02 agosto 2017

Resenha - A Melodia Feroz, Victoria Schwab


Livro: A Melodia Feroz (Monstros da violência #1)
Autor(a): Victoria Schwab
Editora: Seguinte
Páginas: 384
Adquira: Saraiva | Amazon
Livro cedido através da parceria com a editora
Kate Harker e August Flynn vivem em lados opostos de uma cidade dividida entre Norte e Sul, onde a violência começou a gerar monstros de verdade. Eles são filhos dos líderes desses territórios inimigos e seus objetivos não poderiam ser mais diferentes. Kate sonha em ser tão cruel e impiedosa quanto o pai, que deixa os monstros livres e vende proteção aos humanos. August também quer ser como seu pai: um homem bondoso que defende os inocentes. O problema é que ele é um dos monstros, capaz de roubar a alma das vítimas com apenas uma nota musical. Quando Kate volta à cidade depois de um longo período, August recebe a missão de ficar de olho nela, disfarçado de um garoto comum. Não vai ser fácil para ele esconder sua verdadeira identidade, ainda mais quando uma revolução entre os monstros está prestes a eclodir, obrigando os dois a se unir para conseguir sobreviver.


Há alguns anos, a onda de violência cresceu tanto, que toda vez que essa é praticada, monstros se originavam. Seja uma agressão, um assalto ou atos mais sombrios, que matavam muitas pessoas de uma única vez: tudo era motivo para os monstros nascerem e a partir daí o mundo começou a se devastar.

Existem três tipos de monstros:  os Malchais, que se alimentam de sangue; os Corsais, que são criaturas brutais e alimentam-se de carne e ossos; e, por fim, os Sunais, que são criaturas raras. Com uma aparência praticamente humana, os Sunais  se alimentam da alma de pecadores e para cometer tal ato, apenas precisam tocar uma melodia.

Muitos humanos são monstros. E muitos monstros sabem se passar por humanos.

A Cidade V é nosso cenário principal. Ela foi dividida entre Norte e Sul, após uma trégua ter sido estabelecida entre Harker e Flynn. Carlum Harker é um homem completamente sem princípios, que uniu-se aos Malchais para vender proteção aos moradores e ficar cada vez mais rico, alimentando-se do medo de seu povo.

Já Henry Flynn luta pelos ideais da população e quer acabar com as criaturas da noite. Os únicos três Sunais conhecidos são seus aliados e ele os trata como filhos. Com a trégua ficando cada vez mais difícil de ser mantida, Henry sabe que uma nova guerra se aproxima e precisará de todas as suas armas se quiser vencê-la.

Katherine Harker é a única filha de Callum e está de volta à Cidade V para provar ao pai que pode substituí-lo no comando da cidade. Sabendo do retorno da garota, Flynn coloca um de seus Sunais, August, no encalço dela, pois sabe que Kate pode ser uma peça fundamental na guerra que se aproxima e tê-la ao seu lado, seja como aliada ou como barganha, será muito útil.

Kate e August deveriam ser rivais, mas o destino faz com que eles se tornem aliados. Esses dois mundos opostos se chocam e os  laços criados se estreitam cada vez mais. Todavia, essa aproximação pode não ser a melhor coisa para impedir a guerra e vai mudar todos os planos. Se quiserem continuar vivos, os dois precisarão se libertar de suas amarras e de tudo aquilo que acreditavam. Será que vai ser fácil assim? Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler!

Quando alguém aperta um gatilho, dispara uma bomba, faz um ônibus cheio de turistas cair da ponte, o resultado não são apenas escombros e cadáveres. Existe outra coisa. Algo mau. Uma consequência. Uma repercussão. Uma reação a todo o ódio, dor e morte. 

Quando a Cia das Letras colocou A Melodia Feroz à disposição para solicitação, fiquei bem intrigada. A sinopse me chamou muita atenção e a autora, da qual já tinha lido A Guardiã de Histórias, vem se destacando cada vez mais blogosfera afora. Então, quando meu exemplar chegou, resolvi passá-lo na frente de todas as minhas outras leituras. E não me arrependi nem um pouco da decisão.

O início da trama, confesso, foi um pouco lento, mas isso tem uma justificativa. Schwab criou um novo cenário de fantasia e usou as primeiras páginas para apresentá-lo e inserir o leitor no mesmo. Depois que me vi por dentro de tudo, a trama fluiu magicamente e eu estava doida pra saber o que aconteceria com os personagens.

A narrativa é feita em terceira pessoa, alternando as perspectivas de Kate e August. Os dois personagens foram muito bem caracterizados. Schwab não hesita em criar seres fortes e ao mesmo tempo apresentar seus medos e anseios. Achei os dois muito reais e me apaixonei um pouco por cada um.

O que mais me empolgou no livro foi a mensagem por trás de toda a fantasia. Um mundo onde a violência gera monstros que só geram mais violência não está muito distante do nosso. Com nossa realidade atual, não consegui deixar de comparar o que lia com o que estamos vivendo e Schwab tocar nesse ponto só deixou o livro mais sensacional.

— Por que tem tantas sombras no mundo, Kate? Não deveria ter a mesma quantidade de luz?

Ah, outra coisa muito importante: essa obra não tem romance. Sim, confesso que fiquei bem surpresa quando terminei de ler e percebi que não tinha rolado sequer uma paixonite passageira entre os personagens principais. Talvez venha a acontecer no segundo livro, mas aqui a autora focou em coisas mais importantes e deixou o romance de lado. E, pra ser bem sincera, nem senti falta!

Falando na continuação, não vejo a hora desta ser lançada. Our Dark Duet teve seu lançamento mês passado lá fora e, se soubesse ler em inglês, pegaria imediatamente. Estou bem curiosa sobre o que vai acontecer, pois Victoria deixou uma ponta em aberto que está me fazendo roer as unhas. De verdade, foi de tirar o fôlego.

A Melodia Feroz é um livro fantástico e muito bem construído, que, com certeza, merece receber bastante atenção dos leitores. Eu sem sombra de dúvidas recomendo a leitura para todo mundo. Garanto que vai valer a pena se aventurar por essas páginas!

- - - - -
Postagem válida para o TOP COMENTARISTA, Participe!
Valendo um exemplar de Piano Vermelho.

8 comentários

  1. Desde que me deparei com a primeira resenha deste livro, a estória já havia me cativado, exatamente por criar um mundo de fantasia tão bem elaborado, no qual e apresentado ao leitor já nas primeiras páginas, e por isto e bem devagar. Outro ponto, e o romance que me pareceu ser algo além de só paixão, mas algo que irá permanecer nos outros livros, como algo bem elaborado. Acredito que pelo sucesso desta primeira obra, espero que a editora, publique logo a continuação.

    ResponderExcluir
  2. Confesso que esse gênero não chama muita minha atenção. Geralmente, leio inúmeras resenhas pra acompanhar a opinião dos leitores e analisar se entra ou não na minha lista.
    Fico um pouco apreensiva com inícios lentos, às vezes o livro é tão descritivo que cansa, por isso ess livro vem recebendo algumas críticas negativas.
    Eu pude perceber um ponto a favor do livro, que são as narrativas alternadas; isso faz ficar uma leitura bem mais completa! Os fãs de romances ficaram tristes então ne? Kkkkkkkkk confesso que esperei um pouco do romance, mas quem sabe na continuação??!
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Desde que vi o livro fiquei interessada, pois achei diferente e me levou a imaginar nossa realidade assim, a leitura parece ser envolvente e com conflitos de ambas as partes, fiquei um pouco sentida por não ter uma romancezinho nem que for de leve kkk.

    ResponderExcluir
  4. Glaucia!
    Diante de tantos livros de fantasia que tem surgido, trazer uma ideia original como a autora fez, deixa mesmo o leitor curioso.
    Adorei essa história de monstros que são criados através de sentimentos ruins, faz uma grande analogia com nossa realidade.
    E com tudo isso, acho que não caberia mesmo um romance.
    Desejo um mês repleto de realizações!
    “A música é uma revelação superior a toda sabedoria e filosofia.” (Ludwig van Beethoven)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE AGOSTO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Namoro este livro desde que foi lançado. Pela capa, título e sinopse. Acredito que seja a primeira resenha que de fato, eu leia e adorei!
    Isso de guerras entre lugares opostos, sempre deu muito pano pra manga, mas com certeza, esta história traz seus diferenciais. Lidar com o que carregamos por dentro, é nossa maior luta, eu diria!
    Espero poder conferir em breve todo o enredo!
    Beijo

    ResponderExcluir
  6. Quero ler esse livro desde que foi lançado, achei o enredo da história bem diferente, realmente, pensando metaforicamente, a cada ato de violência, um monstro nasce, fiquei super curiosa para saber como vai rolar essa guerra e o que vai acontecer com a Kate e August.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Oi Glaucia,
    Esse livro esta piscando na minha lista de desejados desde que vi a divulgação! A premissa me cativou completamente, e a cada resenha que leio a minha ansiedade aumenta.
    Que trama mais incrível! Com um enredo original, personagens bem construídos e uma história de tirar o fôlego. Amei a mensagem por trás dessa fantasia. Gostei da Kate, uma guerreira que não tem nada de mocinha, e quanto ao August, achei esse “monstro” muito intrigante. Amo quando os personagens vão amadurecendo no decorrer da narrativa, quero muito acompanhar o crescimento e fortalecimento da amizade desses dois protagonistas.
    Ainda não conheço a escrita dessa autora, mas tenho curiosidade de ler também o livro A Guardiã de História.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá !!
    Já ouvi falar desse livro e eu estou ansiosa por uma oportunidade de le-lo.
    Fiquei um pouco triste porque eu jurava que ia ter um romance entre os protagonistas 💔.
    Gosto muito de livros de fantasia mas que traz uma mensagem por trás..

    Adorei !
    Bjos

    ResponderExcluir


Mais que Livros - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥