29 abril 2017

Resenha - Eu e você no fim do mundo, Siobhan Vivian


Livro: Eu e você no fim do mundo
Autor(a): Siobhan Vivian
Editora: Intrínseca
Páginas: 368
Adquira: Saraiva | Submarino
Livro cedido através da parceria com a editora
Enquanto alguns se preocupam com o presente, fazem planos para o futuro, passam os dias empacotando suas coisas para mudar de cidade, Keeley e seus colegas do ensino médio decidem aproveitar ao máximo o tempo que ainda têm juntos em Aberdeen. Para ela, o momento é perfeito para fazer seu sonho se tornar realidade: se declarar para o garoto que sempre amou, Jesse Ford. A vida de Keeley está prestes a virar de cabeça para baixo, e a sensação de que não há nada a perder é perfeita para dar a ela a coragem de fazer o que normalmente não faria. Ou falar o que não falaria. E o risco quase sempre vale a recompensa. Quase sempre. Pode ser que seja o fim de Aberdeen, mas certamente é o começo da história de Keeley. Talvez nada tome o rumo esperado. Ou quem sabe tudo se encaixe para sempre. Seja como for, há coisas que só sobrevivem na memória – seja uma cidade ou um primeiro amor.


Alerdeen é uma cidade pequena. Lá os filhos frequentam o mesmo colégio que seus pais estudaram no passado e qualquer um com grandes ambições pensaria em ir embora. Nem que fosse temporariamente durante o período da faculdade. Os planos de Keeley estavam no meio desse caminho. É claro que ela ia cursar a faculdade, mas o mais próximo possível, para que voltasse pra casa sempre que necessário. Afinal, se ela e sua melhor amiga Morgan não conseguissem ir para a mesma universidade, aquele seria o porto seguro de ambas.

Acontece que esse futuro é drasticamente modificado por fatores que nenhuma delas poderia alterar. Tempestades constantes castigam a cidade, encharcando o solo e fazendo o rio transbordar. Aos poucos o cenário vai se modificando e o que que era uma pacata cidade interiorana, vai se tornando um local desabitado. As ruas se transformam em rios, as casas são destruídas pela natureza e o que era para ser uma desocupação momentânea se torna um veredito final.

As pessoas dizem que às vezes é preciso uma tragédia para colocar nossas vidas em perspectiva e mostrar o que realmente importa.

Tudo o que resta para Keeley e seus amigos é aproveitar os dias que lhe restam.

Quando vi esse lançamento fiquei louca para solicitar. Além do título me remeter a um romance cheio de suspiros, essa autora escreveu um série ao lado da fofíssima Jenny Han. Mas é aquilo, expectativa nas alturas pode significar uma queda drástica. Felizmente não chegou a tanto, já que algumas temáticas abordadas me surpreenderam, mas a narrativa envolvente que eu esperava não aconteceu.

A escrita da Siobhan Vivian é agradável e foi por conta disso que eu conclui o livro, porque as mais de trezentas páginas pareciam não acabar. Por mais que eu me dedicasse a leitura, a história parecia estagnada no mesmo ponto. Acrescente isso a uma narrativa em primeira pessoa feita por uma protagonista que não me encantou e um par romântico bem pouco convincente. É, eu ter concluído a leitura só pode mesmo ser consequência do potencial da autora. O que me faz querer ler um outro livro dela o quanto antes.

O mais estranho, porém verdadeiro, é: não é só porque sua cidade está quase inteira debaixo d'água que você vai deixar de estar apaixonada por um garoto.

Desde que se entende por gente, Keeley é apaixonada por Jesse, o garoto popular da escola. Ela consegue chamar a atenção dele antes de toda a desgraça acontecer, eles se juntam para transformar aqueles últimos dias em algo memorável pra seus amigos. Ambos são o lado cômico de seus grupos, os que tentam fazer graça de tudo e se recusam a demonstrar qualquer sentimento que não seja o de não estar nem ai. Isso sempre, em qualquer situação. Eles teriam de tudo para combinar e em alguns momentos realmente protagonizaram cenas fofíssimas, mas na maior parte do tempo não havia química.

A parte mais interessante desse quase relacionamento está indiretamente ligada a amizade de Keeley e Morgan, que na minha opinião foi o ponto mais interessante do livro. As duas eram inseparáveis desde o jardim de infância, e refletiam a amizade que suas mães também possuíam. Só que nós mudamos ao longo da vida e isso acaba interferindo nos nossos relacionamentos, seja pro lado bom ou ruim. Morgan era a mais madura das duas, para todos os assuntos e ela fez de tudo para que isso não abalasse a amizade. Admirei muito a amizade delas e claro, me fez refletir sobre muitas daquelas melhores amigas que ficaram pelo caminho...

Eu sou extremamente chata com traduções de títulos, seja de um livro, filme ou qualquer coisa coisa 'adaptada', mas em alguns casos o resultado é bem bom. Eu e você no fim do mundo não é uma tradução literal do original, mas a interpretação ficou muito mais interessante e soa melhor aos ouvidos. A ilustração da capa é igual ao original e tem muito significado. Eu não reparei em nada disso antes de concluir a leitura, mas até a inclinação da água é proposital. A diagramação é confortável para a leitura com folhas amareladas e letras padrão. Os capítulos são iniciados sempre com uma o dia e uma previsão meteorológica.

Estar com ele fazia todos os meus outros sentimentos desaparecerem. E eu precisava disso naquele momento, mais do que nunca.

O desfecho da história foi surpreendente. A autora conseguiu trazer uma dinâmica que valeu por tudo o que eu não gostei durante a narrativa. Então, se você estiver procurando um livro para passar o tempo, arrisque-se aqui. Não se deixe levar pela minha experiência.

E uma recomendação: não leia esse livro em dias de grandes tempestades, você pode mergulhar demais nessa história.

4 comentários

  1. Confesso que não conhecia sobre o que se tratava o livro. Já tinha visto a capa por aí, mas nem tinha parado para ler sobre o que a história falava.
    Gostei bastante do que li acima. Além de gostar de um bom romance, isso de fazer tudo no tempo presente, aproveitando o tal tempo que todos nós não sabemos quanto temos, me atrai muito também!
    Vai para a lista de desejados com certeza!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. eu não conhecia esse livro da Siobhan, mas gostei da proposta da história
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu confesso que esperava mais, quando vi achei a capa bonita e fiquei interessada em ler. Odeio quando o casal não convence e nem o personagem principal pois acaba ficando artificial, é tão bom quando eles nos conquistam e ficamos torcendo por eles. O legal deve ser a amizade das duas personagens que vem desde a infância acho muito bonita uma amizade assim duradoura.

    ResponderExcluir
  4. Nossa, acredita que só reparei na inclinação da água quando você falou? hahaha
    É uma pena quando um autor escreve bem mas a história não nos "pega", né? Ainda bem que o final compensa o tempo que você levou lendo um livro que parecia estagnado. Também já passei por isso com ótimos autores mas só por eles escreverem tão bem já quero ler mais e mais.
    Fiquei curiosa, mesmo com as ressalvas! Beijos

    ResponderExcluir


Mais que Livros - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥