24 junho 2015

Resenha - Eu te darei o sol, Jandy Nelson

Eu te darei o sol - Noah e Jude competem pela afeição dos pais, pela atenção do garoto que acabou de se mudar para o bairro e por uma vaga na melhor escola de arte da Califórnia.

Mal-entendidos, ciúmes e uma perda trágica os separaram definitivamente. Trilhando caminhos distintos e vivendo no mesmo espaço, ambos lutam contra dilemas que não têm coragem de revelar a ninguém.

Contado em perspectivas e tempos diferentes, EU TE DAREI O SOL é o livro mais desconcertante de Jandy Nelson. As pessoas mais próximas de nós são as que mais têm o poder de nos machucar.

SÉRIE: Volume Único
AUTOR: Jandy Nelson
EDITORA: Novo Conceito
EDIÇÃO: 2015
CONCEITO: 4 estrelas
PÁGINAS: 384
ADQUIRA: Saraiva | Submarino | Buscapé
Livro cedido através da parceria com a editora
Adicione no SKOOB




Narrado pelo ponto de vista dos gêmeos Noah e Jude Sweetwine em tempos diferentes, Eu te darei o sol, aborda a disputa entre irmãos para conseguir atenção e favoritismo na família e na vida.

A história inicia-se pela visão de Noah aos 13 anos. Fechado dentro de si mesmo, o menino expõe seus sentimentos através de seus desenhos muito bem elaborados. Desde muito novo, Noah já demonstra ser um grande desenhista e sua mente é um turbilhão de traços e cores. Seus desenhos enchem a mãe de orgulho e geram inveja na irmã, mas sem amigos, o garoto se fecha apenas para a arte e para o sonho de fazer parte de uma famosa escola de arte. Mas é com a chegada do novo vizinho, que Noah começa a descobrir não somente como é ter um amigo, mas como é estar apaixonado.

Sempre sei o que se passa na mente da Jude. Não é tão fácil para ela saber o que se passa na minha mente, porque eu tenho persianas mentais e as fecho sempre que acho necessário. Como ultimamente. (pág. 24)

Mudando para o ponto de vista de Jude aos 16 anos, que diferente do irmão gêmeo, tem popularidade, surfa e tem uma turminha que a “idolatra”, conhecemos uma menina cheia de mágoas, dores e arrependimentos. Após a perda da avó, Jude perdeu a pessoa que acreditava mais amá-la no mundo, e desde então, vem seguindo a vida com um livro de superstições deixado pela avó que acredita que irá curá-la de qualquer dor física ou espiritual. Ela não tem o mesmo talento para o desenho como o irmão, pelo contrário, Jude faz esculturas de areia, mas diferente de Noah que acredita no próprio trabalho, Jude é insegura, e acredita estar sempre em segundo plano da vida da mãe.


Em meio a cada ponto de vista, vamos descobrindo como Jude e Noah se completavam e competiam desde a infância, chegando a dividir o mundo, decidindo quem seria dono das árvores, do sol, das estrelas e do oceano. Mas cegos por atenção, Noah e Jude viviam machucando um ao outro. Porém quando um grave acidente acontece, abalando as estruturas da família, é que percebemos um maior declínio na vida dos irmãos. E a dor que deveria uni-los, acaba separando-os ainda mais.

- Certo – diz ela. Árvores, estrelas, oceanos. Tudo bem.
- E o sol, Jude.
-Ah, claro – diz ela, surpreendendo-me completamente. – Eu te darei o sol.
- Tenho praticamente tudo agora! – digo. – Você é louca! (pág. 82)

No decorrer da história vamos descobrindo alguns segredos sobre a família Sweetwine. E percebendo como certos conflitos e mentiras são capazes de destruir sonhos. Em meio a toda a tragédia, Noah e Jude perderam não somente uma pessoa querida, mas o encanto pela vida e pela a arte. Tornaram-se pessoas vazias e solitárias, precisando de ajuda e inspiração para seguir adiante. E enquanto Noah se fechava cada vez mais, não permitindo que Jude ultrapassasse as barreiras criadas por ele. Jude buscava ajuda para esculpir uma nova escultura de pedra que pudesse agradar a mãe.

Às vezes, quando se surfa, você pega uma onda e percebe que está “sem chão”, e de repente, sem aviso, você se vê caindo diante da parede de água.
Sinto-me assim. (pág. 216)

A história de Noah e Jude mostra que a vida é como uma pedra bruta, que precisamos esculpir com cuidado, para chegar em um resultado satisfatório e não permitir que com um simples descuido, tudo construído ao longo do tempo desmorone. Eu te darei o sol me fez compreender que a vida é curta demais para perdermos tempo, preocupados com a análise dos outros. A verdade é que se estamos bem conosco e com aqueles que amamos, não precisamos de muita coisa. E independente do rumo que a vida faça com que as coisas ocorram, algumas pessoas simplesmente foram feitas para estar na nossa história.

Para aqueles que procuram uma história focada em conflitos familiares, descoberta da sexualidade e um pouco de romance. A leitura é mais do que indicada.

Curiosidade:
De acordo com a deadline, a Warner Bros adquiriu os direitos da adaptação cinematográfica do livro. Fonte

20 comentários

  1. Vi em um vlog sobre esse livro e fiquei bem curiosa, adorei a capa e já anotei para uma próxima leitura.

    BeijO :*
    Blog Luanna Ravanelli / Fanpage / Instagram

    ResponderExcluir
  2. Pedi esse livro pra resenha também, mesmo com o pé atrás, porque não gostei do outro livro da autora (abandonei a leitura anos atrás). Tentei começar a ler, mas já me incomodei com a narrativa cheia de metáforas e dei uma pausa pra ler com mais calma, quando não estivesse em época de provas
    Vou ler em breve, mas vou desanimada, mesmo com todos falando bem do livro, já senti que a narrativa não é pra mim, a não ser que mude com o passar das páginas.

    Bjs,
    Andresa
    http://leiturasefofuras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo c vc achei, a narrativa chata e me perdi c tantas idas e voltas q a autora da no tempo. Não consegui passar da metade.

      Excluir
  3. Oooi Glau!

    Eu não conhecia o livro, só vi a capa em alguns blogs mas não conhecia o enredo. Fiquei em choque com ele. Achei muito interessante e fiquei muito feliz em saber da forma como ele foi narrado e construido. essas duas visões no ajuda a manter mais proximos dos personagens.
    Gosto de livros que trazem momentos para nos fazer pensar e refletir sobre tudo.

    Gostei da sua resenha!


    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Gaucia!
    Adoro dramas familiares e quando vi esse livro nos lançamentos da NC fiquei louca por ele. Adorei saber que por trás de toda a história ele ainda nos traz reflexões sobre a brevidade da vida. Fiquei com ainda mais vontade de ler ele! Amei sua resenha.
    Beijos
    Carol
    www.sobrvicioselivros.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Glaucia, tudo bem? Adorei a sua resenha e estava aguardando por uma, e sim, confirmou minhas suspeitas, com certeza é um livro que eu vou gostar... bom, só espero não me decepcionar. Gosto de livros que nos fazem refletir e esse pelo jeito nos faz refletir bastante, a principalmente, aproveitar a vida antes que seja tarde demais. Gosto de personagens complexos, que guardam mais do que deixam aparentar, e dramas familiares.

    Beijinhos,

    Rafa // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  6. Glaucia socorrrooooooooo!!! Tenho ouvido tantas coisas boas desse livro e dessa autora que estou com medo das minhas expectativas. Vou ler ele em breve só estou esperando chegar e espero amar intensamente. Me desculpe mas li sua resenha meio por cima com medo de estragar minha leitura, não por causa de spoiler, mas é que eu evito saber demais sobre uma trama para ser pega de surpresa. Contudo o pouco que li já me deixou curiosa...

    ResponderExcluir
  7. Glaucia lindona o livro é muito mais que a premissa mostra, e gostei dessa intensidade dos personagens e a mensagem que o livro apresenta aos leitores. Tenho certeza que vou gostar da leitura e seus personagens repletos de emoções. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  8. Glaucia, agora to arrependida de não ter pedido esse livro! Gostei muito da sua resenha, não costumo ler livros com conflitos familiares, mas esse parece bem interessante eu recebi o livro de colorir do livro, achei uma graça. Acho que isso de irmãos competirem, quando tem a mesma idade ou idade próxima acaba sendo normal, triste que em alguns casos isso acabe afastando. Principalmente, é bom por ser um livro único, estou um pouco cansada de séries.

    ResponderExcluir
  9. Quando a Dreh comentou que vc não gostou tanto, eu fiquei "cuma?". o.O Será mais um caso de livro que a NC fez um baita marketing e não é lá essas coisas? Apesar de não ter solicitado pra mim, achei interessante a história focar na disputa entre irmãos, dando voz aos 2. Vou esperar mais algumas opiniões pra ver se vale a pena comprar o livro mesmo ou se espero o filme.
    Beijinhos!
    Giulia - www.prazermechamolivro.com

    ResponderExcluir
  10. Olá, Glaucia! Nem preciso comentar o quão sua resenha me deixou curiosa a respeito do livro, não é? Sou aquelas pessoas que namoram muito uma capa antes de ir pesquisar sobre o livro, e esse livro era um desses que eu estava flertando na livraria e tcharan, eis aqui uma resenha. Uma trama com conflitos familiares sempre é uma história que merece ser lida, e eu espero fazê-lo muuuuito em breve!

    Beijos!
    www.cantaremverso.com

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bem?

    Confesso que esse a temática desse livro me deu uma preguizzzzzz. Não gosto de livros que tenham como núcleo central conflitos familiares, pois já vejo isso demais no meu trabalho, então quando vou ler algo prefiro uma fantasia bem diferente que é para fugir da realidade. Acho bacana essa fase de descoberta dos irmãos e essa rivalidade, pois ajuda no crescimento quando feita de forma moderada, mas esse lance de segredos da família e tudo mais, tô fora! HAHAHA

    Abraços,
    Matheus Braga
    Vida de Leitor - http://vidadeleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi Glaucia, tudo bem???
    Nossa menina... que resenha linda... pela capa do livro eu não o compraria de jeito nenhum... não gosto dessa cor... e a capa não me chamou atenção... ultimamente vejo algumas editoras apostando nesse tipo de capa... eu não curto rs... enfim... (após o julgamento do livro pela capa) eu gostei muito da premissa da história... essa falta de atenção da mãe e a disputa entre irmãos é algo sério que precisa ser visto e trabalhado... porque isso causa sofrimento e perdas irreparáveis... a ideia da história me agradou... se o livro cair assim como não quer nada nas minhas mãos eu vou ler com certeza... xero!

    ResponderExcluir
  13. Gostei das lições que o livro te trouxe, felizmente faz tempo que não ligo mais para o que as pessoas pensam sobre a minha vida, isso é problema delas, não meu. Eu sei quem sou, sei no que acredito, e procuro ser fiel aos meus princípios sempre, e assim vou vivendo. É impressionante como as pessoas que foram feitas para fazer parte da nossa história sempre permanecem, não importa o que aconteça. E sim, precisamos esculpir nossa vida com cuidado, porque um descuido pode fazer mesmo tudo desmoronar. Essa será uma das minhas próximas leituras, e acho que vou gostar.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  14. Nossa :o
    Eu recebi o livro, mas ainda não tive tempo de ler. Fiquei com medo de receber spoiler durante a leitura da resenha hahahaha
    Estou com muita vontade de ler o livro agora.
    O que eu mais gosto na leitura são os ensinamentos que aprendemos. Se ele passa uma mensagem boa pra a nossa vida. E pelo que eu vi esse é o livro que eu devo realmente ler!
    Adorei a resenha.
    Bjs

    www.horadaleitur.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Eu já vi muitas resenhas a respeito desse livro, mas não cheguei a me interessar pela leitura. Aposto que o livro traz muitas lições para quem o lê, mas eu passo essa. Conflitos familiares já basta o da minha casa rsrs

    Beijos
    Academia Literária-DF

    ResponderExcluir
  16. Oi Glaucia sua linda, tudo bem
    Fiquei triste, pois eles estão tão preocupados em competir um com o outro que não estão convivendo um com o outro e vão acabar se perdendo, se isolando. Eu não sei bem o contexto em que os conflitos foram inseridos, mas acredito que os pais deveriam ter mais cuidado. Nenhum filho é igual ao outro, e ambos devem ser valorizados e amados pelo o que eles são. Gosto de conflitos familiares, pois sempre acabo me envolvendo com o drama deles e sempre tiro alguma lição para mim. Sua resenha ficou ótima.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Oi Glau, tudo bem?

    Ahh, esse livro não me chamou a atenção. Mas pela sua resenha, até que parece interessante. Gosto de livros com trazem alguma reflexão, um ensinamento bacana. O livro parece ser bem emocionante. Quem sabe mais para frente eu não leio?

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  18. Eu conheci I will give you the sun através de uns blogs americanos, e me encantei DEMAIS com a capa, a Novo Conceito devia ter continuado com ela. Me interessei especialmente porque os videos no youtube que eu vi falavam que abordava a sexualidade do Noah e tudo mais, e é o tipo de livro que venho procurando bastante. Eu não fazia ideia de que ia vir para o Brasil, até minha amiga me mostrar a news da NC. Eu não tenho nenhum livro dessa editora, acredita? UASHDAUSHD Eles não fazem muito meu estilo, tanto que nem sou eu que lido com a parceria deles no meu blog. Mas este livro eu quero muito ler, mas já vou ganhá-lo em inglês de uma amiga que mora no exterior, esperando chegar!

    http://escritoseestorias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Tenho esse livro na estante, mas nunca li, mas depois da resenha vou correr pra ler logo o/

    ResponderExcluir


Mais que Livros - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥