16 janeiro 2017

Resenha - O guardião, Nicholas Sparks


Livro: O guardião
Autor(a): Nicholas Sparks
Editora: Arqueiro
Páginas: 352
Adquira: Saraiva | Submarino | Travessa | Americanas | Livraria Cultura
Livro cedido através da parceria com a editora
Aos 25 anos, a doce Julie Barenson perdeu seu grande amor para uma doença impiedosa. Porém, ao partir, o marido lhe deixou dois presentes inesperados: um filhote de cão dinamarquês chamado Singer e a promessa de que cuidaria dela para sempre, onde quer que estivesse. Quatro anos depois, Julie enfim está pronta para tentar amar de novo e se vê dividida entre Richard Franklin, um belo e sofisticado engenheiro que a trata como uma rainha, e Mike Harris, um mecânico gentil que – junto com Singer – tem sido seu melhor amigo desde que ficou sozinha. Ela tem que tomar uma decisão. Só não pode imaginar que, em vez de lhe trazer felicidade, essa escolha transformará sua vida num pesadelo causado por um ciúme tão doentio que está a um passo de se tornar criminoso.


Julie é uma mulher forte, que enfrentou muitas dificuldades antes de conhecer a felicidade ao lado de Jim. Ele a resgatou das ruas lhe oferecendo um emprego como cabeleireira em uma pequena cidade da Carolina do Norte. A amizade se transformou em amor, mas os anos felizes chegam ao fim quando um câncer o leva a óbito. Dessa vez, ela não está sozinha para enfrentar as dificuldades. Jim lhe deixou amigos e um filhote de cão dinamarquês, que se tornou seu melhor amigo. Ainda sim, ela precisará de um tempo para se recuperar do luto...

Quer saber como é ser viúva? Então lhe direi: Jim está morto e agora sinto como se eu também já não vivesse.
Julie se perguntava se era isso que as pessoas queriam ouvir. Ou se esperavam que ela dissesse os lugares comuns: Vou ficar bem.

Quatro anos depois, Julie decide que precisa se abrir para o amor novamente, mas as primeiras experiências não tem sido muito inspiradoras. Até que o galante Richard Franklin entra no salão em que trabalha atrás de um corte de cabelo. O convite para sair é inesperado, mas promissor. Richard a surpreender com jantares em restaurantes chiques e noites românticas. É articulado, demonstra interesse no que ela tem a falar... Quem não gosta muito desse concorrente é Mike.

Mike Harris era o melhor amigo de Jim, mas nos anos em que serviu de tábua de salvação para Julie, acabou desenvolvendo um carinho por ela que vai além da amizade. Ela sabia de seus sentimentos, a cidade inteira sabia. Porém Mike nunca teve coragem de chamá-la para sair, mais do que isso, tinha medo que algo desse errado e isso destruísse a amizade que tinham. Ele sempre manteve a esperança de que a sua hora chegaria, mas se ele nunca temeu os pretendentes anteriores de Julie, agora ele tinha certeza que, se não agisse logo, perderia sua chance.

Richard representava um mundo novo, enquanto Mike era a calmaria ao qual já estava habituada. Escolher entre eles acaba se mostrando uma tarefa fácil, mas as consequências de sua escolha vão além do imaginado.

A imagem dele foi como um sono no estômago, e todas aquelas frases devastadoras foram esquecidas.
Ele estava ali.
Ele a havia seguido.
De novo.

Nicholas Sparks é aquele autor que, todos sabemos, tem um formula básica para escrever seus romances. Isso não é necessariamente algo ruim, mas faz com que muitos leitores se afastem de seus livros. Por estarem saturado do combo romance - drama - morte eminente ou simplesmente não se identificarem com suas histórias. E é para esse tipo de leitor que eu digo enfaticamente: LEIA ESSE LIVRO!

Sou muito fã do autor, não nego isso, como também não nego que sempre tenho receio de iniciar uma nova história dele. Gosto do seu ritmo de leitura, mas não é sempre que estou disposta a desidratar de tanto chorar. Esse era a situação quando iniciei essa leitura. Então imaginem minha surpresa quando um ar de suspense foi invadindo o livro. Quem assistiu ao filme ou leu Um porto seguro, sabe que ele tem uma pegada nesse nível, com direito a perseguição e tudo. Foi incrível e esse é igualmente bom.

A história começa normalmente, com a apresentação dos personagens, o desenvolvimento dos relacionamentos e vez ou outra surge uma suspeita de que algo está errado. Quando as nossas suspeitas se concretizam, o livro já chegou na metade e a partir dai foi impossível largar o livro. A perseguição é passional, é dramático, mas é eletrizante! E foi corroborada por um policial idiota e irritante, mas falarei dele depois.

Não vou limitar, mas acredito que a maioria das mulheres já se colocou no lugar de outra ao ver as notícias sobre reações descabidas de homens rejeitados. Só que a problemática aqui vai além disso. O que uma pessoa louca é capaz de fazer para atingir seus objetivos?

Como a história é narrada em terceira pessoa, o autor nos permite entrar na cabeça desse psicopata, bem como das vítimas. Me bateu uma sensação louca de insegurança, como se eu não estivesse a salvo nem dentro da minha própria casa. E de fato, alguém está?

Há poucos núcleos de personagens e a história acaba se concentrando em Julie, mas gostei do pouco que vi de cada um. Eles são carismáticos e despertam empatia no leitor. Até a desmiolada da Andrea, uma colega de trabalho do salão que só se interessa pelos caras errados. Cada um deles passa sua mensagem de vida de forma delicada, quase imperceptível. O único personagem que me irritou profundamente foi o policial lerdo sobre quem comentei a cima. Ele é daquelas pessoas que se acha sempre o correto, o mais esperto. O que obviamente ele não é. Sua forma de agir é conveniente para prolongar da história, mas não deixei de ter raiva dele por isso. Ainda bem que ele tentou se redimir. Pelo menos isso.


Sei que quase não falei sobre Singer, o cachorro, mas ele é bem presente no livro. É um dos principais personagens, por sinal. Quem tem aquela ligação especial com cachorros, ou simplesmente é apaixonado por esse animal, vai sentir o quanto ele é especial. Ele foi uma forma de Jim não deixá-la se sentir só com sua partida, de que ela continuasse tendo alguém que zelasse por ela.
De onde estiver, cuidarei de você. Serei seu anjo da guarda, querida. Pode contar comigo para protegê-la.

 Esse livro foi publicado originalmente em 2013 e voltou agora com o novo modelo de capas que Editora está proposto para o autor. Sinceramente, eu gostei muito mais dessa capa. É significativa para a história e não o resume apenas a um romance. Internamente o livro é simples, com páginas amareladas e fontes confortáveis para a leitura. É o padrão que já conhecemos para o autor, e da editora, de uma forma geral.

O guardião é uma leitura obrigatória para quem curte thriller e um bom romance. Na verdade ele é obrigatório para todo mundo! É sério gente, simplesmente leiam.


Resenha em vídeo:

2 comentários

  1. Bem, eu sou apaixonada por Nicholas!!! Não me importo de chorar, sofrer ou simplesmente ter aquele momento de raiva do autor.rs
    Já li O Guardião e tenho ele na minha estante. Na versão antiga, com uma capa não tão bonita, mas...não me importo com isso.
    Nicholas é Nicholas!!! E para quem gosta, este sim é um livro maravilhoso, aliás, como todos que o autor nos presenteia!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Oi.
    Não sou muito fã de romances, mas alguns me conquistam e espero que esse seja um deles, pois pretendo fazer a leitura. Ainda não li nenhum livro do autor, mas sei que sua escrita é muito sensível e suas palavras tocam nossos corações.
    Obrigada pela linda resenha.
    Beijos.

    ResponderExcluir


Mais que Livros - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥