14 julho 2014

Resenha - A Menina que Colecionava Borboletas, Bruna Vieira


Bruna Vieira está cada vez mais longe dos quinze, e sabe que crescer nunca é tão simples. Considerada uma das blogueiras mais influentes do mundo, mais uma vez ela dá vazão ao seu talento como escritora com este seu novo livro de crônicas e pensamentos, em que mostra o quanto amadurecer e conquistar a independência é maravilhoso, mas tem seus desafios e poréns. A garota do interior que usa batom vermelho e que realizou seus maiores sonhos continua inspirando adolescentes de todo o país. Para ela, as páginas deste livro significam o bater de asas das borboletas que colecionou dentro do peito por algum tempo e que agora, finalmente, pode deixar que voem livres por aí.

SÉRIE: Volume Único
AUTOR: Bruna Vieira
EDITORA: Gutemberg
EDIÇÃO: 2014
PÁGINAS: 152
CONCEITO: 5 estrelas
ADQUIRA: Compare e Compre
Adicione no SKOOB



A Menina que Colecionava Borboletas é o terceiro livro da autora e blogueira Bruna Vieira, que após sair de casa aos 17 anos no interior de Minas e vir morar sozinha em São Paulo para realizar seus sonhos, só vem conquistando cada vez mais espaço no mundo literário. Neste terceiro livro repleto de crônicas, Bruna nos permite entender um pouquinho mais sobre seu dia a dia e acompanhar seu amadurecimento pessoal, profissional, e o amadurecimento em sua escrita, que podemos identificar claramente através das experiências vividas pela autora e citadas em seu livro.

Não existem garantias ou promessas que durem para sempre. Precisamos continuar lutando por aquilo em que acreditamos. Já dizia o Pequeno Príncipe: “Tu te tornas responsável por aquilo que cativas”. (pág.27)

O texto é repleto de metáforas e lições de vida que nos deixam pensativos em relação às escolhas que temos feito para nossas vidas. É como se fosse um bate papo da autora com o leitor, onde Bruna com apenas 19 anos nos mostra que é preciso olhar em volta e ver para onde queremos ir e para onde realmente estamos indo, e é verdade, eu fiquei extremante pensativa em relação aos temas abordados no livro, pois vivemos em uma sociedade extremamente hipócrita, onde os princípios são conturbados e os valores distorcidos, e as vezes agradar aos outros e nos anular parece mais correto do que fazermos o que realmente acreditamos.


Com quase 20 anos, entendi que é um erro se anular tanto por alguma coisa, seja para fazer parte de um grupo social, conquistar o coração de alguém, seja simplesmente para ser promovido no trabalho. Ouvi dizer que algumas pessoas só entendem isso no finalzinho da vida, e eu sou privilegiada com a maturidade, pois ainda tenho muito tempo pela frente. (pág. 15).

Abordando temas como: Amizade, Padrões de Beleza, Viagens e Morar Sozinha, a autora mostra que mesmo com tão pouca idade está apta a falar de qualquer assunto e mostrar que é possível tirar lições de qualquer experiência, sendo ela boa ou ruim. Afinal, somos nós quem decidimos se vamos nos abater em meio as dificuldades que a vida nos impõe, ou se iremos nos levantar, sacudir a poeira e seguir em frente com a cabeça erguida.

Decepções em geral nos fazem pensar sobre a maneira como levamos a vida. Principalmente quando estamos sozinhos. [...] Penso que quando não temos alguém para agradar, nos resta agradar a nós mesmos. (pág. 49) 

Já no início do livro é possível compreender a mensagem que a autora quer nos passar, e na boa é impossível não concordar com ela, pois estamos sempre muito preocupados com os padrões e rótulos impostos pela sociedade e pela vida em si, e esquecemos de quem nós realmente somos. E no meio desta confusão acabamos perdendo nossa verdadeira essência e nossa identidade, então o melhor a fazer é lembramos que a vida é uma só, e erros vão acontecer, e pessoas irão nos decepcionar e irá esperar de nós aquilo que nunca nos dispusemos a dar. E no fim será que vai valer a pena todo esse teatro? Acredito que não, pois para fazermos o bem aos outros é necessário antes fazermos e estarmos bem com nós mesmos.

 A verdade é que a vida é curta demais para deixarmos que a transformem em um tribunal e fiquem julgando o que é ou não apropriado.  (pág.23)

Esse foi um livro que me encheu de questionamentos e me fez enxergar a vida com um pouco mais de clareza, pois sim, eu sou uma dessas pessoas que às vezes acaba se anulando para agradar as demais. Durante a leitura eu praticamente marquei o livro inteiro com quotes que eu queria mostrar para vocês, mas como não seria possível mostrar todos, inclui alguns na resenha e outros eu vou pôr aqui em baixo. Indico a leitura deste livro para todas as idades e acredito que o conteúdo irá agregar valor a qualquer um que ler.

Você estava errado. Todos nós vivemos dentro de uma bolha e nem sempre podemos controlar a direção do vento. Mas a maneira como enxergamos o trajeto e quem escolhemos para estar ao nosso lado, isso sim, é uma tarefa completamente nossa. São atitudes, palavras, valores e um monte de coisas cujo verdadeiro valor a gente só descobre quando aprende a ser leve. E assim, acredito eu, vamos longe. (pág. 50)

Não existe certo ou errado. O melhor caminho é sempre aquele que te faz olhar ao redor e perceber os pequenos detalhes. (pág. 73)

Eu não quero te consertar. Nunca quis. Quero é provar que podemos ser exatamente assim, cheios de defeitos e sem nenhuma garantia. Invisíveis para o resto do mundo, mas o suficiente um para o outro. (pág. 75)

- - - - -
Essa postagem está participando do TOP COMENTARISTA,
Veja como participar aqui.

18 comentários

  1. Oi Glaucia :)

    Eu não me interessava por esse livro, mas depois da sua resenha terei que comprar. Realmente, as vezes nos preocupamos demais com rótulos e esquecemos de ser nós mesmos. Curti muito a premissa e tudo o que você disse, darei uma chance. Beijos!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi
    Cada vez mais fico com vontade de ler esse livro.
    Parece ser diferente de qualquer um que eu tenha lido.
    Gostei muito da postagem.. Beijos.

    O Outro Lado da Raposa/Facebook
    Twitter

    ResponderExcluir
  3. Oi Glaucia!
    Que resenha incrível, eu adorei. Confesso que nunca tive vontade de ler esse livro, nem nada da autora. Mas sua resenha me deixou em dúvida, rs.
    Beijão
    Tão doce e tão amarga.

    ResponderExcluir
  4. Oi Glaucia, que bom que você gostou. Sinceramente, depois que li parte de Depois dos Quinze, me desencantei pelos textos da Bruna. Acho que não me identifiquei com eles, então não tive mais vontade de ler os outros livros. Mas uma coisa é inegável.. as capas dos livros dela são divas. Ai como amo! kkk Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  5. Não consigo gostar da Bruna Viera. Sei lá, não acho que ela seja uma boa escritora ou pelo menos não das mais criativas. Ela tem sim didática de escrita, mas os livros dela são todos iguais e com o mesmo objetivo.

    http://www.laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Glaucia! Primeiramente, que CAPA LINDA! Achei super legal a sua resenha, e fiquem muito afim de ler. Nunca li nada da Bruna, vou pesquisar sobre os outros livros dela.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá, Glaucia. Eu não sou muito fã de crônicas, ainda mais reunidas em livros. Prefiro ler em jornais e revistas, porque vem isolada, pra uma leitura rápida e leve. Curti muito a capa, mas o título me remeteu à frase "O segredo é não correr atrás das borboletas... É cuidar do jardim para que elas venham até você.".
    Beijinhos!
    Giulia - Prazer, me chamo Livro

    ResponderExcluir
  8. Curto muito a Bruna Vieira, sigo no blog no vlog mas, nunca li algo dela mas... me interessei bastante posr essa resenha então talvez leia.
    gostei dos trechos.

    http://meusdespropositos.blogspot.com.br/
    Beijos,

    Aly

    ResponderExcluir
  9. Oiee
    Não tinha ouvido falar desse livro antes mas gostei.
    É bom ler algo que abordem verdadeiramente esses temas,e junto com você
    eu também já "me anulei" para agradar as demais pessoas.
    Adoro marcar os livros e tenho certeza que esse vai ficar assim do começo ao fim.
    beijos

    ResponderExcluir
  10. Eu acompanho o Depois dos Quinze há pelo menos uns três anos e nunca li nenhum livro da Bruna, você acredita? Pretendo comprar um nessa Bienal e ver se consigo autografo, quem sabe não seja esse? Acho que vou gostar tanto quanto você.


    Coral,
    Universe for Words

    ResponderExcluir
  11. Gente eu sou a única que não gosta??? Achei que este livro estaria mais maduro, com questões mais fortes, mas permanece ainda na linha da adolescência, com um toque ainda meio imaturo, mas acho super válido para quem gosta da escrita da Bruna e quem a acompanha!

    ResponderExcluir
  12. Adorei sua resenha!
    Adoro a escrita da Bruna e tenho esse livro na minha estante há um tempinho, mas ainda não o li.
    Mas agora depois de ver tantos quotes interessantes vou colocá-lo no topo das minhas leituras ^^

    ResponderExcluir
  13. Adoro livros que nos fazem ficar pensativos, pensando sobre nossas vidas. Gostei disso de parecer um bate-papo com o leitor. Acho essa capa linda demais, e conheci a Bruna em um evento outro dia e a achei extremamente simpática, então pretendo ler! Achei bem legal a mensagem que ela quis passar com o livro.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  14. Ah, gosto demais da Bruna, apesar de não seguir muito o youtube, gostava quando ela ficava mais no blog. Ainda não mexi em nada do que ela publicou. Vou dar uma olhada.

    ResponderExcluir
  15. Olá Glaucia. Vc sabe o porque do título do livro da Bruna.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, tudo bem? Eu não poderia lhe dizer com propriedade ao que o título se refere. Mas nesse livro a Bruna fala muito de experiências e de como cada uma delas é essencial para nos tornarmos melhores. No final do capítulo "Borboleta" isso fica bem claro. Se puder dar uma conferida ;)

      Excluir
  16. Oi, Glaucia! Gostei das quotes que você escolheu. Parece que a Bruna Vieira quis de fato compartilhar suas experiências com os leitores. Quero muito ler esse livro!
    Beijos

    http://tudoqueeuli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Não é o tipo de livro que eu recomendaria,em particular não me agradou e nem se tratou de assuntos interessantes,dos quais tiramos ensinamentos,apenas um livro de entretenimento para fãs que querem saber mais sobre a vida da autora.

    ResponderExcluir


Mais que Livros - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥