02 setembro 2015

Resenha - Half Bad, Sally Green


Livro: Half Bad (Half Life #1)
Autor(a): Sally Green
Editora: Intrínseca
Páginas: 304
Adquira: Americanas | Submarino | Buscapé
Livro cedido através da parceria com a editora
Nathan, filho de uma bruxa da Luz com o mais poderoso e cruel bruxo das Sombras. O adolescente vive com a avó e os meios-irmãos e é visto como uma aberração por seus pares. O Conselho dos Bruxos da Luz vê nele uma ameaça, que precisa ser domada ou exterminada. Prestes a completar dezessete anos – época em que todos os bruxos passam por uma cerimônia em que seu dom é finalmente revelado bem, como sua denominação como bruxo da Luz ou das Sombras –, agora Nathan terá que correr contra o tempo para achar o pai, que jamais teve oportunidade de conhecer, e salvar a própria pele.


Os bruxos estão por toda a parte, mesmo que nós não os vejamos. Sua sociedade é dividida em duas linhagem distintas: os da Luz e os da Sombra. Mas existem também alguns meio sangue que são descendentes de bruxos que se relacionam com humanos, ou em raríssimos casos, de bruxos meio luz, meio sombra. Ou pelo menos Nathan quer acredita que não é a única aberração da sociedade.

Sua mãe foi uma bruxa da luz muito poderosa, de linhagem nobre e respeitada. Ao contrário de seu pai, que é o bruxo da sombra mais procurado da sociedade. Ele é extremamente poderoso e cruel. Quando encontra um bruxo com um dom que lhe interessa, ele não hesita em matá-lo e comer seu coração, para absorver aquele dom para si.

E eu sempre pensei nos genes de minha mãe e de meu pai se misturando em meu corpo, mas agora acredito que meu corpo é de meu pai, e meu espírito, de minha mãe.

Após o suicídio de sua mãe, sua avó materna assumiu sua guarda, assim como a dos seus três meio irmãos, todos mais velhos. A mais de todos velha, Jessica, foi a única a desprezar o garoto, sempre lhe tratando como um bruxo das sombras e não como seu irmão. Ela fazia questão de lhe causar sofrimento e reafirmava, sempre que podia, que ele era o culpado pela morte de sua mãe. A sociedade lhe tratava com escárnio, como se ele fosse contagioso. Mas isso não era o suficiente e o Conselho decidiu 'interferir' em sua vida sob a prerrogativa de estar protegendo sua sociedade. Suas medidas restringiam-no cada vez mais, até que não lhe restasse alternativas, a não ser fazer o que eles desejavam.

Uma sociedade hipócrita, que divide o bem e o mal como se não houvesse um meio termo. Um Conselho cruel que pauta suas atividades no bem maior, sem se importar com o sofrimento alheio. Uma cultura soberba de superioridade, mas a verdade é que todos são assassinos. O que muda entre Luz e Sombra são as justificativas para as mortes que cometem.

É o modo como pensa e age que mostra quem você é. Você não é mau, Nathan. Nada em você é mau. Vai ter um dom poderoso, todos podemos ver isso, mas é como vai usá-lo que vai mostrar se você é mau ou bom.

O livro é curto e se desenrola contanto a vida de Nathan. Sally Green inicia o livro de maneira inusitada, começando pelo meio, para depois voltar no inicio e dai seguir rumo ao desfecho do livro. Por sinal, esse desfecho me deixou extremamente curiosa para ler a continuação, que foi lançamento de agosto da editora!

Sendo o primeiro de uma trilogia, achei ele razoavelmente equilibrado entre a ação e as informações, mas a história não anda muito. A incógnita do livro é saber se ele irá conseguir e como ele conseguirá seus três presentes e o sangue de seus ancestrais ao completar dezessete anos. Esse é um ritual de passagem, onde o adolescente recebe seu dom e se transforma em um bruxo de verdade.

Gostei dos personagens apresentados e da forma como eles compõe a trama. A passagem de tempo no livro é grande, por isso vemos muitas modificações no jeito de agir e pensar do protagonista, mas os personagem que mais despertou minha curiosidade foi Marcus, pai do menino.

O mais legal em sentir ódio é que ele elimina todo o resto de modo que nada mais importa.

O livro é estruturado em seis partes e seus capítulos variam entre curtos e medianos, com uma diagramação simples e funcional. A capa é linda, em soft touch e representa bem as duas linhagens de bruxos. O título foi mantido em inglês e, no meu ponto de vista, foi uma sacada inteligente da editora. Uma tradução poderia fazer os títulos perder a graça (em tradução livre seria Meio Ruim) e até acabar com a lógica dos títulos da série. Para quem gosta de contos complementares, Half Lies (Meias Mentiras) foi liberado em meio digital pela editora e é antecessor a essa história. Ele é narrado em forma de diário e tem como protagonista a irmã de Gabriel, um dos personagens desse livro. Pelo que entendi, vamos conhecer mais sobre a sociedade bruxa e seus conflitos.

Ainda não encontrei um livro com temática bruxa que supere minhas expectativas, mas essa série está num ótimo caminho...

9 comentários

  1. oiii,

    Gostei mesmo da sua resenha, apesar de não me atrair muito por fantasia, esse livro me chamou a atenção, gostei da sua resenha, parabéns, bem provavel que eu leia ele.

    Beijos
    http://booksandcarpediem.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Dreeh! Minha amiga leu esse livro e não gostou muito, contudo, eu ainda estou muito interessada. Essa capa é linda, e a história me chamou a atenção. Também gosto quando mantém o titulo em inglês, no caso de em português não soar bem ou estragar a impressão que temos do livro. Ultimamente tenho lido muitas fantasias com bruxos e estou gostando da experiência. Então espero gostar desse também, ainda mais pq tem continuação e eu adoroooo series hehe. Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Oiii Dre,

    Eu confesso que não tenho o costume de ler livros nessa tematica,só a série beautiful creatures que curti mas mesmo assim, não é nada demais. SEMPRE sonhei em acordar com 16/17 anos e ser uma bruxa hUSHAUSHAUSHUAH. Mas nunca aconteceu.
    Achei legal o fato de mesmo ser o primeiro livro e o autor trazer bons elementos, normalmente é algo mais raso né?

    Não estou começando séries no momento, mas comecei a ver essa com outros olhos ;0

    Beijinhos,
    entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  4. Oie
    Gostei da sua resenha, to com esse livro parado aqui em casa. Acho que ele vai passar da pilah do pó para a pilha de próximas leituras.

    bju

    ResponderExcluir
  5. Oi, Dreeh! Eu não sou muito ligada em livros de bruxos e tal mas esse até que teve algo que despertou minha curiosidade. Não sei exatamente se foi a capa ou titulo, que eu achei bem legal mesmo a editora mante-lo no idioma original. Fiquei curiosa para saber como sera o ritual de passagem de Nathan e se ele sera um bruxo da lux ou das sombras. Beijos.
    Blog Estilhaçando Livros

    ResponderExcluir
  6. Oi Andressa, não conhecia esse livro, mas a premissa me interessou depois de ler sua resenha. Parece ser o tipo de livro que gosto. Acredito que eu tbm gostaria mais do pai do protagonista, mas agora estou curiosa para saber como os pais do garoto acabaram se envolvendo, será que foi algo forçado ou ouve sentimento? vou procurar saber mais, obrigada pela dica!

    ResponderExcluir
  7. Quando você disse que Half Lies foi liberado em meio digital achei que seria gratuito e pensei em conhecer a série por ele pra decidir se compro, aí cliquei no link, vi que tinha que comprar esse também e desisti por enquanto... hehe... Achei interessante, e gosto de histórias de bruxos, mas vou esperar um pouco mais para decidir embarcar ou não na série. Achei diferente isso de começar a história pelo meio, espero não estranhar isso, principalmente pelo livro ter uma grande passagem de tempo. Amo capas em soft touch e realmente foi ótimo a editora ter mantido o título em inglês.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  8. Oi, Dreeh, sua linda, tudo bem
    Eu já vi esse livro, ele é lindo, capa e contracapa , uma branca e outra preta, perfeito!!!! Ótima ideia que a editora teve. Nossa, como as pessoas podem ser cruéis!!! Recentemente li um livro assim também, em que o bem o mal, na verdade agiam da mesma forma, só tinham discursos diferentes, eu fico impressionada com isso!!!! Tenho certeza de que irei gostar desse livro, ainda mais sendo de bruxos e magias!!!!
    sua resenha ficou ótima!!!!!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi flor...
    Eu curto histórias de bruxas e confesso que estava meio chateada com algumas histórias defasadas, que me faziam desistir só de ler a sinopse... mas devo dizer que essa história despertou a minha curiosidade.... não leria nesse momento por falta de dindin.... mas ele ficará na minha lista... eu achei essa descrição: "Uma sociedade hipócrita, que divide o bem e o mal como se não houvesse um meio termo. Um Conselho cruel que pauta suas atividades no bem maior, sem se importar com o sofrimento alheio. Uma cultura soberba de superioridade, mas a verdade é que todos são assassinos. O que muda entre Luz e Sombra são as justificativas para as mortes que cometem." perfeita... nossa e foi isso que mais me atraiu pela leitura... na verdade a sociedade tende só a piorar a situação das pessoas e como os bruxos não seria diferente... sempre vai ter um que vai levar a culpa por algo que a principio na foi culpa dele.. adorei a sua resenha... Xero!!!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir


Mais que Livros - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥