28 março 2016

Resenha - Um novo amanha, Nora Roberts


Livro: Um novo amanha (A Pousada #1)
Autor(a): Nora Roberts
Editora: Arqueiro
Páginas: 320
Adquira: Saraiva | Submarino | Americanas | Livraria Cultura | Travessa
Livro cedido através da parceria com a editora
A tradicional pousada da cidade de Boonsboro já viveu tempos de guerra e paz, teve diversos donos e até sofreu com rumores de assombrações. Agora ela está sendo totalmente reformada, sob direção dos Montgomerys, que correm para realizar a grande reinauguração dentro do prazo. Beckett, o arquiteto da família, é um charmoso conquistador que passa a maior parte do tempo falando sobre obras, comendo pizza e bebendo cerveja com seus irmãos Ryder e Owen. Atarefado com a pousada, ultimamente nem tem desfrutado de uma vida social decente, mas pretende mudar logo isso para atrair a mulher por quem é apaixonado desde a adolescência. Depois de perder o marido na guerra e retornar para Boonsboro, Clare Brewster leva uma vida tranquila cuidando de sua livraria e dos três filhos. Velha amiga de Beckett, ela volta a se reaproximar dele ao ajudar nos preparativos da pousada. Em meio a essa apaixonante reconstrução, rodeados de amigos, Beckett e Clare passam a se conhecer melhor e começam a vislumbrar um futuro novo e promissor juntos. 


A Construtora Montgomery é comandada a seis mãos. Os três irmãos aprenderam com o pai o amor pela profissão e apesar de cada um ter sua especialidade no negócio, nenhum deles hesita em por a mão na massa quando é preciso. Beckett é o arquiteto, mas também pode ser o marceneiro ou o design. Atualmente, seu projeto principal é quase uma reunião familiar. Junto com os irmãs e a mãe, eles compraram as ruínas da antiga pousada de Boonsboro e a estão reformando. Essa obra está criando uma grande expectativa nos moradores e promete movimentar todo o comércio da cidade.

Era com Clare Murphy que Beckett sonhava desde o ensino médio, mas suas vidas seguiram caminhos diferentes. Clare e Clint, amigo de ambos, tiveram um namoro de longa data e aos dezenove anos eles decidiram se casar simplesmente porque se amavam. Como o marido se tornou militar e precisava se mudar constantemente, ela ficou anos afastada da cidade por anos. Quando retornou. ela estava viúva e gravida do seu terceiro filho. Sua forma de superar a perda foi abrindo um negócio na cidade e dedicando toda a atenção possível a seus pequenos.

Beckett e Clare se reaproximam durante a reforma na pousada e essa pode ser a chance com a qual ele sempre sonhou. Só que a mulher dos seus sonhos não é a mesma pela qual ele se apaixonou anos atrás. Para que de certo, Beckett precisa gostar da nova Clare e mais do que isso, precisa amar seus filhos tanto quanto à ela.

Meu Deus!
Continuou dirigindo. Em toda a sua história com as mulheres, Clare Murphy Brewster era a única que o deixava atordoado e confuso.

É engraçado dizer isso e até meio controverso, mas, mesmo reconhecendo várias características de sua narrativa, sinto como se não tivesse encontrado a autora nesse livro. Simplesmente faltou algo! Para aqueles que não tiveram uma boa primeira experiência com outros livros da Nora, essa pode ser uma boa oportunidade para tentar novamente. Porém essa nuance influenciou minha opinião sobre o livro como um todo. O que não quer dizer que a história me agradou menos que o normal. A história é fluia e gostosa de acompanhar. Previsível, com certeza, mas ainda sim encantadora. A forma como Nora constrói seus personagens e as relações entre eles, sempre é algo que me toca.

Aqui, em particular, a relação que Beckett tenta construir os filhos da Clare foi algo muito lindo de se acompanhar. E isso influenciou diretamente no relacionamento que eles poderiam construir, claro. Esses quatro compartilham alguns momentos juntos e todos foram lindos de se ver. A cena final então...

O que era mais revelador: o fato de medir o tempo pelos pequenos acontecimentos da vida de seus filhos ou o fato de nem sequer pensar em encontros por dois anos?

Quem conhece a autora sabe que ela possui uma pousada na vida real e me peguei imaginando o quanto de sua própria experiência ela não emprestou aos irmãos Montgomery. Foi incrível caminhar pelos corredores daquela casa abandonada e vê-lá se transformando na Pousada Boonsboro. Me senti quase um dos moradores da cidade, só que ao invés de estar curiosa para saber como o imóvel ficaria, eu queria saber que novas aventuras ele traria. E ainda estou!

A história acaba sem que a pousada seja inaugurada, e pelo andar da carruagem é fácil imaginar qual o próximo casal. Depois de um show de decoração, vamos acompanhar de perto o dia a dia da Boonsboro! Assim meu coração não aguenta...

Beckett adorara a ideia da mãe de dar às suítes nomes de casais apaixonados da literatura que tiveram um final feliz. 

A história possui um viés sobrenatural que, ao meu ver, não deveria ter sido tão explorados. No início até fiquei curiosa, porque tem uma ótima ligação com o enredo, e seria um toque mais do que vem vindo se ele tivesse ficado um pouco mais superficial. A interferência disso na reta final do livro me deixou bem incomodada. Ficou forçado. É como se a autora tivesse ficado com preguiça de ligar pontos e dai colocou um sobrenatural no meio que resolveria tudo. Realmente achei desnecessário.

Graficamente, o livro não possui nenhuma novidade para quem já leu a série Quarteto de Noivas. Inclusive cheguei a pensar que todos os livros dela possuíam a mesma diagramação - o que eu ia achar demais! -, mas é quase. Letra capitular, com primeiras palavras no estilo versalete, capítulos sempre iniciando em uma página nova, páginas amareladas e espaçamentos agradáveis. Ainda tem um charmesinho nos inícios de capítulo. Quanto a capa, ela me agrada, mas não chega nem perto do sonho que é a original. Por sinal, já estou me preparando para a decepção com as capas seguintes (para quem não sabe, elas estão definidas e vem na quarta capa do livro). A Editora tentou manter a logica das imagens, mas faltou o romantismo. Aquela conexão com a história. O que é uma pena.

Um novo amanha é uma história tão leve, que é capaz de ser lido em poucas horas. Porém não se engane, não há nada de supérfluo nos assuntos abordados.


- - - - -
Postagem válida para o TOP COMENTARISTA, Participe!
Valendo um exemplar de Quarto.


(Livro que deu origem ao filme O Quarto de Jack)

7 comentários

  1. Estou doida pra ler esse livro, gosto muito da escrita da Nora, é excelente e essa resenha me deixou ainda mais ansiosa em conferi essa história.

    ResponderExcluir
  2. Nunca li nada da Nora, mas só leio elogios sobre a escrita dela. Este livro pelo que vi é um pouco diferente por envolver fatos sobrenaturais, mesmo isto parecendo ter sido meio forçado, fazendo com que parecesse preguiça da autora, como você citou. Gostei muito da resenha.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Sou apaixonada pela Nora... a mesma possui estilos bem diferentes de livros.. tanto que tem três editoras que lançam seus livros... tenho praticamente todos os livros lançados pela Harlequim, Bertrand e agora a arqueiro... muito ansiosa para ler este novo... porém vou aguardar para ler os três juntos ou a ansiedade será pior. Gostei bastante da resenha.

    ResponderExcluir
  4. Dreeh,gosto muito da escrita da Nora e quero muito ler essa série e conhecer a história de amor de cada casal apresentado,estou bastante curiosa para conhecer a história de Beckett e Clare,seu amor desde a adolescência.que bom que apesar da diferença encontrada na obra a leitura continua fluida e gostosa,quero muito conhecer a pousada da história sua descrições lá que a autora tem uma pousada na vida real.Beijinhos!!!

    ResponderExcluir
  5. Olá Andressa,
    Sou suspeita pra falar da Nora, pois sou muito fã da autora. Foi através de seus livros, que foram apresentados a mim na biblioteca municipal da minha cidade, que eu tomei o gosto pela leitura, e desde então nunca mais parei! Adoro os livros da autora, apesar de serem um pouco previsíveis, suas histórias sempre são tão fluidas e, como você citou, gostosa de acompanhar. Sem falar nos personagens que ela cria, sempre me envolvo com eles. Então, é claro que quero ler esse livro, mas acho que vou esperar pelos próximos volumes da trilogia, assim leio de uma só vez. Realmente, as capas originais são lindas, é uma pena que sempre acabam mudando.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Nunca li nada da Nora Roberts, e não é o tipo de livro que costumo ler, mas gostei do enredo e acho que gostaria desse livro e até de outros livros da autora. Quando tiver uma oportunidade pretendo ler.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
  7. Eu não curto muito Nora Roberts normal, então talvez esse que fuja um pouco da escrita da autora e q tem mais sobrenatural fizesse meu estilo, nao sei.

    ResponderExcluir


Mais que Livros - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥