25 maio 2015

Clube Da Liga - Red Hill, Jamie McGiure

As filhas de Scarlet estavam à uma hora de distância do pai no dia em que o mundo acabou. Nate, um recente pai solteiro, está tentando encontrar um lugar seguro para ele e sua filha a fim de superar o horror em torno deles. Miranda, uma jovem universitária, luta através da rodovia congestionada com sua irmã e seus namorados para chegar no rancho isolado de seu pai. Red Hill é um intenso New Adult dramático, contado a partir da visão de cada um dos personagens e de como eles lutam para sobreviver e, finalmente, encontrar o caminho para o outro.

SÉRIE: Red Hill #1
AUTOR: Jamie McGiure
EDITORA: Verus
EDIÇÃO: 2015
CONCEITO: 4 estrelas
PÁGINAS: 350
ADQUIRA: Saraiva | Submarino | Buscapé
Adicione no SKOOB



Sabem porque histórias de epidemias apocalípticas me assustam? Porque elas podem ser reais e Jamie McGiure escreveu Red Hill de uma forma assustadoramente realista.

Tudo começa devagar. um cientista faz um experimento louco, a mídia anuncia um vírus que atacou determinada cidade... as pessoas continuam seguindo suas vidas normalmente até que surgem casos estranhos de violência como um filho decepar o dedo da mãe ou aguem aparentemente morto recobrando a consciência. Ainda assim a maioria das pessoas se recusa a acreditar. Afinal de contas... Apocalipse zumbi? Quem acreditaria nisso? Até que não há mais em que acreditar ou não. A cidade está um caos, a policia não consegue controlar e tudo que resta aos sobreviventes é encontrar um abrigo forte o suficiente para sentar se isolar. Tentar sobreviver.

Se algo em relação a isso tudo fosse como nos filmes, a vida agora seria vivida entre experiências de quase morte.

É nesse caos que conhecemos nossos protagonistas Scarlet, Natan e Miranda. Apesar de todos estarem em busca da sobrevivência e, de alguma forma, seguindo em direção ao racho, podemos dizer que o livro começa contanto três histórias distintas. Isso é possível pela forma como a história foi contada. Os capítulos são narrados e intercalados pelos três principais, mas isso não significa que eles estejam na mesma linha do tempo. Se um capitulo termina a noite, o outro pode começar de dia e um encontro pode ser contado por dois personagens com vários e vários capítulos de distancia. Eu demorei a entender isso, mas depois que peguei o jeito passei a gostar dessa nova forma de narrar. 

Por ser do gênero New Adult, o foco da narrativa está nos dilemas de cada um e nesse quesito o que mais me encantou foram os da Miranda, talvez pela proximidade com a minha realidade. Ela é universitária, tem um namorado da vida toda e várias frustrações em relação a sua família. Seus problemas giram em torno disso, enquanto os outros protagonistas são pais e, obviamente, seu mundo gira em torno dos seus pequenos. Entre eles, meu preferido foi o Natan. A filha dele tem uns cinco anos e não reage ao mundo como a maioria de nós. Eu gostei da normalidade com a qual a autora abordou o tema, mas por outro lado, gostaria de ter mais informações! O que implicaria em uma abordagem mais direta e menos delicada.

Sobre a Scarlet... não posso dizer que entendo toda sua determinação, me parece algo que só uma mãe poderia sentir. Suas filhas estavam na cidade vizinha para passar o final de semana com o pai. Quando acontece toda a comoção, ela faz de tudo para encontrar as filhas. Vai onde elas poderiam estar, deixa mensagens para direcioná-las... Entendo o desejo de ter as filhas por perto, mas depois do meio do livro comecei a me perguntar se aconteceria assim na vida real. Não ficou forçado, mas depois de certo tempo, seria fácil se distrair com as coisas boas que estavam acontecendo por perto.

Eu não podia lidar com isso se não estivesse com elas. Eu precisava ver Jenna revirar os olhos para mim outra vez e que Halle me interrompesse. Elas precisavam que eu lhes dissesse que ficaria tudo bem. Nós não conseguiríamos sobreviver ao fim do mundo sem estar juntas.

Essa pode ser a primeira história do gênero que leio, mas não é a primeira que acompanho alguém aqui nunca assistiu The Walking Dead?. Meu problema com elas é sempre o mesmo: me apego aos personagens errados. O ambiente é volátil, as pessoas estão constantemente entrando em combates corpo a corpo... mortes são comuns e até esperadas. Mas não precisava ser sempre com meus personagens preferidos... Achei que a Jamie foi corajosa e covarde ao mesmo tempo. Corajosa e meio louca por matar tantos personagens importantes e covarde por ter escolhido matá-los ao invés de solucionar os seus dilemas. Fiquei bem chateada com isso... Eu quero os embates, as conclusões, mas enfim... A autora pecou no final, mas ninguém é perfeito né?

Dessa vez não participei ativamente a discussão no grupo. Fui uma das primeiras a terminar, então fiquei com medo de soltar algum spoiler sem querer, além disso, ando meio off por conta do problema com os óculos. Mas sei que todos concordaram que o final foi totalmente exagerado da parte da autora. Aconteceu assim: o livro começou a 220v, depois diminuiu o ritmo e nos últimos capítulos acelerou novamente! Talvez se todos aqueles fatos tivessem sido diluídos ao longo do livro, talvez não tivesse sido frustrante.

Para quem já leo Belo Desastre, não é difícil reconhecer a escrita fluida e convidativa da autora. Como um bom NA, o foco esta nos dilemas de cada personagem. Eles podem estar no fim do mundo, mas seus problemas continuam mundanos e corriqueiros como romances, família e auto descobrimento. Descobri hoje que tem uma continuação, um spin off na verdade, que se chama Among Monsters. Se você tiver interesse no livro recomendo que não leia a sinopse dele pois é o maior spoiler que me lembro deter visto.

Red Hill não foi perfeito, mas a leitura é total valida e recomendada. Só vá preparada para um final avassalador e cheio de interrogações.



O Clube do Livro da Liga é formado por amigos que resolveram arriscar uma leitura coletiva e se surpreenderam com a interação que foi proporcionada. Temos muitos gostos e ideias em comum, além de muitas discussões e risadas. Ninguém nunca irá nos entender, ainda bem.  Os blogs: Este Já Li | Leitora Viciada | Leituras da Paty | Livros e Chocolate | Mais que Livros | Meus Livros Meu Mundo |  MoonLight Books | Prazer, Me Chamo Livro | SA Revista | Segredos Entre Amigas | Seguindo o Coelho Branco | Todas as Coisas do Meu Mundo  

11 comentários

  1. oi flor, que mudança de enredo da Jamie, em Belo desastre um romance avassalador e em Red Hill uma trama apocalitica com zumbis e tudo mais! acho a proposta interessante e dinâmica, muito atrativa, mas não creio que fluiria para mim, essa coisa de zumbis e tal me deixa receosa, como sempre torço o nariz para esses elementos não creio que ia me aventurar
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Andressa!
    Haha, mais um que já está na minha listinha de desejados. Eu baixei em ebook porque o achei a sinopse um tanto como chamativa e misteriosa, e acabou aguçando minha curiosidade para descobrir mais. Embora a temática central, meio suspense, não faça meu tipo, a Jamie é excelentemente comentada pelos blogs, e o enredo desse também tem um toque meio distopico, o que com certeza já garantiu minha vontade de ler. Já quero muito *-* Zumbi não é minha criatura favorita, mas pelo que você falou, parece que este não é o central de toda a trama.

    Abraços
    David Andrade
    http://www.olimpicoliterario.com/

    ResponderExcluir
  3. Ola Dressa confesso que livros de Zumbi não são meu forte, mesmo porque a autora tem que trabalhar muito bem a trama para envolver e usar a imaginação do leitor. A premissa do livro em si não me chamou atenção, a capa está muito linda. A autora diversificou bem o tema de seus livros. No momento vou deixar passar a leitura. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Dreeh primeiro sem querer ser chata, há alguns erros ao longo da resenha, dá uma revisada pq tá bem acentuado. Agora quanto ao livro, vamos lá! Primeiro gostei de saber que a autora trás as coisas de forma realista e que nada acontece de repente, isso dá substância a história e não parece algo jogado aos ventos. Pelo que li da narração acho que não iria curtir, isso me faria ficar bem confusa pq teria que me condicionar e me adaptar ao tempo a cada paragrafo e isso é bem chato. E para piorar não gostei muito de Belo Desastre então peguei implicância com a autora. Acho que não leria essa nova série/trilogia (?) mas acredito que seja um prato cheio para os leitores que gostam da autora!

    ResponderExcluir
  5. Oi dressa tudo bem
    Eu gosto muito de leituras que tem zumbis srsrs imagino o quanto essas garotas sofreram no decorrer da história, fiquei doidaa pra ler o livro e viajar no enrredo
    Um abraço

    ResponderExcluir
  6. Hey Dreh, tudo bem?

    Eu nunca vi TWD HAHAHAHAHA Por incrível que pareça, vi o primeiro epi só e abandonei, não curti muito a premissa nem os personagens. Mas enfim, gostei muito da premissa de Red Hill, mas confesso que não tinha visto que é da mesma autora de Belo Desastre, por isso, TÔ CORRENDO! hahahahahhaa Odeio o livro mencionado e não gosto muito dos personagens que a autora cria, então acho que não vou dar nem uma chance para Red Hill. A capa pelo menos é chamativa e a temática interessante, mas não, obrigado HAHAHAHA

    Abraços,
    Matheus Braga
    Vida de Leitor - http://vidadeleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi Dreeh, tudo bem?

    Eu gosto de mundo pós apocalíptico e tenho interesse em ler Red Hill, porque gosto da escrita da autora. Apesar de saber de suas ressalvas, eu ainda quero ler pois tenho curiosade em saber como a autora conduziu a história. Em suma, parabéns pela resenha.

    Beijos
    Leitora sempre

    ResponderExcluir
  8. OI Dreeh, tudo bem?

    Eu tenho vontade de dar uma nova chance para a autora, já que eu não curti Belo Desastre. Mas, com certeza não seria com Red Hill porque não curto essa história de zumbis e tudo o mais. Quem sabe em um próximo lançamento?!

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  9. Ah, não curti nem um pouco isso de escolher matar personagens ao invés de solucionar os dilemas deles não... mas não faz a menor diferença, porque só de ouvir falar em apocalipse zumbi meu estômago já reage, não leria o livro de jeito nenhum. Preferia que a autora tivesse continuado no estilo dos livros anteriores... rs...

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  10. Oii Dreeh, tudo bem? Gostei bastante da sua resenha. Pelo que vi o livro dá um foque maior nas relações entre as pessoas do que no próprio apocalipse zumbi. Bem, esse final parece ser bastante frustante mesmo, e não sei se leria, mas a sua resenha me deixou curiosa.

    E eu nunca assisti The Walking Dead... ahuahsua... fazer o que né! Nunca li e nem vi nada sobre zumbi.

    Beijinhos,

    Rafa // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  11. Olá, Andressa!

    Acredita que eu nunca li Belo Desastre? Nunca chamou a minha atenção. Entretanto, esse livro, sim, parece fazer o meu gênero. Adoro The Walking Dead e todas as outras séries apocalípticas que existem no mundo, hahahah -brinks. O livro pode até não ter sido perfeito, como você disse, mas creio que seja uma leitura totalmente válida, por isso estou incluindo esse título na minha lista de desejados!

    Um abraço,
    Sérgio H.

    www.decaranasletras.blogspot.com

    ResponderExcluir


Mais que Livros - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥