23 maio 2016

Resenha - Baía da Esperança, Jojo Moyes


Livro: Baía da Esperança
Autor(a): Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Páginas: 301
Adquira: Saraiva | Submarino | FNAC | Travessa | Americanas | Livraria Cultura
Livro cedido através da parceria com a editora
​Liza nunca conseguiu fugir do passado. Mas nas praias paradisíacas da encantadora comunidade de Silver Bay ela ao menos encontrou a liberdade e a segurança que procurava se não para ela, para sua filha pequena, Hannah, até que Mike Dormer se hospeda no hotel que Liza administra com a tia. Um perfeito cavalheiro inglês, com roupas elegantes e olhar sério, Mike pode significar o fim de tudo que Liza trabalhou arduamente para proteger: não apenas o negócio da família e o lugar que tanto gosta, mas principalmente a convicção de que ela nunca amaria nem seria digna de amor outra vez.


Kathleen morou na pequena Silver Bay durante toda a sua vida. Na adolescência acabou entrando para o Guinness Book ao capturar o maior tubarão em pesca esportiva, o que acabou colocando a cidade nas rotas turísticas. Todo o tipo de pessoas chegou a cidade: pescadores dispostos a quebrar seu recorde, famílias querendo aproveitar as belezas da baia e baleeiros, muitos deles. A movimentação quase esgotou os recursos naturais da região, mas tantos anos depois, tudo esta de volta a calmaria. Essa calmaria foi o que motivou Lise a permanecer na região. Cinco anos antes, quando bateu na porta da pousada dirigida pela tia com uma mala e sua filha Hannah a tira colo, ela estava destroçada. Lise sabia que havia feito uma coisa terrível e, mesmo que não houvesse a intenção de causar qualquer mal, precisaria aguentar a culpa pelo resto se sua vida.

Aos poucos Lise voltou a se reconectar com a vida, até porque, sua filha sofreu tanto quanto ela e precisava da mãe mais do que nunca. Porém muito de sua recuperação aconteceu graças às baleias que passavam na região no período migratório. Elas criaram um laço que ninguém conseguia explicar.

E é isso que amo nelas: apensar do poder, da força muscular, da aparência assustadora, as baleias são um das criaturas mais benignas de todas.

A cidade ainda vivia do turismo, principalmente da observação dos golfinhos. O que recebia com as saídas de observação somado os lucros da pousada que administrava com a tia não era muito, mas garantia que elas vivessem com relativa segurança.

Os golfinhos, cinzentos e silenciosos, descreviam arcos pela água, circundando o barco como se eles mesmo fossem os turistas. Toda vez que um rompia a superfície, só se ouvia o som das máquinas fotográficas disparando. O que os golfinhos pensariam de nós, observando-os de boca aberta?

Mike é um prodígio do setor de investimento imobiliário londrino. Se sua missão era convencer um grupo de investidores a apostar seu dinheiro em um barco furado, ele conseguiria. Recém promovido a sócio da imobiliária de seu futuro sogro, ele foi enviado as presas para Silver Bay com a missão de conhecer tudo sobre o lugar onde eles construiriam um Resort de Luxo. Além disso, era necessário conversar com as pessoas certas para garantir todas as liberações necessárias para o início das obras. Porém Mike não fazia ideia do quanto seu projeto seria prejudicial para a cidade e nem imaginou que esse fato pudesse vir a incomodá-lo.

Baía da Esperança não foi um livro que me conquistou nas primeiras páginas, mas não posso negar que o finalizei com o coração cheio de amor. Esse é um livro antigo da autora e pude perceber o quanto ela vem evoluindo sua escrita. Jojo Moyes possui uma característica muito marcante e que se faz presente em vários de seus livro: a quantidade de vozes ativas em uma mesma história. Isso quando ela não mistura a narrativa no presente e no passado. Não é uma reclamação, eu adoro quando acontece, mas não dá pra negar que tornam o início da leitura menos fluida.

Além dos já citados, outros dois personagens ganham voz, entre eles Hannah que foi a minha personagem favorita. Essas garotinhas que saem da mente da Jojo são puro amor! Ela é inocente e ao mesmo tempo muito esperta. Seu sonho é ganhar um barquinho para passear na baía com suas amigas. As cenas em que ela confrontar a mãe por conta da sua super proteção são de partir o coração, principalmente quando descobrimos o motivo.

O passado de Lise e Hannah é o grande mistério da história e é guardado a sete chaves. O legal foi que não ficou aquela impressão de que a autora estava enrolando, outros acontecimentos mantém presa a atenção do leitor. Sei de pode parecer que contei tudo de importante que aparece no livro, mas não passei nem perto. A infinidade de personagens trás consigo muitas histórias paralelas e cada um tem uma tem sua mensagem.

Observe o mar por tempo suficiente, seus humores e suas exaltações, suas belezas e seus terrores, e você terá todas as histórias de que precisa, de amor e perigo e daquilo que a vida nos traz em suas redes. E do fato de que às vezes não somos nós que estamos no leme, e não podemos fazer mais do que confiar em que tudo vai dar certo.

Essa história é muito fofa sim, mas a capa bonitinha esconde assuntos importantes para serem discutido como família, relacionamento abusivo e o relativismo sobre o que é certo e errado. Vale a pena encarar essa leitura.

22 maio 2016

Lançamento Maio/2016 - Grupo Autêntica


A Bela e o Ferreiro, Tessa Dare
Spindle Cove Vol. 3,5
Diana Highwood estava destinada a ter um casamento perfeito, digno de flores, seda, ouro e, no mínimo, com um duque ou um marquês. Isso era o que sua mãe, a Sra. Highwood, declarava, planejando toda a vida da filha com base na certeza de que ela conquistaria o coração de um nobre. Entretanto, o amor encontra Diana no local mais inesperado. Não nos bailes de debute em Londres, ou em carruagens, castelos e vales verdejantes… O homem por quem ela se apaixona é forte como ferro, belo como ouro e quente como brasa. E está em uma ferraria… Envolvida em uma paixão proibida, a doce e frágil Diana está disposta a abandonar todas as suas chances de um casamento aristocrático para viver esse grande amor com Aaron Dawes e, finalmente, ter uma vida livre! Livre para fazer suas próprias escolhas e parar de viver sob a sombra dos desejos de sua mãe. Há, enfim, uma fagulha de esperança para uma vida plena e feliz. Mas serão um pobre ferreiro e sua forja o “felizes para sempre” de uma mulher que poderia ter qualquer coisa? Será que ambos estarão dispostos a arriscar tudo pelo amor e o desejo?



O Livro do Bem 2, Ariane Freitas e Jessica Grecco
Esse é um livro cheio de aventuras, mas com aquele toque de amor e motivação para realizar os sonhos, porque a gente sabe que às vezes faz falta um empurrãozinho no meio da luta diária. Além de explorar o que você sente, convidamos você a sair da zona de conforto e observar o mundo à sua volta, seja viajando, seja conhecendo sua cidade, seja tomando coragem para conhecer as pessoas e as coisas que estão por perto e que você nem sempre nota. Este é um livro sobre viagens – dentro e fora do seu coração. É um mapa para as coisas pequenas e especiais da vida. Cada minuto que você dedicar a ele tornará sua visão de mundo ainda mais ampla e especial. Mas ele só vai te mostrar os caminhos se você topar embarcar nesta loucura, fazendo-o seu de verdade. Com frases e reflexões, ilustrações fofinhas, fotos e tarefas que fazem a gente sentir vontade de largar tudo e ir viajar na hora, além de playlists para embalar os dias… E aquela carinha de diário que ajuda tanto na hora de abraçá-lo e fazer as atividades como se fosse seu melhor amigo. Nunca se esqueça de coloca-lo na bolsa! E fica aqui um convite: fotografe e publique tudo o que você fizer no seu Livro do Bem nas redes sociais com tag #livrodobem. Porque o que é do bem merece ser compartilhado.







Uma morte horrível, Pénélope Bagieu
Zoé trabalha em excesso e ainda precisa suportar o namorado desempregado e grosseiro. Até que cruza o caminho de Thomas, um escritor de sucesso à procura de inspiração. Nada intelectual, ela não sabe diferenciar Balzac de Batman, mas vai ter que ficar esperta… porque Thomas esconde um segredo que coloca Zoé no meio do que pode se tornar o escândalo literário do século. De uma das quadrinistas mais conhecidas da França, Uma morte horrível é uma história de amor e ambição com uma heroína inesquecível.








O chamado do oceano, Nancy Osa
Os guardiões do mundo da superfície Vol. 4
O perigo ronda mais uma vez! Os recursos marinhos do Mundo da Superfície estão sendo drenados, ao mesmo tempo em que relíquias antigas e tesouros são roubados do grande museu da capital… E ninguém sabe o motivo. Esse é o início de uma nova aventura para o Capitão Rob e os soldados do batalhão Zero, uma história que coloca nossos heróis contra o maior desafio de suas vidas.



Exílio no Rio, Mário de Andrade
“Naquele brando inverno carioca de 1938, Mário de Andrade dava os primeiros passos de uma vida nova. Tinha anunciado à família que saía de férias, mas era mudança mesmo. Precisava fugir de São Paulo custasse o que custasse, embora com o sacrifício de arrostar pela primeira vez, já quase aos 45 anos, o afastamento do convívio materno que o aconchegava.
Ir ao Rio de Janeiro ia sempre, com alvoroço de menino. Achava maravilhosa a natureza; a gente o surpreendia e encantava. Cidade enfeada pela miséria, mas rica de humanidade, amava-a à distância, de amor platônico, feito de furtivos contatos. Numa de suas breves temporadas, assistiu ao carnaval carioca. A festa popular inspirou um poema em que botava pra fora sua “frieza de paulista”, seus “policiamentos interiores”. No Rio, convivia alegre com amigos escritores e artistas, entrava pela noite em discussões, lia e ouvia poemas nascidos de uma nova estética da qual ele, já conhecido como o “papa do Modernismo”, era pioneiro. Quem sabe, pensava, não poderia morar lá?Desta vez trazia uma mágoa muito funda, causada pelo naufrágio de um projeto a que se dedicara todo durante três anos, à frente do Departamento de Cultura da Municipalidade de São Paulo. E essa amargura foi o elemento aglutinador de dores esparsas do corpo e da alma, sorrateiramente acumuladas. Até então costumava dizer, descuidado: ‘Eu sou feliz!’. Mas de repente acontecera aquele grande dissabor, que o punha desarvorado diante das armadilhas do destino. Tinha ideia formada: considerava o destino uma conquista, realização perfeitamente controlada de “tendências pessoais”, e não trama inelutável dos fatos. Agora, desmoronada essa certeza, tudo ficava muito confuso. O jeito foi a fuga, o exílio no Rio.”

- - - - -
Postagem válida para o TOP COMENTARISTA, Participe!
Valendo um exemplar de Dez coisas que aprendi sobre o amor.

21 maio 2016

Lançamento Maio/2016 - Editora Valentina


Ônix, Jennifer L. Armentrout
Série Saga Lux Vol. 2
Estar conectada a ele é uma droga! Graças ao seu abracadabra alienígena, Daemon está determinado a provar que o que sente por mim é mais do que um efeito colateral da nossa bizarra conexão. Em vista disso, fui obrigada a dar um “chega pra lá” nele, ainda que ultimamente nossa relação esteja... esquentando. Algo pior do que os Arum ronda a cidade. O Departamento de Defesa está aqui. Se eles descobrirem o que o Daemon pode fazer e que nós estamos conectados, vou me ferrar. Ele também. Além disso, tem um garoto novo na escola que, tal como a gente, guarda um segredo. Ele sabe o que aconteceu comigo e pode ajudar, mas, para fazer isso, preciso mentir para o Daemon e ficar longe dele. Como se isso fosse possível! Até que, de repente, tudo muda. Vi alguém que não deveria estar vivo. E tenho que contar ao Daemon, mesmo sabendo que ele não vai parar de investigar até descobrir toda a verdade. Ninguém é o que parece ser. E nem todo mundo irá sobreviver às mentiras.



Delícia, delícia, Donna Kauffman
Quando a extraordinária confeiteira Leilani Trusdale trocou a agitação de Nova York pela pacata e doce Ilha de Sugarberry, não esperava que seu passado a seguisse. Seu antigo chefe, Baxter Dunne, também conhecido como Chef Hot Cakes, o homem que ensinou a ela que o creme compensa, reaparece desejando filmar seu famoso programa de culinária. O problema é que ele escolheu filmar na Cakes by The Cup, a minúscula e aconchegante confeitaria de Leilani. Com seu olhar de brigadeiro de colher e aquele irresistível sotaque britânico -- que faz a moça babar e seu rosto corar como calda de cereja --, ele fez as fofocas de cozinha rolarem soltas. Lani, lá no fundo, só deseja que algumas sejam deliciosamente verdadeiras... Os amigos estão convencidos de que o ex-chefe é o ingrediente que falta para a definitiva receita de felicidade dela. Porém, Baxter terá que botar a mão na massa se quiser tirar do forno um grande, verdadeiro, quentinho e saboroso amor. No Clube do Cupcake, cozinhar é apenas um detalhe. Entre altos papos e doces lambidas, amizades crescem como pão quentinho e a vida vai ficando, hummmm, mais saborosa. Mas quando é preciso decidir entre a vida que você sempre sonhou e o amor da sua vida, só as melhores amigas, as melhores receitas e uma caixa cheia de Red Velvets podem ajudar. É hora de praticar boloterapia!!!



Quando finalmente voltará a ser como nunca foi, Joachim Meyerhoff
Isso é normal? Crescer entre centenas de pessoas com deficiência física e mental, como o filho mais novo do diretor de um hospital psiquiátrico para crianças e jovens? Nosso pequeno herói não conhece outra realidade - e até gosta muito da que conhece. O pai dirige uma instituição com mais de 1.200 pacientes, ausenta-se dentro da própria casa quando se senta em sua poltrona para ler. A mãe organiza o dia a dia, mas se queixa de seu papel. Os irmãos se dedicam com afinco a seus hobbies, mas para ele só reservam maldades. E ele próprio tem dificuldade com as letras e sempre é tomado por uma grande ira. Sente-se feliz quando cavalga pelo terreno da instituição sobre os ombros de um interno gigantesco, tocador de sinos. Joachim Meyerhoff narra com afeto e graça a vida de uma família extraordinária em um lugar igualmente extraordinário. E a de um pai que, na teoria, é brilhante, mas falha na prática. Afinal, quem mais conseguiria, depois de se propor a intensificar a prática de exercícios físicos ao completar 40 anos, distender um ligamento e nunca mais tornar a calçar o caro par de tênis? Ou então, em meio à calmaria, ver-se em perigo no mar e ainda por cima derrubar o filho na água? O núcleo incandescente do romance é composto pela morte, pela perda do que já não pode ser recuperado, pela saudade que fica - e pela lembrança que, por sorte, produz histórias inconcebivelmente plenas, vivas e engraçadas.



Por um triz, André Ilha
A escalada, incluídas todas as suas modalidades, é de longe o esporte que rendeu o maior número de livros em todo o mundo. Contam-se aos milhares os relatos publicados de viagens, expedições e escaladas avulsas, e há até prêmios específicos para este florescente gênero literário. No Brasil, a produção é ainda bem modesta, e quase toda centrada em expedições ao Everest ou a algumas poucas outras grandes montanhas geladas no exterior. Por um triz, no entanto, reúne uma impressionante coletânea de histórias vividas por um dos mais experientes escaladores do país nas suas montanhas domésticas, com belezas e dificuldades próprias que em nada ficam devendo, em termos de emoção, às vividas pelos escaladores de maciços rochosos mais famosos, embora sejam certamente diferentes em muitos aspectos. Assim, os relatos das famosas ascensões invernais aqui se veem substituídos por escaladas sob um calor debilitante, e a travessia de paredes instáveis de gelo e neve dá lugar a passagens igualmente precárias em vegetação. E há ainda, no caso do Rio de Janeiro, o maior centro de escaladas urbanas do mundo, situações tensas típicas (e, às vezes, bizarras) decorrentes de encontros na mata ou no acesso a elas com bandos de traficantes ou outros tipos portando uma arma em suas mãos. É um livro, portanto, que deve agradar tanto a praticantes dedicados, que se identificarão com as situações nele descritas, quanto a leigos, que terão a chance de conhecer as peculiaridades de um esporte fascinante, que cresceu muito no Brasil nas últimas duas décadas.

- - - - -
Postagem válida para o TOP COMENTARISTA, Participe!
Valendo um exemplar de Dez coisas que aprendi sobre o amor.

20 maio 2016

Promoção 4 Anos - Leitora Sempre

Hey gente, hoje o blog Leitora Sempre está completando quatro anos e o presente é sempre dos leitores né! Como se já não fosse lindo participar da comemoração de um blog amigo, ainda é sorteio de romance de época *-*. Se joga ai meu povo!

19 maio 2016

Especial X-Men: Apocalypse

E aí, pessoal. Hoje estreia uma das sequencias mais aguardadas do cinema. Sim, estamos falando dos mutantes dos X-Men que, desta vez, têm a missão de encarar o mutante mais antigo, o Apocalipse.


Sinopse: Desde o início da civilização, ele é adorado como um deus. Apocalypse (Oscar Isaac), o primeiro e mais poderoso mutante do universo, acumulou os poderes de muitos outros mutantes, tornando-se imortal e invencível. Ao acordar depois de milhares de anos, ele está desiludido com o mundo em que se encontra e recruta uma equipe de mutantes poderosos, incluindo um Magneto (Michael Fassbender) desanimado, para purificar a humanidade e criar uma nova ordem mundial, a qual ele reinará. Como o destino da Terra está por um fio, Mística (Jennifer Lawrence), com a ajuda do Professor X (James McAvoy), deverá levar uma equipe de jovens X-Men para conter o seu maior inimigo e salvar a humanidade da completa destruição.

18 maio 2016

Clicando por aê - Encontro das Raposinhas do RJ

Olá pessoal, tudo bem com vocês? Espero que sim!
Hoje tenho o prazer de compartilhar as fotos do terceiro encontro das Raposinhas do Rio de Janeiro que aconteceu em Paquetá no dia 17 de abril. Para quem ainda não conhece o grupo, irei fazer um breve resumo nesse post para que entendam um pouquinho sobre essa matilha que vem sendo minha paixão nos últimos meses.


17 maio 2016

Resenha - Orgulho e Preconceito, Jane Austin (Ian Edginton e Robert Deas)


Livro: Orgulho e Preconceito
Autor(a): Jane Austin (Ian Edginton e Robert Deas)
Editora: Nemo
Páginas: 144
Adquira: Saraiva | Submarino | Travessa | Americanas | Livraria da Folha
Livro cedido através da parceria com a editora
Elizabeth e suas quatro irmãs estão impossibilitadas de herdar a propriedade de seu velho pai e enfrentam a ameaça do despejo. As irmãs devem garantir sua segurança financeira por meio do casamento, mas nossa heroína tem outros planos. Ela fez votos de se casar somente por amor. Seu olhar acaba capturado pelo distinto Sr. Darcy, mas quem irá salvar os Bennets? Elizabeth deve se casar por amor ou deve salvar sua família? Uma adaptação fiel e primorosa do clássico romance de Jane Austen para os quadrinhos.

Grandes clássicos costumam ser sinônimo de uma boa historia, por isso é comum vê-los adaptados de mil maneiras e com Orgulho e Preconceito não seria diferente. Existem filmes, séries de televisão, releituras e recentemente a Editora Nemo publicou essa HQ, ilustrada por Ian Edginton e Robert Deas.


Mais que Livros - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥