e as coisas não poderiam estar indo melhores. Com certeza você já ouviu falar dele mas, caso você não seja desse planeta, vamos a uma breve introdução:


24 maio 2017

Resenha - Um Instante de Felicidade, Federico Moccia


Livro: Um Instante de Felicidade
Autor(a): Federico Moccia
Editora: Planeta
Páginas: 352
Adquira: Saraiva | Americanas | Livraria da Folha
Livro cedido através da parceria com a editora
O italiano Nicco enfrenta a passagem da adolescência para a vida adulta com muito mais sofrimento que seus amigos. Sua namorada terminou tudo com ele com um "sinto muito", sem dar nenhuma explicação, e seu pai acabou de morrer. Como o "homem da casa", ele precisa cuidar da mãe, que se entrega à tristeza pela morte do marido, e das duas irmãs que não conseguem se acertar com seus respectivos companheiros. Para dar conta de tudo, ele se divide entre dois empregos. Em meio a esse turbilhão de emoções e acontecimentos, Nicco conhece uma encantadora turista americana nas ruas de Roma e percebe que a vida é curta demais para ser desperdiçada com lamentos sobre o passado. Com a bela Ann, ele embarca numa aventura romântico-gastronômica pela Itália e redescobre seu norte com instantes de felicidade.


Um instante de felicidade narra a história do italiano Nicco, um jovem que está enfrentando um momento difícil. Após perder o pai de forma inesperada, nosso protagonista precisa assumir as rédeas da família e cuidar da mãe que se trancou em uma tristeza sem fim, além de lidar com as irmãs Valéria e Fabíola que sempre se metem em encrenca e esperam que o irmão concerte suas burradas.

Como se não bastasse tudo o que vem acontecendo na vida do rapaz, Nicco ainda é surpreendido com o término do namoro de um ano com Alessia, que o deixa sem qualquer explicação, alegando apenas sentir muito. A partir daí começamos a acompanhar o desenvolvimento da história de Nicco e seu dia a dia para dar conta dos problemas familiares, do emprego na banca de jornal da família na parte da manhã e na imobiliária dos Bandini a tarde e de um coração partido.

Nossa vida é feita de um contínuo equilíbrio muito tênue, e todas as vezes que a gente pensa tê-lo encontrado acontece alguma coisa e ficamos novamente desequilibrados, caímos pra frente e pra trás e procuramos, com todas as forças, reencontrá-lo.

Embora a vida de Nicco não esteja no seu melhor momento, ele ainda encontra um pouco de diversão ao lado do melhor amigo Ciccio, um jovem aventureiro que possui duas namoradas e ainda sai com uma terceira mulher, tudo isso de forma planejada para que elas pensem ser únicas na vida dele. Ciccio é o típico cara que procura apenas diversão e foge de relacionamentos sérios.

No decorrer da trama vamos aos pouco nos aprofundando mais nos problemas familiares de Nicco, na importância de seu pai para a família, e também acompanhamos lembranças do rapaz ao lado da ex-namorada. Esses flashbacks foram interessantes para a construção do personagem e sua história, mas o autor focava tanto em detalhes a cada lembrança que por vezes senti que a leitura ficou maçante, acredito que se enxugasse um pouco mais, com certeza teríamos uma história mais fluída.

Entre os questionamentos sobre o término repentino de seu namoro e as aventuras vividas ao lado de Ciccio, Nicco conhece duas americanas, entre elas Ann, que está visitando a cidade de Roma e não consegue entender nenhuma palavra de seu idioma. Apesar da comunicação ser bem complicada, Nicco e o amigo se disponibilizam a serem os guias turísticos das jovens, lado a lado eles passarão por diversos pontos da Itália e viverão verdadeiros instantes de felicidade.

Por que estamos sempre à procura do futuro? Por que não somos capazes de viver o presente? Meu pai sempre dizia: “Todos começam as coisas às segundas-feiras, todos esperam que um dia algo aconteça, todos frequentemente dizem ‘de amanhã em diante...’. E, no entanto, se perdem no hoje!”.

Com seu texto e personagens bem construídos, Federico Moccia encanta o leitor com uma narrativa leve e encantadora. A história é desenvolvida no doce cenário de Roma e nos permite desfrutar de experiências incríveis pelas ruas de Florença, Veneza e Nápoles através dos olhos de Nicco. Minha única dificuldade nesse livro foi acompanhar as longas reflexões do protagonista que divagava bastante, algo que tornou a leitura por vezes cansativa.

Em relação à edição física, a Editora Planeta está de parabéns! A capa é linda, porém remeteu a mais romance do que encontramos nessa trama. As folhas são amareladas, as letras em tamanho confortável para leitura e não me lembro de ter encontrado qualquer erro de revisão.

Mesmo com as ressalvas, Um instante de felicidade é um livro que te faz refletir e perceber a importância de se permitir ser feliz em cada instante que a vida lhe trouxer algo novo. Indico o livro para os fãs do autor ou para aqueles que desejam conhecer sua escrita.


- - - - -
Postagem válida para o TOP COMENTARISTA, Participe!
Valendo um exemplar de O Sol Também é Uma Estrela.

23 maio 2017

Resenha - Cujo, Stephen King



Livro: Cujo
Autor(a): Stephen King
Editora: Suma de Letras
Páginas: 376
Adquira: Saraiva | Livraria da Cultura | Buscapé
Livro cedido através da parceria com a editora

Frank Dodd está morto e a cidade de Castle Rock pode ficar em paz novamente. O serial-killer que aterrorizou o local por anos agora é apenas uma lenda urbana, usada para assustar criancinhas. Exceto para Tad Trenton, para quem Dodd é tudo, menos uma lenda. O espírito do assassino o observa da porta entreaberta do closet, todas as noites. Você pode me sentir mais perto… cada vez mais perto. Nos limites da cidade, Cujo – um são Bernardo de noventa quilos, que pertence à família Camber – se distrai perseguindo um coelho para dentro de um buraco, onde é mordido por um morcego raivoso. A transformação de Cujo, como ele incorpora o pior pesado de Tad Trenton e de sua mãe e como destrói a vida de todos a sua volta é o que faz deste um dos livros mais assustadores e emocionantes de Stephen King.


22 maio 2017

Resenha - Coroa Cruel, Victoria Aveyard


Livro: Coroa Cruel (A rainha vermelha #0.5)
Autor(a): Victoria Aveyard
Editora: Seguinte
Páginas: 232
Adquira: Saraiva | Submarino
Duas mulheres uma vermelha e uma prateada contam sua história e revelam seus segredos. Em Canção da Rainha, você terá acesso ao diário da nobre prateada Coriane Jacos, que se torna a primeira esposa do rei Tiberias VI e dá à luz o príncipe herdeiro, Cal tudo isso enquanto luta para sobreviver em meio às intrigas da corte. Já em Cicatrizes de Aço, você terá uma visão de dentro da Guarda Escarlate a partir da perspectiva de Diana Farley, uma das líderes da rebelião vermelha, que tenta expandir o movimento para Norta e acaba encontrando Mare Barrow pelo caminho. Esta edição traz, ainda, um mapa de Norta e um trecho exclusivo de Espada de Vidro, o aguardado segundo volume da série A Rainha Vermelha.

ESSA RESENHA NÃO POSSUI SPOILER DO LIVRO ANTERIOR.
LEIA A RESENHA DE A RAINHA VERMELHA.


Quando somos fãs de uma história, qualquer informação adicional que o autor ofereça sobre aquele mundo, é devorado avidamente. Por isso digo que coroa cruel foi um presente de Victoria Aveyard para os seus fãs. O livro é composto por dois contos, também disponibilizados em ebook, que ocorrem antes dessa história e nos ajudam a entender melhor duas personagens secundárias importantes para o desenvolvimento da série. Além disso, o leitor que deveria estar desesperado com o desfecho de Rainha vermelha ganhou os quatro primeiros capítulos do livro subsequente e um mapa muito útil de Norta e seu arredores.

20 maio 2017

Resenha - A Rainha Vermelha, Victoria Aveyard


Livro: A rainha vermelha (#1)
Autor(a): Victoria Aveyard
Editora: Seguinte
Páginas: 424
Adquira: Saraiva Submarino
Uma sociedade definida pelo sangue. Um jogo definido pelo poder. O mundo de Mare Barrow é dividido pelo sangue: vermelho ou prateado. Mare e sua família são vermelhos: plebeus, humildes, destinados a servir uma elite prateada cujos poderes sobrenaturais os tornam quase deuses. Mare rouba o que pode para ajudar sua família a sobreviver e não tem esperanças de escapar do vilarejo miserável onde mora. Entretanto, numa reviravolta do destino, ela consegue um emprego no palácio real, onde, em frente ao rei e a toda a nobreza, descobre que tem um poder misterioso… Mas como isso seria possível, se seu sangue é vermelho? Em meio às intrigas dos nobres prateados, as ações da garota vão desencadear uma dança violenta e fatal, que colocará príncipe contra príncipe — e Mare contra seu próprio coração.


O mundo atual é dividido em monarquias, onde a cor do sangue define a posição de um indivíduo na sociedade. Os prateados, com seus poderes especiais, estão no topo da pirâmide, ocupando todas as posições de comando e vivendo no luxo proporcionado por seus criados. Os vermelhos são pessoas comuns, que trabalham até o esgotamento para manter o conforto dos superiores, enquanto suas próprias famílias apenas sobrevivem.


Mais que Livros - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥