09 outubro 2015

Resenha - A Lista, Cecelia Ahern


Livro: A Lista
Autor(a): Cecelia Ahern
Editora: Novo Conceito
Páginas: 384
Adquira: Saraiva | Submarino | Buscapé
Livro cedido através da parceria com a editora
Kitty Logan tem 32 anos e aos poucos está perdendo tudo o que conquistou: sua carreira está arruinada; seu namorado a deixou sem um motivo aparente; seu melhor amigo está decepcionado com ela; e o principal: sua confidente e mentora está gravemente doente. Antes de morrer, Constance deixa um mistério nas mãos de Kitty que pode ser a chave para sua mudança de vida: uma relação de nomes de pessoas desconhecidas. É com base neles que Kitty deverá escrever a melhor matéria de sua carreira. Quando começa a ouvir o que aquelas pessoas têm a dizer, Kitty aos poucos descobre as conexões entre suas histórias de vida e compreende por que foi escolhida para dar voz a elas.


Quando concluiu a faculdade, Katherine Logan não imaginou que logo conquistaria um emprego na Revista Etecetera. Apesar de não ser a campeã de vendas da Irlanda, ela era muito respeitada no meio e escrever para ela, significava trilhar o caminho do sucesso. Afinal de contas, grandes talentos haviam começado ali. E meio a conquistas profissionais, Kitty acabou tendo em sua editora chefe, uma grande amiga. Daquelas que se pode contar a qualquer hora e para lidar com qualquer assunto.

Atrás de novos voos, Kitty passou a fazer reportagens para um programa na televisão e foi ai que tudo começou a desandar. Sedenta pro um furo de reportagem, ela acabou acusando uma pessoa injustamente. Levando sua carreira ladeira a baixo, junto com a sua vida pessoal. Paralelo a isso, Constance se encontra-se internada, cada vez mais debilitada e é no hospital que ela passa uma última tarefa a Kitty: resgatar uma lista com cem nomes em seus arquivos e escrever uma matéria sobre aquelas pessoas.

Apesar da empolgação, a tarefa se mostra mais árdua do que ela podia imaginar. Constance parece nunca ter entrado em contato essas pessoas e fazer uma conexão entre elas se mostra algo impossível. Porém, ela não tem alternativas. Sem o emprego na televisão e sendo pressionada pelos patrocinadores da revista para que deixe de publicar por ela, essa matéria é sua grande e única chance de se reerguer, de reencontrar o amor que tinha pelo jornalismo! Sendo assim, ela irá até o fim atrás de uma resposta. 

Quando se trata da Constance, a coisa nunca é o que parece. Seja lá o que você estiver pensando pela lógica, esqueça. Não há lógica para Constance. Comece a enxergar essa matéria pelos olhos dela, tente senti-la com o coração dela, que era enorme, mas igualmente complicado, e vai encontrar o que procura.

Cecelia Ahern sempre me conquista com sua capacidade de criar histórias envolventes, que priorizam as relações humanas, mas desta vez ficou faltando alguma coisa. O livro aborda questões familiares, amorosas e de amizade. Há um montanha russa de sentimentos, mas que era quebrada sempre que a protagonista mudava o seu entrevistado.

Num primeiro momento, Kitty entra em contato com aqueles que residem em Dublin e vai ao encontro dos mesmo para conhecer suas vidas. A cada novo personagem, uma nova história emocionante e cheia de ensinamentos e como sempre havia uma segunda ou terceira entrevista, a história ficou cheia de informações detalhadas a cerca de muitas pessoas distintas. Sem mencionar que também haviam os problemas da própria Kitty. Quando chegou a metade do livro, eu já estava cansada da narrativa. É um livro lindo, mas que da um sono tremendo.

Apesar de tudo, não teve como não se envolver com as histórias apresentadas. A que mais me cativou foi a Bridget Murphy, uma senhoria que vive um abrigo e que a família finge que se importa. Apesar dos filhos prepotentes, ela é um amor de pessoa e está prestes a completar 85 anos, uma idade muito importante para ela. Ambrose Nolan também tem uma história de cortar o coração e vê-la no caminho da superação é revigorante. Ela não entrevista os cem indivíduos, dessa forma o livro seria maçante ao cubo, mas também posso destacar Eva Wu e Archie Hamilton. Há outros personagens nessa empreitada, mas esses foram os que mais me envolveram.

Acho que quando se cobre uma matéria muitas vezes ela acaba revelando mais sobre a pessoa que a escreve do que sobre a própria matéria em si.

A parte gráfica do livro está muito fofa. As publicações da autora não seguem um padrão de capas, mas essa combinou demais com o enredo. Ela trás os nomes, é delicada e ainda tem efeitos metalizados. Como não amar?! As história é dividida em capítulos numerados e  há um ornamento no inicio de cada um. As páginas são amareladas, as margens confortáveis e a fonte e agradável à leitura.

Se esse livro tivesse que ser resumido em uma palavra, seria superação. Esse é o sentimento de ordem que guia a história. Se você estiver em um momento de leituras mais dinâmicas, essa com certeza não é uma indicação. Mas guarde esse nome e leia em algum momento da vida.

10 comentários

  1. Pretendo ler esse livro em breve, parece ser bonito.

    Beijos

    Nana

    http://leituraeconversas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. eu ja li, mas sabe aquela história que te marca que você não consegue expressar bem em palavras?
    se pararmos pra analisar é um enredo mais simples, mas talvez o mais significativo da autora, ao trabalhar essa lista interminável de histórias ela nos mostra como cada um é especial! me peguei chorando em alguns momentos, rindo em outros, mas com certeza é um livro que recomendo!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia "A Lista", mas fiquei bem interessado no livro.
    A Novo Conceito está de parabéns com alguns lançamentos que já vi. Livros ótimos!!!

    Abraço!
    http://tudoonlinevirtual.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oiee.

    Estou com esse livro aqui, porém, não o li ainda, espero fazer isso, só que sinceramente...Bom, gostei de sua resenha e de outra que vi e o fator que fala de família e amigos me desperta mais atenção. Linda resenha

    Beijos
    Amor Literário

    ResponderExcluir
  5. Nossa, Dreeh, esse livro mexeu tanto comigo. Ele se tornou meu preferido da Cecelia, para mim não faltou nada não. Não fiquei cansada em nenhum momento, e muito menos com sono. Me envolvi com todas as histórias paralelas e fiquei encantada com elas. Realmente superação é uma boa palavra para descrevê-lo. Pena que você não gostou tanto assim.

    Beijo.

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  6. Oi Dreeh, eu amo a escrita da Cecelia, mas esperava mais desse livro. Achei muito enrolado e cansativo em certas partes, apesar de ter amado a lição por trás. Beijos, Mi

    Blog Recanto da Mi

    ResponderExcluir
  7. Oiiie
    Adorei a resenha e a dica e quero muito ler esse livro por adorar o gênero e a autora e por ver tantos elogios da leitura, linda capa.

    Beijos
    Reality of Books

    ResponderExcluir
  8. Oi Andressa, tudo bom?
    Só li um livro da Cecelia na vida, mas tenho A Lista na estante esperando a leitura. Eu imaginava que a narrativa era mais detalhada e lenta, mas não é algo que me assusta. A história parece ter muita emoção.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá Andressa, esse é o tipo de livro que adoro ler, Cecelia Ahern tem uma imaginação para criar história cativantes, porém ainda não li esse livro, mas o enredo me conquistou, falar sobre relacionamentos e amizade são pontos atrativos nesse livro, vou tentar ler esse livro logo.
    Bjkas

    ResponderExcluir
  10. Oi Andressa, tudo bem?
    Estou com esse livro aqui para ler e bem curiosa com a história. Nunca li nada da autora, então minha expectativa está um pouquinho alta pela escrita dela. Acredito ser um livro cheio de reflexões, espero poder lê-lo em breve.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura

    ResponderExcluir


Mais que Livros - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥