23 outubro 2021

Nos cinemas - Duna


Filme: Duna
Diretor(a): Denis Villeneuve
Distribuidora: Warner Bros. Picture
Duração: 2h36mim
Lançamento: 21 de outubro de 2021
Classificação: 14 anos
Arthur (Charlie Hunnam) é um jovem das ruas que controla os becos de Londonium e desconhece sua predestinação até o momento em que entra em contato pela primeira vez com a Excalibur. Desafiado pela espada, ele precisa tomar difíceis decisões, enfrentar seus demônios e aprender a dominar o poder que possui para conseguir, enfim, unir seu povo e partir para a luta contra o tirano Vortigern, que destruiu sua família.






DUNA | DISTOPIA, AÇÃO E MISTÉRIO MARCAM UM DOS FILMES MAIS AGUARDADOS DO ANO

Duna é uma distopia futurista que mescla vários elementos em sua narrativa. O filme é baseado em um livro de mesmo nome, do autor Frank Herbert. Confira a seguir o que esperar da produção, bem como um breve resumo desta que é a primeira parte da história (sem spoiler) e a nossa crítica.

 

Sobre a trama de “Duna”

O cerne da trama começa quando o Duque Leto Atreides (Oscar Isaac) e sua família saem de Caladan para comandar as terras de Arrakis, um planeta também conhecido como Duna, no qual é produzida a substância mais valiosa do mundo, uma especiaria chamada “Melange”.

20 outubro 2021

Resenha - O fazendeiro, o pistoleiro e o demônio, Gustavo Quadros



Livro: O fazendeiro, o pistoleiro e o demônio
Autor(a): Gustavo Quadros
Editora: Lura Editorial
Páginas: 211
Adquira: Amazon


Uma emboscada, ouro roubado, um homem baleado levado pela correnteza de um rio. Os irmãos Márquez não poderiam imaginar que suas vidas estavam prestes a mudar para sempre quando resgataram o sobrevivente e o levaram para sua fazenda. O xerife Thomas Holt tinha uma terrível história para contar e uma perigosa proposta para fazer. Dez anos depois, os ecos daquele dia perpetuam no Texas. O pistoleiro busca vingança, cobrando dos culpados pelos horrores do passado suas dívidas de sangue. Tiroteios, perseguições, o homem civilizado combatendo a selvageria em si mesmo. Um western nos moldes clássicos, para os saudosistas do gênero e para os iniciantes nas histórias do oeste selvagem


Quando os irmãos Márques resgataram o xerife Thomas Holt, de longe imaginaram que a decisão mudaria para sempre o curso de suas vidas. Thomas era o único sobrevivente de seu comboio que foi atacado por um grupo de criminosos enquanto transportava ouro. Salvo pelos fazendeiros locais, o xerife decide treina-los para ajuda-lo em uma missão perigosa, mas tentadora. Dez anos depois, encontramos um pistoleiro e sua sede de vingança.

Narrado em terceira pessoa, a trama se desenvolve nos anos de 1870 e 1880, entregando ao leitor pouco a pouco todas as peças importantes para compreendermos os dilemas que movem o desejo de vingança do pistoleiro.

Resenha - Na mesa do lobo, Rosella Postorino



Livro: Na mesa do lobo
Autor(a): Rosella Postorino
Editora: Planeta
Páginas: 272
Adquira: Amazon
Livro cedido através da parceria com a editora

Best-seller internacional, inspirado na história de Margot Wölk e de outras mulheres obrigadas a provarem a comida antes que os grandes oficiais nazistas (e o próprio Hitler) a comessem “Chamavam-na de Wolfsschanze, Toca do Lobo. Lobo era o seu apelido. Ingênua como a Chapezinho Vermelho, vim parar na sua barriga. Uma legião de caçadores procuravam pelo Führer. Se o tivessem em mãos, acabariam comigo também.” Alemanha, 1943: Os pais de Rosa Sauer, uma jovem de 26 anos, se foram. Seu marido Gregor está longe de casa, lutando pelo Reich na linha de frente da Segunda Guerra Mundial. Pobre e sozinha, ela toma a difícil decisão de deixar Berlim, cidade devastada pela guerra, para morar com seus sogros no campo, pensando que lá encontraria refúgio. Mas, uma manhã, Rosa é procurada pela SS, a polícia militar do regime nazista: ela fora recrutada para ser uma das provadoras de comida de Hitler. Três vezes por dia, ela e outras mulheres são levadas à Toca do Lobo, o bunker do Führer, para experimentar suas refeições – potencialmente envenenadas. Forçadas a comer o que pode até mesmo matá-las, as provadoras começam a se dividir em aquelas leais a Hitler e mulheres que, como Rosa, insistem não serem nazistas... mesmo que arrisquem sua sobrevivência todos os dias pela vida do Führer.



Rosa Sauer é uma das provadoras de comida de Hitler. Todos os dias ela e outras mulheres são levadas à Wolfsschanze, à Toca do Lobo, para experimentar suas refeições a fim de ter certeza de que não estão envenenadas antes de serem servidas ao Führer.

Tais “provas” acontecem ao menos 3 vezes por dia e, na aflição de se comer o que pode até mesmo matá-las, as provadoras se dividem entre o medo da morte e a graça por não morrerem de inanição em meio à escassez.

Após cada refeição é necessário ao menos uma hora para se ter a comprovação de envenenamento ou não. Esse período é crucial e a cada hora passada no refeitório mesclam-se sentimentos como medo, culpa, entusiasmo, “até que o peso no estômago parece pesar no coração, e assim, a hora seguinte ao banquete é repleta de desconforto.”

16 outubro 2021

Resenha - A Traição, Kiera Cass



Livro:
 A Traição (A Prometida #2)
Autor(a): Kiera Cass
Editora: Seguinte
Páginas: 328
Adquira: Amazon
Livro cedido através da parceria com a editora

No desfecho da duologia que começou com A prometida, Kiera Cass nos presenteia com mais uma leitura viciante, repleta de reviravoltas e romances de arrancar suspiros. Hollis Brite perdeu tudo. Depois de fugir de Coroa, a jovem tenta superar o que aconteceu com seu amado Silas e se adaptar à vida em Isolte, seu novo país, o que não está sendo nada fácil. Por mais que receba o carinho da família Eastoffe, todos os demais a enxergam como uma forasteira, sobretudo Etan, filho mais velho dos Northcott, que parece empenhado em dificultar sua vida. Conforme as tensões políticas aumentam, os Eastoffe seguem determinados a destronar o rei Quinten, tirano responsável pela desgraça da família. E ajudá-los seria a oportunidade perfeita para Hollis provar sua lealdade. Mas, com o coração ainda em pedaços, será que ela vai conseguir reunir forças para lutar pelo futuro de seu novo lar?

  No desfecho de sua série mais recente, Kiera Cass entrega uma narrativa fluida, capaz de arrancar alguns suspiros, mas que nem de longe conseguiu me empolgar.

A Prometida foi uma leitura mediana, e por isso não criei expectativas com a continuação. Quis ler porque gosto da autora e das capas de princesa, mas não consegui me conectar com a história. E apesar de ter sentido isso com quase todas as histórias depois de A seleção, dessa vez tenho certeza que não estou sozinha.

14 outubro 2021

Resenha - O Poder, Naomi Alderman



Livro:
O Poder
Autor(a): Naomi Alderman
Editora: Minotauro
Páginas: 368
Adquira: Amazon
Livro cedido através da parceria com a editora

Em um futuro próximo, as mulheres desenvolvem um estranho poder: elas se tornam capazes de eletrocutar outras pessoas, infligindo dores terríveis... até a morte. De repente, os homens se dão conta de que não estão mais no controle do mundo. “Jogos vorazes encontra O conto da aia.” COSMOPOLITAN “Um olhar fascinante no que o mundo poderia ter se tornado se o sexismo dos últimos milênios tivesse tomado rumos diferentes. Engenhoso... merece ser lido por todas as mulheres (e, claro, por todos os homens).” THE TIMES “O poder é uma leitura explosiva.” FINANCIAL TIMES “Um romance envolvente, que nos obriga a encarar uma distopia que já existe... e que está entre nós há séculos.” MICHAEL SCHAUB, NPR “Eletrizante! Chocante!” MARGARET ATWOOD, AUTORA DE O CONTO DA AIA


Em “O Poder” de Naomi Alderman conhecemos a trajetória de Roxy, Allie, Margot e Tunde, personagens de diferentes lugares do mundo e com características bem distintas. Eles vão influenciar o mundo através de um poder exercido pelas mulheres.

O poder surge em meninas entre 15 e 16 anos, e é como uma “trama”, localizado na região da clavícula que desce pelo braço e para na mão, tornando-as capazes de conduzir correntes elétricas, com intensidades variadas, que eletrocutam coisas e pessoas causando dores e até morte. Meninas que já possuem esse poder podem ativá-lo em outras com o simples choque. À medida que mais mulheres vão adquirindo esse poder, homens começam a sentir medo de sair às ruas.

Roxy é forte e corajosa, filha de um mafioso inglês. Ao presenciar a morte da mãe, vai buscar vingança entrando no submundo da máfia, onde fará bastante uso de seu poder.

Allie é uma adolescente americana órfã, viveu em lares adotivos e, no lar atual, é abusada pelo pai adotivo. Ela foge de casa, cria uma seita e torna-se sacerdotisa. Nessa seita, ela irá ensinar e inspirar mulheres do mundo todo.

Margot é prefeita de uma cidade nos EUA e com uma relação difícil com o governador, ambiciosa, tem duas filhas e uma delas despertará o poder na mãe. Por viver no meio político, Margot vai usar o poder para se beneficiar e ascender na política.

Tunde filmou a primeira mulher usando o poder de eletrocutar alguém. As imagens viralizam na internet e ele acaba tornando-se jornalista cobrindo novos casos. É ele quem irá mostrar uma visão masculina desse poder desenvolvido pelas mulheres.

Nessa distopia, os capítulos são alternados entre o ponto de vista desses personagens e podemos compreender como o poder se espalha entre as mulheres no mundo.

A autora mostra, em uma visão crítica, a forma como o poder corrompe as pessoas. É interessante observar como Alderman colocou o poder nas três personagens mulheres: no submundo da máfia, na política e na religião e como se deu o impacto na sociedade. A narrativa da história começa 10 anos antes do grande acontecimento, quando as transformações e as mudanças que o poder exerce vão acontecer na vida da população.







04 outubro 2021

Resenha - Leve para ler, Téia Camargo



Livro: Leve para ler
Autor(a): Téia Camargo
Editora: Independente
Páginas: 85
Adquira: Amazon


Uma história pode ser contada de diversas maneiras, inclusive da mais resumida possível. Ao escrever um microconto, o autor deve narrar apenas o essencial, permitindo que o leitor deixe fluir sua imaginação nas entrelinhas. Neste livro, a autora pretendia apresentar oitenta microcontos, mas constam 77. O que aconteceu com os três faltantes? Bem, esta é uma resposta que somente sua leitura poderá desvendar.






Leve para ler, leve para sentir, para entreter e refletir.

Essa é a proposta da coletânea de microcontos escritos pela autora Téia Camargo, que convida o leitor a divagar em suas histórias inspiradas a partir de palavras aleatórias, cada qual impregnada por um significado distinto.

Em seus setenta e sete microcontos, a autora nos apresenta histórias divertidas, trágicas e surpreendentes. No entanto, por serem curtas e escritas de forma tão sucinta, cabe ao leitor deixar fluir a imaginação e compreender o que há nas entrelinhas, o que torna cada conto mais precioso e pessoal para quem o lê.

Enquanto eu lia, me vi imersa e fascinada com a capacidade da autora em despertar tantos sentimentos em textos tão compactos e que não possuem fim. Porém, ao invés de uma história completa, Téia entrega em seus textos o essencial para preenchermos as lacunas da forma que desejarmos. Deixando para cada leitor o desafio de imaginar o final merecido em cada pequena trama.

Sorte. Acreditava que sorte fosse apenas mais uma palavra do dicionário até o inesquecível dia em que a vida se encarregou de apresentá-las. Nunca mais se separaram.

Inspirador e reflexivo, Leve para ler é exatamente o que o título propõe, uma história leve, que mostra o poder das palavras, da história e da imaginação. Sem duvida essa é uma ótima opção de leitura para ter na cabeceira ou para ler entre histórias mais densas. Certamente essa coletânea te deixará com uma sensação de leveza ao final.


O livro está disponível no kindle unlimited. Clique aqui para baixar.



30 setembro 2021

Resenha - Lendários, Tracy Deonn


 
Livro: Lendários (#1)
Autor(a): Tracy Deonn
Editora: Intrínseca
Páginas: 592
Adquira: Amazon
Livro cedido através da parceria com a editora

Um dos livros mais aguardados do ano, Lendários é uma fantasia apaixonante que une magia, mistério e sociedades secretas, trazendo um novo olhar sobre as lendas do rei Arthur. Partir parecia a fuga perfeita para Bree Matthews. Na verdade, a única fuga possível. Após perder a mãe, tudo que a menina de dezesseis anos quer é se manter longe das lembranças e das palavras carregadas de ressentimento na última discussão que tiveram. Por isso, Bree decide entrar em um programa da Universidade da Carolina do Norte para estudantes de excelência acadêmica. Um novo começo, distante da pessoa que ela era antes de tudo desmoronar. Mas então, em seu primeiro dia no novo lar, Bree vê um demônio, e essa descoberta aterrorizante a conduzirá até os Lendários, membros de uma ordem secreta formada por descendentes dos cavaleiros da Távola Redonda do rei Arthur, jovens responsáveis por caçar e destruir essas criaturas demoníacas e proteger a humanidade. Aos poucos, entre memórias enevoadas, ela percebe que não é a primeira vez que se depara com os Lendários, e que esse reencontro pode não ser mera coincidência. Com a ajuda de Nick, um ex-membro que quer distância da Ordem, Bree se infiltra nesse mundo de magia, privilégios e segredos para descobrir o que realmente aconteceu em seu passado. Ela só não contava que precisaria lidar com a desconfiança de um feiticeiro misterioso e com uma verdade avassaladora: os Lendários não são os únicos com o dom da magia. Dentro de Bree há uma força ancestral que ela ainda não consegue entender, mas que pode ser decisiva quando Camlann, a guerra final entre magos e demônios, chegar. Resta a Bree decidir se usará essa força para se unir à luta da Ordem ou para destruí-la de vez. Lendários é a estreia arrebatadora e premiada de Tracy Deonn, o primeiro volume de uma fantasia eletrizante e sensível sobre a jornada de uma jovem para entender a origem de suas dores e de seus poderes. Com uma narrativa poderosa e personagens marcantes, o livro figurou por semanas na lista de best-sellers do The New York Times, foi indicado ao Hugo Awards, um dos prêmios mais importantes de fantasia, e recebeu, entre outros, o Coretta Scott King-John Steptoe Award para Novos Talentos, concedido a livros jovens e adultos escritos por pessoas negras.


Aos 16 anos, Bree Mathews está lidando com a perda dolorosa de sua mãe, o que já seria difícil se torna ainda pior com o peso da culpa, afinal Bree havia tido um sério desentendimento com a mãe antes que um terrível acidente interrompesse a vida da mesma. E é por isso também que ela decide entrar em um programa para estudantes na universidade da Carolina do Norte. Longe de todas as lembranças que lhe fazem tão mal, talvez Bree possa seguir em frente.

No entanto, se Bree estava em busca de paz e calmaria, ela certamente foi para o lugar errado. Pois em sua primeira noite na universidade ela se depara com algo inesperado que a aterroriza. E essa experiência a levará a conhecer os Lendários, uma ordem secreta que destroem e caçam demônios com o intuito de proteger toda a humanidade. E essa ordem secreta nada mais é do que descendentes dos nossos já conhecidos cavaleiros da Távola Redonda do Rei Artur.

Mais que Livros - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥