27 julho 2016

Resenha - Romance com o Duque, Tessa Dare


Livro: Romance com o Duque (Castles Ever After #1)
Autor(a): Tessa Dare
Editora: Gutenberg
Páginas: 256
Adquira: Saraiva | Travessa | Livraria Cultura
Livro cedido através da parceria com a editora
Izzy sempre sonhou em viver um conto de fadas. Mas, por ora, ela teria que se contentar com aquela história dramática. A doce Isolde Ophelia Goodnight, filha de um escritor famoso, cresceu cercada por contos de fadas e histórias com finais felizes. Ela acreditava em destino, em sonhos e, principalmente, no amor verdadeiro. Amor como o de Cressida e Ulric, personagens principais do romance de seu pai. Romântica, ela aguardava ansiosamente pelo clímax de sua vida, quando o seu herói apareceria para salvá-la das injustiças do mundo e ela descobriria que um beijo de amor verdadeiro é capaz de curar qualquer ferida. Mas, à medida que foi crescendo e se tornando uma mulher adulta, Izzy percebeu que nenhum daqueles contos eram reais. Ela era um patinho feio que não se tornou um cisne, sapos não viram príncipes, e ninguém da nobreza veio resgatá-la quando ela ficou órfã de mãe e pai e viu todos os seus bens serem transferidos para outra pessoa. Até que sua história tem uma reviravolta: Izzy descobre que herdou um castelo em ruínas, provavelmente abandonado, em uma cidade distante. O que ela não imaginava é que aquele castelo já vinha com um duque.


Izzi Goodnight enxergava sua vida como uma história épica ainda em construção. Os percalços da vida existiam para ela merecesse o seu final feliz, e ele chegaria. Porém os anos foram passando sem que um príncipe encantado ou fada madrinha aparecesse com o prenuncio de um climax. Quando este aconteceu, as coisas ficaram tão ruins que era melhor que a história tivesse acabado antes do fim. Quando seu pai, o famoso escritor dos Contos de Goodnight, faleceu, as poucas poses que tinha foram transferidas para seu parente homem mais próximo. Só que esse primo não nutria qualquer simpatia por ela e, sem nenhum peso na consciência, a jogou na rua sem nada.

Tudo que lhe restava agora era a compaixão os admiradores de seu pai, uma carta que prometia uma herança e a esperança de que tudo acabaria bem.

Quais contos de fada restavam para um mulher comum, empobrecida, de 26 anos e que nunca tinha sido beijada?

Ela não esperava fortunas, o fato de receber uma herança já era por si só uma grande surpresa, mas aquilo? Nem a sua fértil imaginação conseguiria imaginar que seu legado seria um castelo medieval caindo aos pedaços com um duque pouco amistoso dentro. Izzy só queria pouquinho de segurança para o futuros, mas não tinha dinheiro sequer para a próxima refeição, como transformaria aquele amontado de pedras em um lar? E o que fazer com o duque de Rothbury? Ele poderia ser um sem coração fazendo de tudo para que ela fugisse dali, mas ela não arredaria o pé. Tão pouco conseguiria expulsá-lo. Que situação...

A noite tinha caído e Izzy estava presa naquele castelo assombrado e infestado. Nos braços daquele duque torturante, intrigante e malicioso. Ela não sabia o que fazer com ele. Ela nem  mesmo sabia oque fazer consigo mesma.

Eu só me pergunto como essa história teve autorização para chegar à mão dos leitores sem que estampasse um aviso bem grande de 'prepare seu coração'. Castles Ever After é a segunda série de Tessa Dare publicada no Brasil - ambas pela Editora Gutenberg - e embora esse seja meu primeiro contato com ela, já tinha ouvido muitos elogios as suas histórias. Nada me preparou para o que encontrei aqui. Um romance que me deixou inquieta, que fazia meu coração (dis)parar a cada novo embate entre os protagonistas. Se algum livro me conquistou assim no passado, já não me lembro mais. Só sei que Izzi e Ransom ganharam um lugar de honra na minha estante e no meu coração.

Se você ficou com a impressão que Izzi é uma jovem iludida com a fantasia, pode esquecer. Ela é sonhadora sim, mas só porque não abre mão da fé que tem no poder do amor verdadeiro. Acima de tudo, ela é uma batalhadora que faz o melhor que pode com as armas que tem a mão. Como parte integrante das histórias de seu pai, ela se tornou um mito para todos os seus leitores - o que incluía quase toda a população de Londres. O fandom de Contos de Goodnight continuou a lhe seguir mesmo com a interrupção da história e se para sobreviver ela precisa ignorar sua revoltar por aquelas pessoas não a enxergarem como mais do que uma criança de doze anos. Era isso que ela faria.

Ransom foi o único homem que não a tratou com doces e um tapinha nas costas. Ele era rude, fazia de tudo para deixá-la constrangida, mas a encarava como uma mulher e essa experiência era boa demais para que se finda-se tão rápido. Os dois entram em pé de guerra dentro do castelo, mas percebem que precisam um da ajuda do outro - ele porque precisa que alguém leia sua correspondência para entender como seu castelo foi vendido, ela porque ela precisa do dinheiro que lhe foi oferecido para executar esse serviço - e aos poucos a convivência vai derrubando as barreiras que ambos criaram entorno se si.

Era tão estranho a ele, aquele carinho espontâneo. Incompreensível. E por mais que ele desejasse, aquilo o assustava como o capeta. 

Quando menos espera, o leitor está diante de um homem completamente despido de sua carapaça. Não há nenhuma mudança milagrosa de comportamento, apenas o reconhecimento do que a vida o oferecia. Ele se mostrou um serumaninho muito especial, com um ferida extremamente profunda na alma, mas que só precisava de um empurrãozinho para seguir adiante. Eu queria passar horas aqui falando sobre o quanto esse personagem me tocou, mas não seria justo com vocês. Quero que tenham as mesmas surpresas!
Tessa Dare abordou diversos assuntos nesse livro. Nenhuma critica social tão impactante quando em Spindle Cove, mas ainda sim tem muita coisa para debater ali. Entre elas está a autoaceitação. Izzy é o que podemos chamar de normal. Pele clara, corpo mignon, cabelos rebeldes e olhos escuros. Isso não a torna feia, mas sua autoestima é totalmente abalada. Provavelmente ter sido tratada como criança por toda vida adulta a ajudou a criar essa imagem deturpada de si mesma, mas é lindo de ver quando confiança toma conta de suas ações. Há mais dois itens bem interessantes, relacionados a forma como a sociedade enxerga aquilo que lhe é conveniente, mas vou deixá-los em suspense.
Qualquer libertino de respeito tinha dois tipos de mulheres em sua vida: as que ele leva para cama à noite e as que fazem panqueca para ele de manha. Quando ele quisesse as duas coisas da mesma mulher era um sinal de alerta. Um sinal vermelho e grande o bastante que até um cego conseguia enxergar.

O trabalho da Editora Gutenberg foi quase impecável. A capa é linda! Essa modelo, apesar de não ter um cabelo tão rebelde e cacheado, lembra a protagonista e se me contassem que a autora se inspirou nessa imagem para descrever o castelo eu teria acreditado. Só de olhá-lo já lembro de uma ou outra cena, o que me leva a suspiros infinitos. Internamente ele é simples, contando com alguns elementos gráficos bem delicados, e a diagramação é confortável para a leitura. O engraçado é que eles usaram aspas ao invés de travessão e, pela primeira vez, isso não prejudicou minha leitura. Encontrei poucos errinhos de digitação/revisão, mas nada que chegasse a incomodar.

Romance com o Duque foi um das histórias mais lindas que já li, portanto finalizo com um pedido: Leiam!

- - - - -
Postagem válida para o TOP COMENTARISTA, Participe!
Valendo um exemplar de Oníria.

7 comentários

  1. Oi!
    Ainda não tive o prazer de ler nada da autora, mas sempre vejo ótimos comentários sobre suas obras. Gosto muito de romances de época e a premissa desse livro está encantadora. Com certeza adicionado a lista. E lendo sua ótima resenha, mais ansiosa e curiosa fiquei! Obrigada pela bela dica. Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Não conheço o trabalho da autora, mas histórias assim, me prendem muito. Ainda mais quando há tanta emoção na resenha.
    Sou apaixonada por romances de época.Ainda mais quando trazem a protagonista com essa pegada real, sonhadora e guerreira. E um protagonista, real e humano.
    E como sou uma romântica incurável, claro que lerei!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Amo livro de época ♥ Esse enrendo me cativou muito, acho bem interessante falarem sobre os aristocratas e pessoas de camadas média da época, mas sempre fiquei me perguntando se existi um romance de época mas com mulheres de camada mais pobre, seria legal retratar isso e que, não apenas mulheres de alta classe tem a chance de amar e se aventurar, só um desabafo haha =)

    ResponderExcluir
  4. Adorei a resenha do livro, e como nunca li nada da autora, com certeza já vou começar por esse.

    ResponderExcluir
  5. Adorei a resenha!!O livro parece ser tão legal hahaha Colocarei em minha lista de leitura haha ❤️❤️
    http://heartbyheartfic.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Estou doida pra ler esse livro, curto muito um romance de época, amando a série Spindle Cove da Tessa Dare, sua escrita é é excelente e cada resenha que leio dele me deixa ainda mais ansiosa em conferi essa sua nova série.

    ResponderExcluir
  7. Oi Dreeh,
    Como sou apaixonada por romance de época quero muito conhecer à escrita tão elogiada da Tessa Dare. Já estou envolvida com essa história, e esse casal protagonista então? Já me cativou, especialmente essa mulher tão forte. Quero muito me apaixonar por essa história de amor e aceitação, com certeza uma leitura arrebatadora. Adoro as capas dessa série, com o castelo ao fundo.
    Beijos

    ResponderExcluir


Mais que Livros - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥