17 setembro 2014

Resenha - Passarinho, Crystal Chan

O avô de Joia parou de falar no dia em que matou o irmão dela. O menino se chamava John, e achava que tinha asas. Subia e saltava do alto de qualquer coisa, até ganhar do avô o apelido de Passarinho. Joia não teve a chance de conhecê-lo, pois Passarinho se jogou do penhasco bem no dia em que ela nasceu. Ainda assim, por muito tempo ela viveu à sombra de suas asas. Agora, aos doze anos, Joia mora em uma casa tomada por silêncio e segredos. Os pais culpam o avô pela tragédia do passado, atribuem a ele a má sorte da família. Joia tem certeza de que nunca será tão amada quanto o irmão, até que ela conhece um garoto misterioso no alto de uma árvore. Um garoto que também se chama John. O avô está convencido de que esse novo amigo é um duppy — um espírito maldoso —, mas Joia sabe que isso não é verdade. E talvez em John esteja a chave para quebrar a maldição que recaiu sobre sua família desde que Passarinho morreu.

SÉRIE: Passarinho
AUTOR: Crystal Chan
EDITORA: Intrínseca



EDIÇÃO: 2014
CONCEITO:  5 estrelas



PÁGINAS: 224
ADQUIRA: Saraiva  |Submarino |Americanas
Adicione no  SKOOB


Esse livro foi uma grande surpresa para mim, confesso que quando recebi meu exemplar, não imagina quão grandiosa seria a emoção em ver o mundo através dos olhos de uma menina tão jovem que já nasceu e cresceu a sombra de um irmão já morto, que levou consigo todo amor, carinho e atenção que deveriam ter sido destinados a ela.

Narrado em primeira pessoa, o livro conta a história de Joia, uma menina de 12 anos que chegou ao mundo no mesmo dia em que seu irmão John, apelidado de Passarinho, pelo avô, pulou de um penhasco achando que podia voar. Desde a morte de John, seu avô não fala uma única palavra, e sua família parece absorta em uma tristeza e silêncio sem fim.

Sempre vejo filmes em que as crianças ganham grandes festas de aniversário, com música, chapeuzinhos, presentes enormes e até mesmo pôneis, e imagino que seria legal ter uma festa assim. Especialmente com pôneis. Pelo menos uma vez. No entanto, sempre tenho que dividir meu dia especial com o silêncio atrás da porta do vovô, com o silêncio no cemitério e com o silêncio que pesa entre as palavras dos meus pais. (pág. 8)

Mesmo com tais problemas, Joia lida com o silêncio e a distância de sua família de uma forma bem peculiar. E para suportar tanta solidão e tristeza, ela encontra refúgio no mesmo penhasco em que seu irmão pulou. E durante suas idas e vindas ao penhasco, Joia conhece John, um menino que possui o mesmo nome de seu irmão e com quem ela sente que pode finalmente dividir sua dor, seus segredos e suas frustações.

Em todo caso, eu não contaria sobre minhas visitas ao penhasco, porque os adultos não ouvem o que as crianças tem a dizer. Não de verdade. (pág. 9)

 A amizade entre Joia e John é um ponto forte da história, e podemos acompanhar como John e sua visão de vida é capaz de fazer Joia entender que alguns sentimentos precisam ser lançados para fora, antes que eles nos sufoquem e nos levem para uma vida de amargura. Outra coisa importante foi a mudança no relacionamento entre Joia e vovô, que aconteceu quando menos se esperava, mas de uma forma tão doce e emocionante, deixando o leitor completamente encantado.  

Não gosto de chorar na frente das pessoas, porque isso revela os buracos que temos por dentro. Acho que, com tanto choro nos últimos dias, eu tinha mais buracos do que pensava. (pág. 181)

O livro passa a visão de uma menina ingênua, inteligente e que ao mesmo tempo está "gritando a plenos pulmões" por atenção. É surpreendente ver como a autora conseguiu construir uma personagem com ideias e pensamentos que realmente temos na infância. Eu particularmente me enxerguei em diversos momentos através de Joia, e chorei de angustia e frustração em diversos outros.

Quando algo que você ama é tomado de você, as palavras são inúteis. (pág. 159)

Indico o livro para quem gosta de uma leitura com um enredo tocante e sensível. Tenho certeza que esse livro deixará muitos leitores encantados.

- - - - -
Essa postagem está participando do TOP COMENTARISTA,
Veja como participar aqui.

24 comentários

  1. Oi, :)

    Nunca tinha lido nada sobre esse livro, mas, nossa *-*
    Parece ser extremamente tocante e emocionante, daqueles que não dá pra não se envolver. E ver o mundo e essa história através dos olhos dessa menina, também deve ser incrível *-*

    Beijos!

    Conheça meu Top 5 - Melhores Leituras (Janeiro à Agosto): http://letraseternasdayane.blogspot.com.br/2014/09/top-5-melhores-leituras-do-ano.html

    ResponderExcluir
  2. Olá.
    Achei o enredo um pouco viajado, mas é só a minha opinião, não li a obra e não sei se mudaria de opinião depois de lê-la, ,as se dependesse somente da sinopse provavelmente não me chamaria a atenção.

    Beijos


    Raíssa Martins - O Outro Lado da Raposa
    Facebook
    Twitter

    ResponderExcluir
  3. "Os adultos não ouvem o que as crianças tem a dizer."
    É uma bela historia que deve envolver fácil o leitor nessa onda emocional forte, será mesmo o espirito do irmão? E me lembrou suicídios, mas é diferente pela razão que a criança faz isso, tenta voar para se libertar como ver nos pássaros, mas acredito que não sabia o que o esperava, uma tragedia que deixou muitos culpados. Deve ser bonita a forma que John tenta fazer as magoas de Joia irem embora. "Não gosto de chorar na frente das pessoas" eu também não, não mesmo.
    Fro_thielly@hotmail.com

    ResponderExcluir
  4. Eu gostei muito da sinopse, achei que ela já passa a emoção que o livro tem.
    A história parece ser muito linda e muito triste. Ter amor negado dos pais é uma coisa horrivel.
    Eu amei a capa, achei muito linda mesmo!
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Olha eu sinceramente tenho que confessar que amei a sua resenha desse livro.
    Até então ele nunca tinha me chamado atenção pela por conta da capa acredita?
    Mas depois de ler sua resenha com atenção e ver o seu ponto de vista, acabei me interessante pela história, porque é sempre bom ter livros assim que nos fazem refletir sobre as nossas amizades e também sobre a perda. Enfim...Eu ainda não conheço a história. É a primeira vez que estou lendo a resenha do livro e sinceramente vou colocar na minha lista de desejados, porque eu sinceramente adorei. PARABÉNS =]]

    Olha linda eu estou seguindo o seu blog
    poderia me retribuir também?
    Espero que possamos ser boas amigas
    Se cuida

    lovereadmybooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oiee.
    Confesso que não conhecia nada sobre esse livro, e lendo a sinopse de cara não quis ler. Apesar de sua resenha ter me deixado curiosa sinto que ainda falta algo que faça despertar em mim aquela vontade alucinante de lê-lo, coisa que não aconteceu, então, esse vai ficar em suspenso, talvez um dia eu o leia.
    Bjokas!

    ResponderExcluir
  7. Ai, Gláucia, que resenha linda! Eu tô de olho nesse bichinho desde a Turnê Intrínseca, quando a capa ainda era Bird. Adooooro livros com protagonistas juvenis justamente por nos fazer relembrar essa época de nossas vidas e nos dar outra visão como adultos. Imagino o peso que Joia carrega pela desestrutura familiar, e fiquei curiosa pra saber o que esse John é.
    Beijinhos!
    Giulia - www.prazermechamolivro.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Glaucia! Eu tenho muita vontade de ler este livro, sempre vejo ótimos comentários sobre ele e estou animada. Adoro histórias que tenham crianças como protagonistas, tendem a ser muito comoventes e sinceras,


    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  9. Oiee Glaucia =)
    pelo que li da tua resenha, esse é um dos livros que merece vim com lencinho, principalmente se for eu a pessoa que irá ler, pois sou manteiga e choro mesmo, acredito que esse livro vá tocar bastante comigo, já me senti tocada com tuas palavras, espero ter a oportunidade de ler logo, gosto de livros puxado por infanto juvenil como parece ser o caso desse.
    Beliscões da Máh <3

    Blog | Twitter ||Instagram

    ResponderExcluir
  10. Olha Glaucia eu já havia visto esse livro e deve ser bem tocante essa história, uma menina nova pedindo atenção já sabendo a dor da perda de um irmão que são laços fortes . Sei que irei ler e chorar vai me toar . Logo quero ler e me emocionar com essa leitura beijos lindona

    ResponderExcluir
  11. Oie...eu fiquei com muita vontade de ler o livro,,,parece ser encantador!!
    já entrou para minha listinha...rss

    ResponderExcluir
  12. Oii,

    Nossa, realmente a história parece incrivel. Imagino a barra que a Joia teve lidar :(
    Quero ler o livro, espero me emocionar ;)

    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  13. Oii, já tenho o livro nas minhas futuras leituras. A história é de uma sensibilidade que me encanta, quero muito descobrir mais sobre esse John que proporciona momentos que não são de solidão para a Joia.
    Beijos
    Blog: Porão da Liesel
    Página no Facebook

    ResponderExcluir
  14. Oii Glaucia, não conhecia esse livro, mas definitivamente já entrou para minha lista de desejados... esse é o único problema em ler resenhas, minha lista não para de aumentar, e eu não tenho dinheiro para comprar todos os livros que desejo... rsrs.

    Enfim, amei sua resenha e a capa desse livro, que está perfeita. Parece ser uma leitura super sensível e tocante. Imagino como a vida deve ter sido difícil para a Joia tendo que viver a sombra de um irmão morto, nunca se sentindo realmente amada por causa dessa tragédia. Achei interessante essa coincidência entre os John e a amizade que os dois vão firmar... fiquei curiosa quanto ao momento em que o relacionamento entre Joia e o avô mudou.

    Gosto quando o livro é escrito sob o ponto de vista de criança... acho que traz toda a inocência dessa idade a trama (lógico se o autor souber se expressar bem) e torna tudo mais doce.

    Adorei a resenha!!

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  15. Olá

    Achei a capa maravilhosa e também curti a premissa. Eu sempre quis ter tido um avô mas infelizmente nasci quando os dois haviam morrido. Acredito que se eu ler um livro como esse iria acabar me emocionando sem querer, principalmente porque as vezes me pego imaginando como seria se o pai da minha mãe tivesse convivido comigo, por saber de algumas coisas que me contam dele. Anotei a dica mesmo assim, parece interessante.

    Abraço!
    www.umomt.com

    ResponderExcluir
  16. Olá.
    Esse livro estava em minha lista de leituras, aliás, ainda está, só não solicitei a editora porque tinha acabado de ler Claros Sinais de Loucura, e não queria pegar um livro com enredo 'semelhante'. Mas confesso que estou um pouco arrependido e quero ler esse livro agora mesmo. Como você disse, ele deve ser mesmo tocante e acho que é um livro que passa boas mensagens e ensinamentos.
    Parabéns pela resenha.

    Att,
    decaranasletras.blospot.com

    ResponderExcluir
  17. Ao contrário de você, Glaucia, eu estou com uma expectativa enorme para o livro, já vi muitas resenhas e a sinopse ma chamou demais atenção.

    O que mais me chamou atenção mesmo foi a Joia, pensei que isso dela trazer o peso da morte do irmão deve ser muito forte.

    Com certeza sua resenah só reafirmou que preciso ler Passarinho.

    ResponderExcluir
  18. Oiii
    Desde que vi esse livro na turnê Intrínseca, fiquei com muita vontade de ler. A história é muito interessante e acho que também iria me enxergar em certos momentos em Joia.
    Espero lê-lo em breve!
    Beijos
    http://www.sacudindoaspalavras.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Que coisa mais triste crescer à sombra de um irmão já morto, que levou com ele todo o amor que ela deveria receber! Acho que também não vou escapar de chorar de angústia e frustração, mas amo enredos sensíveis e tocantes, então com certeza vou querer ler!

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  20. Não conhecia o livro, mas agora estou louca ora conhecer, pousada parece ser um livro bem profundo e tocante .
    E essa capa é tão perfeita *-----*

    ResponderExcluir
  21. Essa é a segunda resenha que leio de Passarinho hoje e me envolvi bastante com a história. Gosto da visão das crianças das coisas e gosto de histórias que trazem ensinamentos, reflexões, gosto de ficar pensando sobre a história vários dias depois de ler.

    ResponderExcluir
  22. Minha Nossa, que livro tão sensível e emocional e super lindo. Acho que não tenho palavras para descrever o quanto que eu gostei dele, mas nesse momento eu vou guarda-lo para primeiro eu me preparar psicologicamente porque sei que vai me arrancar varias lagrimas.

    Abçs :)

    ResponderExcluir
  23. Desde o inicio da resenha essa historia me cativou bastante... Não costumo ler algo nesse gênero, mas esse me intrigou ao mostrar toda a história por trás... O fato de ser narrado por uma criança me interessou bastante... Parece ser bem tocante mesmo... Vou procurar esse livro pra ler...
    Kisses =*

    ResponderExcluir
  24. Parece ser um livro que conta coisas que todos nós já vivemos, ou estamos vivendo... Essa frase marcou para mim, pois concordo plenamente e eu também não gosto de chorar na frente das pessoas.
    "Não gosto de chorar na frente das pessoas, porque isso revela os buracos que temos por dentro"

    ResponderExcluir


Mais que Livros - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥