29 maio 2021

Resenha - Garota em Chamas, C. J. Tudor



Livro:
 Garota em Chamas
Autor(a): C. J. Tudor
Editora: Intrínseca
Páginas: 352
Adquira: Amazon
Livro cedido através da parceria com a editora

No novo thriller perturbador e explosivo da autora de O Homem de Giz, uma vigária precisa exorcizar o passado sombrio de um vilarejo assombrado pela morte. Há muito tempo uma história sinistra é contada na pequena Chapel Croft. Cinco séculos atrás, mártires protestantes foram traídos, e então queimados. Trinta anos atrás, duas adolescentes desapareceram sem deixar vestígios. E há algumas semanas, o responsável pela paróquia local se enforcou na nave da igreja. A reverenda Jack Brooks, mãe solteira de uma jovem de quatorze anos, chega a esse vilarejo em busca de um recomeço. Em vez disso, encontra um lugar tomado por conspirações e segredos, e é recebida com um estranho pacote de boas-vindas: um kit de exorcismo e um bilhete: Não há nada escondido que não venha a ser descoberto. Quanto mais Jack e sua filha, Flo, exploram a cidadezinha e conhecem seus estranhos moradores, mais as duas se aprofundam em feridas antigas, mistérios e suspeitas. E, quando Flo começa a ver meninas ardendo em chamas, fica evidente que há fantasmas por ali que se recusam a descansar em paz. Neste thriller macabro e cheio de reviravoltas, no qual nem todo mundo é quem parece ser, C. J. Tudor mostra mais uma vez por que é uma das vozes mais originais da literatura contemporânea.


Em Chapel Croft, todos sabem que se você ver as garotas em chamas, algo de ruim vai lhe acontecer. Um presságio desses é tudo que a reverenda Jack Brooks não precisa no momento. É convenhamos, uma lenda inspirada em crianças mártires, queimadas vivas durante uma perseguição religiosa que aconteceu cinco séculos atrás, é apenas isso, uma lenda... né?

Designada (contra sua vontade) para atuar temporariamente nessa cidade interiorana, Jack e sua filha, Flo, não tem o melhor comitê de boas vindas. Encontrar uma criança ensanguentada, receber um kit de exorcismo, ver fantasmas, descobrir que o vigário anterior se suicidou dentro da nave da capela... teve te tudo. 

Mas o que pode ter levado um homem religioso a cometer um pecado tão sério? Jack não nasceu santa e seu passado é obscuro o suficiente para ela querer apaga-lo, mas parece que os fantasmas que rondam a cidade estão ansiosos para revelar todos os seus segredos. 

O plot inicial de Garotas em Chamas nos faz acreditar que a teremos uma história cheia de elementos sobrenaturais, mas a dose é bem pequena. Narrado sobre múltiplas perspectiva, o livro me conquistou nas primeiras páginas por apresentar uma religiosa politicamente incorreta. Eu nem lembro a última vez que marquei tantos quotes!

Entre as investigações de Jacks (não apenas sobre o reverendo) e a tentativa de integração social de Flo, conhecemos um assassino misterioso na atualidade e duas adolescentes que fugiram - ou não - da cidade, trinta anos antes. 

A história vai pegando ritmo com o passar dos capítulos, até culminar num final rápido demais. Eu gostei do livro e me surpreendi com a maioria das revelações, mas a autora tinha que ter dado tempo para absorvermos ao invés de sair jogando as respostas na nossa cara. Afinal, todo trunfo dela estava nessas reviravoltas. 

A edição está linha, como sempre, com capas dura e pintura trilateral. Se você está procurando uma história para se surpreender, vai fazer uma boa escolha com esses exemplar.

Nenhum comentário

Postar um comentário


Mais que Livros - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥