10 junho 2020

Resenha - O Melhor Que Podíamos Fazer, Thi Bui


Livro: O Melhor Que Podíamos Fazer
Autor(a): Thi Bui
Editora: Nemo
Páginas: 136
Adquira: Amazon | Submarino | Cultura | Americanas
Livro cedido através da parceria com a editora

Esta é uma história sobre a busca por um futuro melhor e saudosismo pelo passado. Explorando a angústia da imigração e os efeitos duradouros que o deslocamento tem sobre uma criança, Bui documenta a difícil fuga de sua família após a queda do Vietnã do Sul, na década de 1970, e as dificuldades que enfrentaram para construir uma nova realidade. O melhor que podíamos fazer traz à vida a jornada de Thi Bui em busca de compreensão e fornece inspiração a todos aqueles que anseiam por um futuro melhor enquanto recordam o passado de privações.




Já faziam alguns anos que "O melhor que podíamos fazer" estava na minha lista de desejados. Os elogios eram unânimes a cada resenha lida, mas nada me preparou para a profundidade e delicadeza que encontraria nas páginas dessa graphic novel autobiográfica.


A história se inicia enquanto Thi Bui está em trabalho de parto, prestes a dar à luz ao seu primeiro filho. A responsabilidade de fazer o que for necessário para dar o melhor ao seu primogênito e a família que constituiu, lhe permite pela primeira vez se colocar no lugar de sua própria mãe, e refletir sobre todos os sacrifícios que seus pais precisaram enfrentam antes mesmo da queda do Vietnã do Sul, na década de 1970, quando Thi Bui e sua família fugiram para os Estados Unidos em busca de um futuro melhor.⠀

E é no resgate das memórias do passado de sua família, que Thi Bui encontra sua redenção e entendimento sobre os traumas, medos, frustrações e sonhos que acompanharam seus pais desde a infância e os transformaram nos adultos de hoje. Compreende que proximidade e estar perto são coisas diferentes, e que toda a raiva acumulada em seu peito só a mantinha distante da mulher que a amou incondicionalmente.

Muito mais do que um resgate do passado, O melhor que podíamos fazer fala da relação entre pais e filhos, de conexão, palavras não ditas e empatia. Ler essa GN sem se emocionar ou refletir sobre as expectativas que muitas vezes colocamos em nossos pais, é impossível! Será que somos gratos por cada sacrifício que fizeram e fazem por nós?⠀

Uma obra sensível, dolorosa e ao mesmo tempo repleta de reflexões e ensinamentos. A única certeza que temos nessa vida, é que ela é finita. Por isso ame, com todas as suas forças e da melhor maneira que puder! Abrace mais seus pais, seus filhos, sua família e seus amigos. O que nos imortaliza nesse mundo são nossas ações e o amor daqueles que nos manterão vivos em seus corações.


Nenhum comentário

Postar um comentário


Mais que Livros - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥