12 maio 2015

Resenha - Objetos Cortantes, Gillian Flynn

Recém-saída de um hospital psiquiátrico, onde foi internada para tratar a tendência à automutilação que deixou seu corpo todo marcado, a repórter de um jornal sem prestígio em Chicago, Camille Preaker, tem um novo desafio pela frente. Frank Curry, o editor-chefe da publicação, pede que ela retorne à cidade onde nasceu para cobrir o caso de uma menina assassinada e outra misteriosamente desaparecida. Desde que deixou a pequena Wind Gap, no Missouri, oito anos antes, Camille quase não falou com a mãe neurótica, o padrasto e a meia-irmã, praticamente uma desconhecida. Mas, sem recursos para se hospedar na cidade, é obrigada a ficar na casa da família e lidar com todas as reminiscências de seu passado. Entrevistando velhos conhecidos e recém-chegados a fim de aprofundar as investigações e elaborar sua matéria, a jornalista relembra a infância e a adolescência conturbadas e aos poucos desvenda os segredos de sua família, quase tão macabros quanto as cicatrizes sob suas roupas.

SÉRIE: Volume Único
AUTOR: Gillian Flynn
EDITORA: Intrínseca
EDIÇÃO: 2015
CONCEITO: 5 estrelas
PÁGINAS: 256
ADQUIRA: Saraiva | Submarino | Buscapé
Livro cedido através da parceria com a editora
Adicione no SKOOB



Recém-saída de uma clinica psiquiátrica para tratar seus problemas com automutilação, Camille Preaker, jornalista do Daily Post, um jornal de baixa circulação em Chicago, recebe uma proposta para cobrir um assassinato e um desaparecendo de meninas em sua Cidade Natal em Wind Gap - Missouri. Na expectativa de que o furo de reportagem traga mais visualização para o jornal, seu editor chefe Frank Curry, acredita que Camille, que nasceu e cresceu no local é a pessoa indicada para cobrir o caso.

Sem muitos recursos e para poder apurar os fatos, Camille se vê obrigada a hospedar-se na casa de sua família e conviver com sua mãe Adora, seu padrasto Alan e sua meia irmã Amma. E ali, na casa e na cidade onde todos os pensamentos psicóticos e a autoflagelação se iniciaram, Camille começa a desvendar não somente pistas em relação aos assassinatos e mutilações das meninas de Wind Gap, mas também antigos segredos ligados a sua família.



Eu estou aqui, falei, e essas palavras pareceram chocantemente reconfortantes. Quando entro em pânico eu as digo a mim mesma em voz alta. Eu estou aqui. Não costumo sentir que estou. (pág. 100)

Para a cidade de Wind Gap, Adora é a mãe que qualquer menina gostaria de ter e uma dama exemplar para a sociedade. Mas a chegada da filha mais velha começa a trazer desconforto a Adora, gerando atrito entre mãe e filha. E Camille que precisa correr contra o tempo para escrever sua matéria em busca de reconhecimento profissional não imaginava que para isso talvez estivesse colocando em risco sua sanidade mental e trazendo a tona todas as lembranças de seu passado como, a busca por alívio em cada corte marcado em sua pela, o desprezo da mãe e a falta de amor em seu antigo lar.

Sempre me senti triste pela garota que eu era, porque nunca me ocorrera que minha mãe poderia me consolar. Ela nunca me disse que me amava, e nunca supus que sim. Ela cuidava de mim. Ela me administrava. (pág. 101)


Ao mesmo tempo em que precisa fugir dos acontecimentos de seu passado que só lhe causaram dor, Camille precisa trabalhar junto à polícia e colher informações com moradores locais e parentes de vítimas para desvendar o mistério das mortes das garotinhas. Durante suas idas e vindas da cidade, Camille descobre a dupla personalidade não somente em sua mãe, mas também em sua irmã de 13 anos, Amma, que na presença da mãe se mostra uma princesa mimada, mas que na verdade é uma menina cruel e dissimulada.

Você está tendo pensamentos loucos. Está sendo irracional. Mas não estava. (pág. 198)

Com uma narrativa inquietante e perturbadora, mais uma vez Gillian Flynn mostra do que é capaz e arrebata o leitor durante o desenrolar de sua trama. Ao mesmo tempo em que Camille se aproxima mais da verdade, se aproxima também dos segredos macabros que envolvem sua família. Ficando no leitor uma dúvida angustiante em relação ao verdadeiro assassino.

Eu nunca realmente estivera do meu lado em qualquer discussão. Eu gostava da maldade da frase do Antigo Testamento Ela teve o que merecia. Algumas vezes as mulheres merecem. (pág. 177)

Em Objetos Cortantes sentimos na pele todos os medos da protagonista e experimentamos o alívio que cada corte lhe traz. Em alguns momentos meu coração parecia que ia pular do peito tamanho a sensação de desespero que a narrativa proporcionava. É um livro psicologicamente perturbador que nos faz entender a complexidade da automutilação e da mente obscura do ser humano. Leitura mais que indicada aos fãs de suspende psicológico.

Algumas vezes se você deixa as pessoas fazerem coisas a você, na verdade você está fazendo a elas. (pág. 250/251)

21 comentários

  1. Olá!
    Adorei sua resenha. Ainda não tive a oportunidade de ler o livro mas me interessei muito!
    Beijos
    Aly,
    www.meusdespropositos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Glaucia!

    Eu ainda não li nada da autora, nem quis ler Garota Exemplar, depois de assistir o filme, mas Objetos Cortantes chamou minha atenção.
    Pelo que você descreveu, parece meu tipo de livro, angustiante com um quê de macabro e um suspense que nos prende a leitura.
    Espero ter a oportunidade de ler em breve!

    Abraços,
    Andresa Dias
    http://leiturasefofuras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá!

    Eu ainda não li esse livro, mas o pessoal de um grupo que eu participo ta quase se matando por causa dessa obra rsrs
    Esse livro chamou muito a minha atenção e tem uma premissa muito interessante. O suspense parece reinar em todas as páginas.
    Parabéns pela resenha.

    Gostei do blog, to seguindo.
    Beijos

    Academia Literária DF

    ResponderExcluir
  4. Esse livro é muito bom, já tinha uma experiência boa com "Garota Exemplar" da mesma autora e esse mês ela vai lançar um outro que eu não lembro o nome kkkkk Mas creio que será tão bom quanto e vai ter filme também, estou mega curiosa!

    Beijo,
    http://portaoazul.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Ola Glaucia ja li muitas resenhas positivas sobre esse livro, o fato da protagonista se auto mutilar já chama atenção, assim como esse relacionamento conturbado com a mãe . Quero ler e descobrir o que levou de verdade a todos esses fatos. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  6. Gente essa autora parece divina, não sou muito fã de livros que envolvam suspense psicológico mas a sua resenha quase me convenceu a ler Objetos Cortantes, contudo antes quero ter um contato mais simples com a autora e descobrir se vou gostar mesmo de suas obras (vou ler um conto que ela escreveu para o livro Rogues de G.R.R. Martin) se gostar vou dar uma chance, adorei a resenha!

    ResponderExcluir
  7. Olá Glaucia!
    Eu não gostei dessa história.
    Li várias resenhas falando que o livro só fica bom do meio pro final. Então livros assim não servem pra mim. Preciso de histórias que me ganhem na primeira página.
    Isso não muda o fato de sua resenha está muito boa.
    Beijinhos!
    http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Glaucia, tudo bem?
    Bom parece ser um livro bom, mas não sei... fiquei com receio depois que li algumas resenhas, mas eu ainda acho que vale a pena... adoro tramas psicológicos... que mexe com a minha mente e me faz interagir com o personagem principal... acredito que isso irá acontecer com a minha leitura. A sua resenha ficou maravilhosa... na medida certa... xero!

    ResponderExcluir
  9. Glaucia pensa numa pessoa que vai ler isso assim que der completamente desesperada.
    gente que livro intenso *---* adorei resenha
    eu nunca i nada da autora, mas vi o filme de garota exemplar e o fato da mulher ter pensado numa história tão louca me faz querer ler as coisas que ela escreve.
    o fato do pessoal ter dupla personalidade faz isso ficar muito interessante.
    Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  10. Este livro já foi lançado em 2008 com o nome "Na própria carne", agora a Intrínseca está relançando com o nome "Objetos Cortantes", caso não faça questão da capa nova, vale a pena procurar o antigo que deve ser mais baratinho...
    Estou louca pra ler também..rssrs

    ResponderExcluir
  11. Oiee, Glau, tudo bem?

    Confesso que não tenho interesse no livro. Vi o filme da Garota Exemplar e já morri de medo, imagina nos livros. Com certeza ia ficar super tensa em objetos cortantes também.

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  12. Oi, Glaucia!
    Eu li Garota Exemplar e amei! É uma história genial, e pelo visto Objetos Cortantes é da mesma forma, brilhante e perturbador. To com ele aqui pra ler, ganhei na Turnê Intrínseca, mas ainda não o peguei. Agora lendo a sua resenha, fiquei ansiosa pra começar a leitura.

    Beijinhos!
    Jaque.
    Meus Livros, Meu Mundo.

    ResponderExcluir
  13. Ei Glaucia, tudo bem?

    Acabei de ganhar esse livro de aniversário e estou cheia de expectativas quanto a leitura. Fiquei louca quando li "Garota Exemplar" e espero esse seja tão bom quanto o meu favorito.

    Bjin
    Jéssica Brenda
    Mundo B - Paixão, Amor e Outros Vícios

    ResponderExcluir
  14. Oi Glaucia, sua linda, tudo bem?
    Eu sempre fiquei dividida em relação ao livro de Garota Exemplar e por isso nunca li, mas acabei vendo o filme e infelizmente, não gostei. Por isso nunca me interessei por esse. Mas confesso que sua resenha mudou minha opinião, pelo menos em relação a esse. Nossa, você sentiu a mutilação? Foi tão forte assim? O tema de múltipla personalidade sempre me deu medo, não entendi se você falou que a mãe dela e a meia irmã possuem essa doença, ou se elas se comportam falsamente, ou seja, na frente de uns são uma coisa, quando na verdade, são outra. Fiquei muito interessada em ler. Sua resenha ficou ótima.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Oi, Glaucia. Tudo bem?

    Eu estou louca por esse livro desde a turnê da Intrínseca e minha colunista é apaixonada pela escrita da Gillian, então quero super ler. E sua resenha só me animou e também quero conhecer essa narrativa surpreendente da autora, além do fato que adoro um bom suspense psicológico. Em suma, parabéns pela resenha.

    Beijos
    Leitora sempre

    ResponderExcluir
  16. Oi Glaucia.
    Nunca li nada dessa autora, mas não consigo me interessar por seus livros...tem psicopatas demais rsrs.
    Esses enredos psicologicamente perturbadores me fazem ter calafrios, imagino o quão denso deve ser.
    Bom, eu passo essa dica, mas é bom saber que o livro é convincente, assim posso indicá-lo aos adoradores do estilo.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  17. Ola! Tudo bem?
    Esse livro parece bem interesante. Acho que posso gostar dele.
    Adorei a sua resenha.
    Eu leio voce depois. :)
    Boas leituras!
    http://abracalibro.blogspot.com.es

    ResponderExcluir
  18. Oi Glau, tudo bem? Bom, eu li "Garota Exemplar" mas não curti muito, mas estou disposta a dar uma nova chance da autora me conquistar e me interessei bastante pela premissa dele, adoro Thriller psicológico e gosto dessa sensação angustiante de entrar na mente perturbada da protagonista e sentir o que ela sente a cada vez que se corta e dessa forma entender melhor como ela pensa e vê a si mesma e os outros. O suspense também parece ser bastante instigante.

    Espero gostar do livro!!! Adorei a sua resenha e os quotes!!

    Beijinhos,

    Rafa // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  19. Glaucia, minha linda!

    Este livro deve ser daqueles que deixa o leitor com o coração na boca, na mão, etc... pelo comigo acho que funcionará assim. Que história mais cheia de dor e como já lidei com pessoas com problemas parecidos, sei que existe e o quanto é sofrido e angustiante.
    Achei bacana saber que a autora envolve o leitor a tal ponto de se sentir aliviado com a descoberta e o alivio que cada corte provocava na protagonista. Sem falar que a narrativa inquietante e perturbadora que envolve a história e consequentemente o leitor é um convite a ler o livro.

    Beijos
    Tânia Bueno
    www.facesdaleiturataniabueno.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  20. Uau!
    Glaucia, já havia lido Garota Exemplar e vi a grande divulgação feita pela editora sobre o Objetos Cortantes, porém não sabia que se tratava de automutilação. Assuntos ligados a mente me deixa eufórico. Preciso ler esse livro, ainda mais depois de uma resenha tão incrível.
    Abraços

    www.estantejovem.com.br

    ResponderExcluir
  21. Olá, tudo bem?

    Apesar de ter amado a capa do livro e ter realmente adorado a forma como expôs tudo na sua resenha, esse livro não seria uma leitura que me agradaria. Esse lance de gente se cortando e passando estresse e alívio por causa disso é demais pro meu psicológico HAHAHAHA Prefiro ler sobre um terror ou algo bem fantasia do que ler esses livros mais "reais", sabe? Mas fiquei curioso para saber como é a narrativa, afinal, você não é a primeira que fala bem dela.

    Abraços,
    Matheus Braga
    Vida de Leitor - http://vidadeleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir


Mais que Livros - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥