04 dezembro 2021

Resenha - De folhas que resistem, Raïssa Lettiére



Livro: De folhas que resistem
Autor(a): Raïssa Lettiére
Editora: Biblioteca Azul
Páginas: 144
Adquira: Amazon
A obra de estreia de Raïssa Lettiére. “Nestas folhas que resistem, Raïssa Lettiére apresenta uma nova paisagem no descampado da nossa literatura ― não um bosque coberto por relva delicada, mas uma mata voraz e misteriosa, o que é tanto um fato inesperado quanto uma realidade artística a ser celebrada.” – João Anzanello Carrascoza. Um enigma na curva de uma estrada e os quatro braços de uma cruz. Um homem que vê a mãe perder a sanidade aos poucos. Outro que confere o obituário de jornais em busca de um nome conhecido. Uma refeição que evoca todas as últimas ceias. Uma amizade de infância, em meio a empurrões e quedas, leva a uma decisão irreversível. Em De folhas que resistem, Raïssa Lettiére compõe uma proposta literária potente, em harmonia com o que há de melhor na produção literária contemporânea. A autora traz contos com aroma e cor, para que os leitores possam experimentá-los com todos os sentidos de que puderem lançar mão e misturá-los de forma sinestésica no embate com o texto. Temas como memória, desejo e conflito familiar se descortinam no embate entre a intimidade e a vida social de suas personagens.

Intenso, poético e impactante, “De folhas que resistem”, romance de estreia de Raïssa Lettiére lançado pela @editorabibliotecaazul convida o leitor a embarcar em uma jornada surpreendente, sombria e sensorial. A obra que reúne 21 contos trata de assuntos atuais de nossa sociedade e cotidiano, trazendo personagens multifacetados, cada um resistindo à sua maneira às adversidades da vida.

Passeando por temas como esquecimento, abuso psicológico, conflitos familiares, relacionamento abusivo/ tóxico, mágoa, pedofilia e culpa, cada conto possui uma atmosfera única e envolvente, fugindo da previsibilidade do gênero e entregando ao leitor uma experiência única e deliciosamente viciante. Apesar de não consumir o gênero com frequência, confesso que aqui me vi envolvida desde a primeira página, não apenas pelo suspense que a autora cria em cada uma de suas histórias, mas pela forma enigmática e surpreendentemente inteligente com as quais são escritas.

03 dezembro 2021

Resenha - Sem Ar, Jennifer Niven



Livro: Sem ar
Autor(a): Jennifer Niven
Editora: Seguinte
Páginas: 392
Adquira: Amazon
Livro cedido através da parceria com a editora
O romance mais pessoal da autora de Por Lugares Incríveis. Passar o verão numa ilha remota não era o plano de Claudine Henry. Ela deveria estar viajando de carro com sua melhor amiga, aproveitando cada minuto antes de ir para a faculdade. Mas depois que seus pais anunciam o divórcio, o mundo dela vira de cabeça para baixo — e Claude vai parar nesse destino improvável, acompanhando a mãe que tenta se reconstruir depois da separação. Ali, a garota não tem internet, sinal de celular ou amigos. Até que conhece Jeremiah. Com o espírito livre e um passado misterioso, a química entre os dois é imediata e irresistível. Enquanto vivem aventuras pelas praias, dunas e florestas, Claude e Miah tentam não se apaixonar — afinal, esse relacionamento tem os dias contados. Mas talvez viver esse romance seja exatamente do que Claude precisa para começar a escrever sua própria história.

Claudine Henry tinha os próximos passos de sua vida bem demarcados. O ensino médio está acabando e como ela e sua melhor amiga, Saz, vão para faculdades diferentes, decidiram partir em uma viagem de carro juntas no verão, antes da derradeira despedida. Mas uma notícia familiar coloca toda a vida de Claude em cheque e tira seu chão.

Quando o pai de Claude a chama para conversar, ela sabe que algo está errado, mas em momento algum esperava que ele anunciaria o divórcio. Com essa notícia, tudo que a menina conseguiu absorver foi que seu pai não queria mais uma família e estava mandando ela e a mãe para longe.

Assim, todos os planos de viagem de Claude precisaram ser cancelados. Ela e a mãe então partem para Atlanta, para visitar os avós da menina, e depois vão para uma ilha ao sul da Geórgia, onde passarão o resto do verão, de forma que a mãe faça pesquisas para seu novo livro. O local é uma reserva natural, com praticamente nada para fazer e onde não há sinal de internet. Somando tudo isso com a gama de sentimentos dentro de Claude, a menina está a ponto de surtar.

Quando Claude bate os olhos em Jeremiah, a química entre eles é inegável. O garoto é um espírito livre da ilha, com muitas histórias a contar sobre tudo, exceto sobre ele mesmo. Não se sabe se é a beleza, a personalidade ou o mistério de Jeremiah que atraem Claude, mas não demora para a garota começar a nutrir sentimentos pelo rapaz.

Contudo, ao final do verão Jeremiah vai partir e ele não quer se envolver com ninguém, para não magoar e nem ser magoado quando precisar ir embora. Estará Claude preparada para se aventurar por essa relação com prazo determinado? Conseguirá a menina resistir a este forte sentimento, mesmo sabendo que terminará com o coração partido?

28 novembro 2021

Resenha - A Vida Invisível de Addie Larue, V. E. Schwab



Livro: A vida invisível de Addie Larue
Autor(a): V. E. Schwab
Editora: Galera
Páginas: 504
Adquira: Amazon
Livro cedido através da parceria com a editora

Uma vida que ninguém lembra. Um livro que ninguém esquece.Em A vida invisível de Addie LaRue, o aguardado best-seller de V.E. Schwab, conheça Addie e se perca em sua vida invisível ― porém memorável. França: 1714. Addie LaRue não queria pertercer a ninguém ou a lugar nenhum. Em um momento de desespero, a jovem faz um pacto: a vida eterna, sob a condição de ser esquecida por quem a conhecer. Um piscar de olhos, e, como um sopro, Addie se vai. Uma virada de costas, e sua existência se dissipa na memória de todos.Após tanto tempo vivendo uma existência deslumbrante, aproveitando a vida de todas as formas, fazendo uso de tantos artifícios quanto fosse possível e viajando pelo tempo e espaço, através dos séculos e continentes, da história e da arte, Addie entende seus limites e descobre ― apesar de fadada ao esquecimento ― até onde é capaz de ir para deixar sua marca no mundo.Trezentos anos depois, em uma livraria, um acontecimento inesperado: Addie LaRue esbarra com um rapaz.Ele enuncia cinco palavras.Cinco palavras capazes de colocar a vida que conhecia abaixo:Eu me lembro de você. Uma jornada inspirada no mito faustiano sobre busca e perda, eternidade e finitude e, acima de tudo, uma questão: até onde se vai para alcançar a liberdade?

Na França de 1714, Adeline Larue vivia um momento de desespero. Sua liberdade evaporava bem a sua frente, não havia saída! Aquele destino estagnaria sua existência, seus sonhos e principalmente, a necessidade de viver que existia dentro dela.

Como último recurso, Addie implora pela ajuda dos deuses e é atendida por um deus da noite que lhe oferece um pacto: uma vida eterna e sem amarras sob a condição de ser esquecida por todos.

25 novembro 2021

Nos Cinemas - Casa Gucci


CRÍTICA | “Casa Gucci” estreia hoje nos cinemas e traz muitas tramas familiares, polêmicas e elenco de peso


Você certamente já ouviu falar da marca Gucci, não é mesmo? Acho que mesmo as pessoas mais novas já viram pelo menos uma daquelas peças maravilhosas. Mas você sabe o que aconteceu até a Gucci ser “A” Gucci? Este filme vai te contar isso e muito mais!


Tramoias e tramas familiares são a base de “Casa Gucci”


Maurizio Gucci (Adam Driver) seria um dos herdeiros diretos da marca, que já tinha começado sua produção lá nos idos dos anos 1970. Entretanto, ele estava estudando para ser advogado e não se importava tanto com a empresa. Até que, certo dia, conhece Patrizia Reggiani (Lady Gaga) e sua vida muda completamente. 

22 novembro 2021

Resenha - O Tempo Entre Costuras, María Dueñas



Livro: O tempo entre costuras
Autor(a): María Dueñas
Editora: Planeta
Páginas: 480
Adquira: Amazon
Livro cedido através da parceria com a editora

O maior best-seller de María Dueñas, com mais de 100 mil exemplares vendidos, agora em edição especial com capa dura. Sira Quiroga é uma jovem costureira que, na Madri dos anos 1930, se apaixona por Ramiro. Ainda que mal o conheça, decide deixar o país por aquele novo amor. Mas o destino lhe reserva uma série de surpresas, a começar pelo desaparecimento de Ramiro pouco depois de chegarem ao Marrocos. A partir daí a jovem se converte, quase sem se dar conta, numa peça-chave na luta contra o fascismo europeu – da ditatura franquista em sua Espanha natal ao nazismo na Alemanha. Comparada a Carlos Ruiz Zafón por sua prosa envolvente e pela imaginação ao combinar fatos e personagens reais com ficcionais, María Dueñas conta em O tempo entre costuras uma aventura apaixonante, na qual os ateliês de alta costura, a sofisticação dos grandes hotéis, as conspirações políticas e as obscuras missões dos serviços secretos se fundem com a lealdade às pessoas próximas e com o poder incontrolável do amor.

A trama acontece tendo como pano de fundo a Guerra Civil Espanhola (1936-1939) que nada mais foi que uma prévia da SGM.

Eis um contexto histórico: após a destruição causada pela PMG, a Espanha viu emergir os republicanos reivindicando direitos e melhores condições de vida, desagradando os conservadores os quais se opuseram duramente; entre estes a Igreja Católica, nacionalistas, forças do exército e o partido da Falange, que era um braço fascista espanhol. Resumidamente foi um conflito de interesses entre os da direita e os da esquerda.

18 novembro 2021

3 MESES DE KINDLE UNLIMITED POR R$1,99

A promoção de 3 meses de Kindle Unlimited por R$ 1,99 voltou!

Para assinar, clique aqui



Aproveite 3 meses de Kindle Unlimited pagando apenas R$ 1,99 
● Tenha acesso ilimitado a mais de 1 milhão de eBooks.
● Explore nossa seleção de revistas.
● Leia em qualquer lugar e em qualquer dispositivo com o App Kindle.

Resenha - A Metade Perdida, Brit Bennett



Livro: A metade perdida
Autor(a): Brit Bennett
Editora: Intrínseca
Páginas: 336
Adquira: Amazon
Livro cedido através da parceria com a editora

As irmãs Vignes são gêmeas idênticas. Quando, aos 16 anos, resolvem fugir de casa, elas não fazem ideia de como isso vai alterar suas trajetórias. Mais de uma década depois, uma delas volta para a cidade natal — uma comunidade negra no sul dos Estados Unidos obcecada por novas gerações de pele cada vez mais clara —, e o choque não poderia ser maior. Porque ela não apenas chega sem a irmã, mas com uma criança. Uma criança de pele muito escura. Para as gêmeas, a separação não significou apenas o rompimento de um laço sanguíneo. Elas se encontram em pontos muito distantes em uma sociedade racista: enquanto uma se casa com um homem negro e é obrigada a retornar ao lugar de onde escapou tantos anos antes, a outra é vista como branca, e o marido branco não faz ideia de seu passado. Ainda que separadas por milhares de quilômetros — e incontáveis mentiras —, o destino das duas permanece interligado. E o que acontecerá quando os caminhos de suas filhas acabarem se cruzando também? Ao reunir diversos núcleos e gerações de uma mesma família, do extremo sul dos Estados Unidos à Califórnia, entre os anos 1950 e 1990, Brit Bennett constrói uma história emocionante, que também analisa de forma brilhante conceitos como passabilidade e colorismo. A metade perdida trata de questões raciais, explora a influência duradoura do passado em nossas vidas — seu poder de moldar decisões, desejos e expectativas — e apresenta as razões pelas quais algumas pessoas se sentem compelidas a se afastar de suas origens.Aqui vamos conhecer Nina e seus três irmãos Kit, Jay e Hud, filhos da estrela do rock Mika Riva. Os irmãos têm, como tradição, fazer uma grande festa anual no final do verão, na mansão de Nina em Malibu, na Califórnia. Só que esse ano será diferente de todos os outros anos anteriores. Nina é surfista e modelo famosa, mas acabou de se separar do marido, Brandon, um tenista famoso. Jay é surfista. Hud é fotógrafo e carrega um segredo que pode abalar a união dos irmãos e Kit, a caçula, só quer beijar um rapaz para descobrir do que realmente gosta.



Essa é uma história predominantemente sobre colorismo, racismo e preconceito.

Desiree e Stella são irmãs gêmeas e de origem pobre que, até a adolescência, moravam em Mallard, no sul dos EUA. Na infância, Stella sempre almejou estudar e ser professora. Desiree, mais agitada, sonhava em ser atriz e sair de Mallard para uma cidade grande. Aos 16 anos, após alguns desentendimentos, Desiree decide fugir com a irmã da pequena cidade em que moravam para Nova Orleans.

Mallard é uma comunidade em que seus moradores são negros de pele clara. Eles perpetuam essa tradição de geração em geração porque, para eles, quanto mais claro o tom da pele, melhores e mais bonitas as pessoas seriam.

Mais que Livros - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥