25 junho 2020

Resenha - Feitos de Sol, Vinícius Grossos


Livro: Feitos de Sol
Autor(a): Vinícius Grossos
Editora: Faro
Páginas: 256
Adquira: Amazon | Submarino | Shoptime
Livro cedido através da parceria com a editora

E se você soubesse que o mundo está prestes a acabar, qual seria o último momento que você gostaria de guardar para sempre? E se fosse sua última chance de seguir seu coração e descobrir um mundo novo de possibilidades? E se você encontrasse o verdadeiro amor prestes a enfrentar o bug do Milênio? Essas eram algumas das dúvidas que Cícero tinha em mente, no auge de seus 15 anos e prestes a vivenciar a virada dos anos 2000. Mas tudo isso mudou no instante em que Vicente atravessou o seu caminho e colocou tudo de pernas para o ar. A Faro Editorial lança em julho “Feitos de Sol”, o novo romance de Vinicius Grossos, um dos mais amados autores nacionais de YA. Vinícius incluiu nesta obra cenas que ele próprio viveu: a luta por aceitação em um lar religioso e o medo do fim do mundo. Neste romance, vamos acompanhar os planos finais de dois meninos que viram suas vidas se entrelaçarem quando um grande desastre estava prestes a acontecer. Vicente, um jovem reprimido por uma família extremamente religiosa e conservadora. Cícero, um garoto criado apenas pela mãe com muito carinho, mas com enormes dúvidas quanto ao seu papel no mundo. Unidos pelo destino em busca da última edição de uma revista da qual eram fãs, Vicente e Cícero vão descobrir o valor da amizade e do primeiro amor, o peso do ódio e do preconceito, e meio a momentos inesquecíveis em uma das décadas mais fantásticas: os anos 90. Um a história delicada e divertida sobre o primeiro amor e suas consequências.


Aos quinze anos, Cicero não tem muitas preocupações. Sua mãe é sua melhor amiga e a relação deles é a melhor que qualquer um poderia desejar. Sua amizade com Karol - uma amizade com benefícios, por assim dizer - segue fluindo normalmente e sua série de quadrinhos favorita, Under Hero, está prestes a lançar o seu volume final.

O ano é 1999 e Cícero acredita que o Bug do Milênio está prestes a acontecer, com a virada para o ano 2000. O garoto tem a certeza de que isso trará o fim do mundo, já que os computadores não entenderão a nova data e dispararão todos os mísseis existentes, destruindo tudo ao seu alcance.

22 junho 2020

Resenha - Black Hammer: Era da Destruição II, Jeff Lemire


Livro: Era da Destruição - parte II (#04)
Autor(a): Jeff Lemire
Editora: Intrínseca
Páginas: 192
Adquira: Amazon | Submarino | Cultura | Americanas
Livro cedido através da parceria com a editora


Criada por Jeff Lemire e Dean Ormston, a premiada série Black Hammer conquistou o público e a crítica ao unir elementos de grandes clássicos dos quadrinhos, tramas únicas e personagens complexos. Sucesso inquestionável, agora a intensa jornada se encaminha para o desfecho, quando finalmente vamos descobrir o que aconteceu com os maiores heróis de Spiral City.






Dez anos atrás, quando salvaram Spiral City das ameaças do ANTIDEUS, Abraham Slam, Menina de Ouro, Barbalien, Joseph Weber e Madame Libélula foram considerados mortos. Os corpos, jamais foram encontrados, o que levou a crer que se desintegraram durante a batalha. Mas a verdade, é que nossos heróis foram misteriosamente transportados para um mundo prisão, onde por anos precisaram esconder a própria identidade até encontrar uma maneira de retornar.

No terceiro volume da série, a verdade relacionada ao mundo prisão é revelada, trazendo consigo segredos dolorosos para nossos ex-heróis. Agora, eles querem uma nova chance de retornar a antiga vida e enfrentar o ANTIDEUS. No entanto, alguns desejos podem colocar em perigo o equilíbrio do mundo. Estariam eles dispostos a correr o risco?

E chega ao fim a jornada de nossos heróis! Quando descobri que esse era o último volume de Black Hammer, comecei a leitura tomada de emoções. Afinal, ao mesmo tempo em que ansiava por conhecer o desfecho para esses personagens, não queria me despedir. E talvez tenha sido esse o motivo da minha surpresa quando me vi tão perdida ao iniciar essa HQ, que imaginei que traria todas as respostas que eu aguardava, contudo, o autor seguiu por um caminho inesperado, nos mostrando uma nova realidade alternativa para nossos personagens. Escolha essa que me deu a sensação de permanecermos dando voltas na história, sem sair do lugar.

E eu não estava enganada! Quando todas as informações se conectam, nossos heróis são colocados à prova mais uma vez, frente a uma escolha que influenciará suas vidas e o destino de Spiral City. Depois de dez anos vivendo uma ilusão, qual será a melhor escolha?

Terminei essa leitura com a sensação de: eles mereciam mais, no entanto, após dias absorvendo todas as opções que Lemire nos apresenta durante esses quatro volumes, percebi que não havia alternativas e que a história criada pelo autor ia muito além de merecimento e compreensão.

Com muito suspense, ação e mistério, o autor construiu uma história de heróis que deixarão saudade, e inseriu em seu enredo elementos como altruísmo, amizade, amor e família.


17 junho 2020

10 Distopias Que Você Precisa Conhecer

Eu sempre falo que sou bem eclética quando falo de livros, mas se tem um gênero que sou apaixonada, é a Distopia. Primeiramente por trazer assuntos que esbarram tanto na nossa própria realidade como sociedade, mas também por inserir fantasia para tratar de pautas tão importantes e que precisam ser refletidas e analisadas.

Nos últimos meses, tem sido um hábito constante responder mensagens relacionadas a essa temática, e é por isso que foi um prazer quando a mybest Brasil mais uma vez me convidou para falar dos meus 10 livros distópicos favoritos.

Alguns títulos como Ceifador e Estilhaça-me são óbvios nessa seleção, no entanto, tentei diversificar e trazer livros que falei poucas vezes por aqui, mas que certamente tem todos os ingredientes para encantá-los.

Para conferir minhas indicações e o artigo completo, basta clicar aqui. 


10 junho 2020

Resenha - O Melhor Que Podíamos Fazer, Thi Bui


Livro: O Melhor Que Podíamos Fazer
Autor(a): Thi Bui
Editora: Nemo
Páginas: 136
Adquira: Amazon | Submarino | Cultura | Americanas
Livro cedido através da parceria com a editora

Esta é uma história sobre a busca por um futuro melhor e saudosismo pelo passado. Explorando a angústia da imigração e os efeitos duradouros que o deslocamento tem sobre uma criança, Bui documenta a difícil fuga de sua família após a queda do Vietnã do Sul, na década de 1970, e as dificuldades que enfrentaram para construir uma nova realidade. O melhor que podíamos fazer traz à vida a jornada de Thi Bui em busca de compreensão e fornece inspiração a todos aqueles que anseiam por um futuro melhor enquanto recordam o passado de privações.




Já faziam alguns anos que "O melhor que podíamos fazer" estava na minha lista de desejados. Os elogios eram unânimes a cada resenha lida, mas nada me preparou para a profundidade e delicadeza que encontraria nas páginas dessa graphic novel autobiográfica.

04 junho 2020

Resenha - A Prometida, Kiera Cass


Livro: A Prometida (#1)
Autor(a): Kiera Cass
Editora: Seguinte
Páginas: 344
Adquira: Amazon
Livro cedido através da parceria com a editora

A autora da série best-seller A Seleção está de volta com um novo universo apaixonante! Quando o rei Jameson se declara para a Lady Hollis Brite, ela fica radiante. Afinal, a jovem cresceu no castelo de Keresken, competindo com as outras damas da nobreza pela atenção do rei, e agora finalmente poderá provar seu valor. Cheia de ideias e opiniões, logo Hollis percebe que, por mais que os sentimentos de Jameson sejam verdadeiros, estar ao seu lado a transformaria num simples enfeite. Tudo fica ainda mais confuso quando ela conhece Silas, um estrangeiro que parece enxergá-la ― e aceitá-la ― como realmente é. Só que seguir seu coração significaria decepcionar todos à sua volta…
Hollis está diante de uma encruzilhada ― qual caminho levará ao seu final feliz?



Enquanto provoca sorrisos em Jameson, Lady Hollis também desperta sentimentos controversos pelo castelo de Keresken. Outras meninas na corte lhe invejam, algumas famílias começam a sussurrar sobre admirá-la e um comissário do rei sente confiança o suficiente nela para lhe pedir um favor político. O elemento desconhecido na estratégia de Dalia e Hollis se chamava Silas Eastoffe, um estrangeiro que havia acabado de ganhar asilo no castelo, após fugir - juntamente com sua família - do sombrio reino de Isolte.

30 maio 2020

Resenha - Disputa Irresistível, Vi Keeland


Livro: Disputa Irresistível
Autor(a): Vi Keeland
Editora: Essência
Páginas: 136
Adquira: Amazon
Livro cedido através da parceria com a editora

Bennett Fox entrou na minha vida em uma manhã infernal de segunda-feira. Eu estava atrasada para o primeiro dia em meu novo emprego: um trabalho pelo qual eu teria que batalhar, por causa de uma inesperada fusão. Enquanto carregava meus pertences para o meu novo escritório, recebi uma intimação para comparecer ao estacionamento. A policial de trânsito tinha multado uma longa fila de carros - exceto pelo Audi estacionado na minha frente, que por acaso era da mesma marca e modelo do meu. Irritada, decidi presenteá-lo com minha multa. Provavelmente o dono pagaria sem nem se questionar. Porém, acidentalmente, quebrei o limpador de para-brisa enquanto deslizava o bilhete para a janela do carro. As coisas só começaram a melhorar quando encontrei um homem lindo no elevador. Tivemos um desses breves momentos que só acontecem nos filmes. Você sabe do que eu estou falando... Seu corpo se acende, fogos de artifício explodem e o ar ao seu redor crepita com eletricidade. Talvez o novo trabalho não fosse tão ruim assim. Ou pelo menos foi o que eu pensei, até eu entrar no escritório do meu novo chefe e conhecer meu concorrente. O homem do elevador era agora meu inimigo. Seu olhar não tinha sido por causa de qualquer atração mútua. Foi porque ele me viu vandalizar seu carro. E agora ele não podia esperar para aniquilar sua rival.

Deve ter uma maneira melhor de começar um dia de trabalho, que não envolva ter o carro vandalizado por um desconhecido ou ganhar uma multa de estacionamento que não é sua. Talvez, não chegar atrasado para uma reunião com o chefe, onde seria apresentado ao adversário pela vaga de Diretor Criativo da nova empresa fosse o ideal. Mas se Annalise O’Neil pudesse escolher uma única coisa para mudar naquela manhã, seria que os desconhecidos continuassem anônimos.

A fusão de duas empresas sempre tem um início caótico. Para Annalise e Bennet Fox, a boa notícia é que nenhum deles perderia o emprego. A ruim, é que um dos dois precisaria se mudar para o Texas. A dinâmica proposta pela diretoria é simples. Cada um irá apresentar seu plano de marketing para três potenciais clientes, quem for escolhido mais vezes, fica na cidade.

17 maio 2020

Resenha - Segredo de Justiça, Andréa Pachá

Livro: Segredo de Justiça
Autor(a): Andréa Pachá
Editora: Intrínseca
Páginas: 272
Adquira: Amazon
Livro cedido através da parceria com a editora
Relançamento da obra de Andréa Pachá que deu origem à série Segredos de Justiça, do ’Fantástico
A vida não é justa e a felicidade não é um direito. Os anos passados na Vara de Família forjaram não apenas essas constatações na trajetória de Andréa Pachá, mas também proporcionaram uma miríade de histórias, de “dores tão parecidas e tão desiguais”. Com sensibilidade, a juíza reúne narrativas ficcionais baseadas em duas décadas de experiência em mediações dos mais diversos conflitos em família. A honestidade com que os casos são expostos e a vulnerabilidade que emana a cada página despertam em nós uma identificação imediata e são um convite para quem deseja entender mais de si mesmo através dos dramas e das alegrias do outro. Relançada agora pela Intrínseca, a obra conta com nova capa e projeto gráfico, além de prefácio assinado por Ana Maria Machado.

Quando alguém se apaixona, é lançado no olho de um furacão de sonhos e expectativas. Esperamos ser amados até em nos nossos piores dias e torcemos para que os momentos felizes sejam eternos. Para muitos o final feliz se concretiza, mas outros vêem suas vidas seguindo um roteiro pouco característico dos contos de fadas modernos. Eles se tornam obstinados em busca da justiça que faltou em suas vidas. Ahh, se soubessem que justiça e felicidade não são garantidos a ninguém.

Através dos olhos de uma Juíza real, encontramos personagens fictícios que desfilam por seu tribunal. É triste, não tem como não ser. Uma dose de realidade que nos mostra a evolução da sociedade nos últimos anos e a transformação que isso causou nos relacionamentos familiares.

15 maio 2020

Resenha - Um Romance para Fernanda, Barbara Sá


Livro: Um Romance para Fernanda
Autor(a): Barbara Sá
Editora: Increasy
Páginas: 107
Adquira: Amazon


Quando um pop-up apareceu na tela do computador com uma oportunidade imperdível de viagem para a Chapada Diamantina, Fernanda entendeu que era um sinal dos céus. A jovem autora estava em cima do prazo para entregar seu manuscrito para uma grande editora e não conseguir escrever mais nenhuma linha do livro roubava seu sono. Passar 10 dias no meio do mato parecia a saída perfeita para os seus problemas, ainda mais quando o pacote de viagem incluiu Rômulo, o dono da pousada.
Fernanda está prestes a descobrir que os prazeres da Chapada vão muito além da conclusão do romance de seu livro.


Fernanda é uma escritora de romance sensual lidando com o maior pesadelo de um autor: o bloqueio criativo. Como se não bastasse a pressão em terminar sua história antes do prazo determinado pela editora, sua concentração prometia ir para o ralo com a chegada dos bloquinhos de Carnaval do RJ. Não havia solução, seu tempo estava escasso, no entanto, as páginas de seu manuscrito permaneciam em branco. Ela precisava de uma mudança de ares, e quem sabe uma viagem para a Chapada Diamantina seria a chance perfeita para tal inspiração.⠀

13 maio 2020

Resenha - Minha Sombria Vanessa, Kate Elizabeth Russell


Livro: Minha Sombria Vanessa
Autor(a): Kate Elizabeth Russell
Editora: Intrínseca
Páginas: 272
Adquira: Amazon
Livro cedido através da parceria com a editora
Elogiado por Gillian Flynn e considerado um dos grandes livros de 2020, o romance de estreia de Russell explora as dinâmicas psicológicas de um relacionamento entre uma adolescente e seu professor. Em 2000, Vanessa Wye é uma estudante solitária de ensino médio. Talentosa e com o sonho de ser escritora, Vanessa diz não se importar de ficar sozinha, principalmente quando seu professor de inglês, Jacob Strane, um homem de 42 anos, começa a prestar atenção nela, elogiando seu cabelo, suas roupas e lhe emprestando alguns de seus livros favoritos ― como Lolita, de Nabokov. Antes que Vanessa perceba, os dois embarcam em uma relação e a jovem acredita que o professor a ama e a considera especial. Mais de uma década depois, uma ex-aluna acusa Strane de abuso sexual, e Vanessa começa a questionar se o que viveu foi realmente uma história de amor ou se não teria sido ela também uma vítima de estupro. Mesmo depois de tantos anos, Strane ainda é uma presença constante em sua vida. Como ela seria capaz de rejeitar o que considera seu primeiro amor? Alternando entre presente e passado, o livro justapõe memória e trauma ao entusiasmo de uma adolescente descobrindo o poder do próprio corpo. Instigante e impossível de largar, o livro retrata com maestria a adolescência conturbada e suas consequências, para refletir acerca de liberdade, consentimento e abuso. Escrito com intimidade e intensidade assustadoras, Minha Sombria Vanessa capta brilhantemente os costumes culturais em transformação que guiam nossos relacionamentos e a própria sociedade.


Vanessa Wye é uma aluna do segundo ano do ensino médio, em um conceituado colégio interno. A ideia de que naquele lugar ela seria descolada e cheia de amigos nem chegou a se concretizar, mas agora ela estava literalmente sozinha. A estranha, como sempre. Sua ex-melhor amiga a trocou por um novo namorado e agora a única pessoa que parece enxergá-la é seu professor de literatura.⠀
Ele reparou na cor do seu cabelo, acreditou no seu potencial de escritora e acariciou o seu joelho quando ninguém mais estava olhando. Jacob Strane tinha 42 anos quando deixou uma adolescente vinte e sete anos mais nova acreditar que exercia algum poder sobre ele. E o que pode ser mais viciante do que inflar o seu ego com algo proibido?

11 maio 2020

Resenha - O Homem da Casa 7, Mariana Cardoso


Livro: O Homem da Casa 7
Autor(a): Mariana Cardoso
Editora: Autopublicação
Páginas: 238
Adquira: Amazon


Frederick Hall, um professor aposentado e rejeitado pela cidade em que vive, é o único amigo de quatro adolescentes solitários. Quando Fred morre em circunstâncias suspeitas, cada um dos quatro recebe um pedaço de carta que os reúne. Juntos descobrem que o professor deixou enigmas para serem desvendados e segredos para serem descobertos. O Homem da Casa 7 é uma história sobre luto, amizade, conhecimento e, principalmente, sobre o poder transformador da empatia.



Frederick Hall é um professor aposentado que reside em uma solitária casa de porta vermelha em Tenebras, uma cidadezinha onde os costumes e posição social possuem mais peso que a própria lei. Apesar de bondoso, Fred é considerado uma aberração, simplesmente por não se adequar as tradições arcaicas e preconceituosas impostas pela comunidade. Ele é excluído por todos, mas a amizade que compartilha em segredo com quatro adolescentes faz tudo valer a pena.

Liz, Jay, Archie e Juno possuem histórias de vida distintas, e apesar de não se conhecerem, há algo que os conecta: Os sonhos e paixões reprimidas pela família e pelas circunstâncias. Eles são solitários e inseguros, e é somente na casa de número 7 que encontram a oportunidade de serem mais do que o planejado por seus pais, de se sentirem ouvidos, aceitos e amados.

Quando Frederick morre de forma suspeita, os quatro adolescentes recebem um pedaço de carta que os reúne. Juntos, embarcarão em uma jornada repleta de enigmas, segredos e mistérios. Qual teria sido o último presente de Fred para seus amigos? É o que descobriremos ao longo da história.

Narrada em terceira pessoa e alternando entre as perspectivas de cada personagem, Mariana Cardoso entrega ao leitor uma aventura leve e fluida sem deixar de inserir assuntos importantes, tais como a busca por aceitação, amizade, injustiça, preconceito e luto.

O cenário criado pela autora, apesar de fictício, em muito se assemelha a sociedade que conhecemos: preconceituosa, que exclui, julga e rotula. Ler a obra e não se sentir um pouquinho impotente é impossível, mas acompanhar as lutas e desconstrução desses jovens me encheu de uma esperança acalentadora. De que seriam eles a faísca que faria a revolução em suas casas e na comunidade.

Tocante, reflexivo e envolvente, O homem da casa 7 é uma história emocionante sobre empatia, gentileza, quebra de padrões e do poder transformador do amor, próprio e fraternal.

09 maio 2020

10 Livros Favoritos com Temática LGBT

Se me perguntassem o gênero que mais me ensinou o significado de empatia nos livros, eu responderia sem pensar que foram os livros LGBT.

Quando nos colocamos no lugar do outro e entendemos os preconceitos e lutas diárias que precisam enfrentar dentro e fora do âmbito familiar, simplesmente por serem quem são, nossa compreensão muda. É quando evoluímos como ser humano e sociedade.

E por isso, foi um prazer quando a mybest Brasil novamente me convidou para falar dos meus 10 livros favoritos com temática LGBTQI+. Foi um artigo que escrevi com muito carinho e com o peito transbordando de emoção. Espero que gostem dessa nova seleção, e claro, que essa lista os incentive a ler ou conhecer mais obras do gênero.

Para conferir o artigo completo, basta clicar aqui.



05 maio 2020

Resenha - Deixei meu coração em modo avião, Fabíola Simões


Livro: Deixei meu coração em modo avião
Autor(a): Fabíola Simões
Editora: Faro
Páginas: 272
Adquira: Amazon
Livro cedido através da parceria com a editora
“Hoje é o dia para você não alimentar expectativas, nem tentar controlar o que não pode, ou se culpar por aquilo que não depende só de você. Desligue o wi-fi do seu coração” Neste livro, a autora do blog “A soma de todos os afetos” mostra porque arrebata seguidores pelas redes sociais. São mais de 2,5 milhões de fãs no Facebook e mais de 150 mil no Instagram. Com crônicas que abordam os amores e as dores da vida real, Fabíola reflete sobre a importância de levarmos uma vida mais leve, de não se cobrar perfeição, de descansar entre momentos apressados, ser gentil com os outros e consigo mesmo. “Deixei meu coração em modo avião. Hoje não quero criar expectativas, controlar o que não posso, me culpar por aquilo que não depende só de mim.” Através do olhar doce e observador, Fabíola reflete sobre como podemos aprender a esperar o momento de agir, da dor amenizar, da ferida sarar e da saudade deixar de doer. Este livro fala ao coração de uma forma única e especial e faz um convite, deixar o coração se acalmar e esperar que a vida te surpreenda.


Ler crônica ou poesia é algo totalmente fora da minha zona desconforto, mas tenho curtido cada vez mais essa experiência. E como boa canceriana, fui logo capturada pelo título do livro. Não conhecia a autora ou o seu blog, mas já me tornei mais uma fã! Atenção, esse não é um livro para ser devorado e sim, apreciado lentamente. Ele é dividido em quatro partes, onde os assuntos acabam se agrupando, e no final, todos se conectam. Ter esse conhecimento pode mudar totalmente sua experiência com a leitura, afinal, nossas necessidades mudam constantemente.

Começamos com o autoamor. Muitas pessoas tem um medo absurdo da solidão (eu inclusive), mas por que não podemos apreciar a nossa própria companhia? Pulamos de um relacionamento para o outro, hora se agarrando a amores, outras nos dedicando aos amigos e, pior, quase sempre ligados a tela de celular. A autora nos incentiva a desacelerar, a nos conectarmos com nós mesmos.

E quando desaceleramos, olhamos com mais cuidado ao redor, nos abrindo para os sinais que o mundo nos dá. Uma troca de olhar, um bom dia entusiasmado.. mas cuidado! Não confunda educação com paixão e nem aceite migalhas de quem deveria te oferecer o mundo. Essa parte fala sobre reciprocidade, seja do outro ou do mundo, e a importância dessa pequena atitude.

Com o terreno, vulgo: coração, preparado, a autora te leva a refletir um pouco mais fundo. Fala de amizade, empatia também sobre negatividade. De como é importe manter conosco pessoas que nos apoiam e valorizam. Afinal, se for para ouvir besteira, é melhor se afastar, né?

Alguns textos podem te tocar mais do que outros, mas aposto que você se identifica com a mensagem final: a felicidade se encontra nas coisas simples da vida.

Deixei meu coração em modo avião é uma dose homeopática de realidade para uma geração tão conectada e, ao mesmo tempo, tão sozinha.


24 abril 2020

Resenha - Ananda Lila e as Deusas de Zymer: A iniciação, J.R. MC Cloud


Livro: Ananda Lila e as Deusas de Zymer: A iniciação (#01)
Autor(a): J.R. MC Cloud
Editora: Clube de Autores
Páginas: 348
Adquira: Amazon

Se não fosse por uma estranho sinal de nascença no ombro esquerdo, Ananda Lila seria mais uma garotinha de onze anos vivendo numa pequena cidade. Sua vida porém, sofre uma transformação radical a partir de um encontro inesperado. Uma criatura luminosa fugindo de bestas voadoras a arrasta a um reino perdido em outra dimensão: O Reino de Zymer. Neste primeiro livro da série, Ananda se envolve com os extraordinários seres de Zymer e seus poderes sobrenaturais. A rainha Achintia e sua magia profunda; o unicórnio Sundara com seu poder clarividente; Daya a deusa do Ar e seus mistérios; Aminto um amigo cheio de segredos; Aditya a criaturinha que a trouxe para Zymer; o general Subhata que desperta no coração da garota estranhos sentimentos; e tantos outros personagens fazem com que Ananda se renda à pergunta: “ Por quê dentre tantas pessoas haviam trazido justo ela para Zymer, um reino de luz e paz”? Em suas aventuras Ananda questiona essa nova realidade, passa por inúmeros perigos, cai em armadilhas, busca a solução para enigmas, descobre o significado de muitas profecias. Encontra amigos e inimigos poderosos. O desaparecimento do Cristal Vajra, ameaça não somente a paz de Zymer, mas de todo o Universo. Neste contexto Ananda precisará deixar de ser a garotinha oriunda da Terra para tomar importantes decisões. A Ultima Profecia, ainda não revelada, traria a luz fatos antigos, segredos talvez ligados à pequena menina e que selariam o destino de Zymer. Mistério, romance, aventura, guerras, profecias, traições e muita magia são ingredientes da saga da garota pelo Reino de Zymer. Uma história sobre amizade, fé, esperança. Sobre vilões que se perderam em escolhas no passado. Sobre a sina da garota que precisa descobrir sua origem e se embrenhar numa jornada perigosa da qual talvez jamais regresse.



Ananda Lila é uma garota de 11 anos, tímida e aparentemente normal, até que, a visita de uma fada com poderes mágicos, muda drasticamente seu conceito de mundo e normalidade. A verdade é que o nascimento da menina envolve uma profecia grandiosa, até então, desconhecida por ela. E é Ananda a chave para salvar um reino perdido existente em outra dimensão.

Atravessando um portal em seu jardim, Ananda é guiada pela fada Aditya até o Reino de Zymer, um universo único, repleto de seres e formas de vida mágicas. A paz e a beleza que habitam o lugar são inebriantes, no entanto, a garota logo descobrirá que somada à magia dessa fantástica aventura, uma guerra está por vir, e no meio desse embate, é ela a peça fundamental.

22 abril 2020

Resenha - Oblivion Song - Vol.2, Robert Kirkman


Livro: Oblivion Song: Entre Dois Mundos (#02)
Autor(a): Robert Kirkman
Editora: Intrínseca
Páginas: 136
Adquira: Amazon
Livro cedido através da parceria com a editora

Mestre em traçar universos distópicos permeados por reflexões sobre família, morte e a natureza humana diante da crise, Robert Kirkman, criador de The Walking Dead, reúne em Oblivion Song vários dos elementos que o consagraram. No segundo volume da série de quadrinhos que conquistou fãs e críticos, voltamos a acompanhar a saga do cientista Nathan Cole para reparar os erros do passado e começamos a entender o mistério que cerca o surgimento da nova dimensão aterrorizante com raros momentos de calmaria. Anos atrás, 300 mil habitantes da Filadélfia foram repentinamente transportados para Oblivion. O governo investiu muitos recursos em incursões para resgatar as vítimas, mas as buscas foram encerradas. No entanto, algo motivou Nathan Cole a não desistir de procurar por sobreviventes. Quando revelações impensáveis sobre seu passado vêm à tona, ele passa a ter suas ações questionadas pelo governo. Há perguntas sobre Oblivion que só Nathan pode responder, e agora o futuro dos dois mundos está em suas mãos. Com a arte vibrante de Lorenzo De Felici, Oblivion Song: Entre dois mundos reúne os fascículos 7 a 12 da série e entrelaça ação, suspense e ficção científica numa história sobre as renúncias e as escolhas necessárias para seguirmos em frente.

Uma década antes, 300 mil pessoas foram transferidas da Filadélfia para Oblivion Song, uma dimensão inóspita e habitada por formas de vida estranhas. Por um tempo, o governo financiou pesquisas em prol de resgatar as vítimas, mas o perigo que representava a missão e a falta de retorno de novos sobreviventes fez com que as verbas do projeto fossem cortadas e Nathan Cole, o cientista responsável pela catástrofe fosse preso.

Com a prisão de Nath, e a posse da tecnologia utilizada para a transferência, o governo, que a todo custo tenta diminuir as proporções do ocorrido, vê nessa máquina uma série de oportunidades. Mas tanto poder em mãos erradas pode significar um perigo ainda maior para a humanidade.

20 abril 2020

Fantasias Favoritas

Quem me acompanha aqui no blog e no Instagram, sabe que um dos meus gêneros favoritos é a fantasia. Foi através dele que me tornei uma leitora assídua e são eles a minha escolha quando quero fugir um pouquinho da realidade e conhecer seres e universos mágicos. 

E é por isso que hoje convido vocês a conhecer a lista de fantasias favoritas que liberei no site da mybest Brasil

Nessa seleção, escolhi livros que eu AMO e que de alguma forma me marcaram como leitora. São livros que sempre terão lugarzinho garantido no meu coração e eu espero que um deles entre na sua lista de desejados. Clica aqui e confira.




18 abril 2020

Lançamentos da Editora Intrínseca (Abril/ 2020)



Black Hammer - A Era da Destruição
, Jeff Lemire

Criada por Jeff Lemire e Dean Ormston, a premiada série Black Hammer conquistou o público e a crítica ao unir elementos de grandes clássicos dos quadrinhos, tramas únicas e personagens complexos. Sucesso inquestionável, agora a intensa jornada se encaminha para o desfecho, quando finalmente vamos descobrir o que aconteceu com os maiores heróis de Spiral City. Após derrotarem o poderoso e maligno Antideus, eles caíram no esquecimento ao se verem presos em um estranho purgatório: uma fazenda isolada e misteriosa da qual não conseguem sair. Por dez anos viveram como uma família, escondendo sua verdadeira natureza dos habitantes locais. Até que uma visita vinda de seu antigo mundo consegue chegar até eles, trazendo consigo a esperança de voltarem para casa, mas também o prenúncio de uma era de caos e destruição. Neste quarto e último volume, mais segredos vêm à tona, e quando a verdade sobre o que aconteceu naquela batalha fatídica é revelada, o mundo dos ex-heróis muda completamente outra vez. Com o equilíbrio do universo sob ameaça, eles serão obrigados a decidir se o preço que pagaram para salvar Spiral City valeu a pena.


                                     Super Normal, Greg James e Chris Smith

Murph Cooper está com um problemão. Sua família acaba de se mudar para uma cidade nova, o que já é ruim o  astante, e ainda por cima ele foi matriculado por engano em uma escola secreta e estranha. Todos os seus colegas têm alguma habilidade inesperada: voar, controlar o clima ou até mesmo fazer cavalinhos aparecerem do nada. Mas qual é a habilidade extraordinária de Murph? Bem... nenhuma. Ele é só um garoto normal. Quando Murph começa a se encaixar, sua nova escola é ameaçada pelas duas coisas mais odiosas e malignas que existem: vespas e supervilões. Ah, e sua mãe está falando em se mudar de novo… Então, com ou sem poderes, ele vai precisar dar um jeito de salvar o dia se quiser continuar na escola mais incrível de todas junto com seus novos amigos. É hora de o SuperNormal entrar em ação! No primeiro volume da série, acompanhamos o surgimento dos SuperZeróis — uma equipe de combate ao crime um tanto inusitada. Em uma narrativa hilária, repleta de piadas e personagens cativantes, Murph vai se aventurar para salvar não só os colegas, mas também todos os piqueniques do mundo.


The Outsiders: Vidas sem rumo
, S. E. Hinton

Clássico que marcou a literatura jovem e inspirou o emblemático filme de Francis Ford Coppola ganha edição de luxo com conteúdo extra. Publicado pela primeira vez em 1967 e imortalizado em 1983 pelo filme de Francis Ford Coppola, The Outsiders: Vidas sem rumo é um clássico da literatura jovem que transformou o gênero ao tratar, com complexidade e sensibilidade, de uma juventude marginalizada em um cotidiano sombrio e violento.
Na pequena cidade de Tulsa, em Oklahoma, a rivalidade entre dois grupos cresce a cada dia. De um lado estão os Greasers, com suas jaquetas de couro, o cabelo com brilhantina, os canivetes em punho e o cotidiano marcado pela falta de perspectiva e pelas brigas em terrenos baldios. Já os Socs moram no lado rico da cidade, frequentam os melhores lugares e conseguem se safar das piores situações, inclusive quando decidem espancar os Greasers. Caçula do grupo, Ponyboy Curtis tem apenas quatorze anos. Junto dos irmãos Darry e Sodapop e dos companheiros Greasers, ele tenta encontrar uma forma de escapar de uma vida sem futuro em um lugar onde tudo se resume a ser rico ou pobre. Apaixonado por cinema e por livros, Ponyboy encontra nessas histórias uma chance de conhecer outra realidade. Tudo parece sob controle, até que uma perseguição dos Socs tem um desfecho inesperado e perturbador. Nada será como antes, mas os Greasers são uma verdadeira família e farão de tudo para protegê-la.
The Outsiders: Vidas sem rumo é um retrato comovente de uma juventude que precisa encarar a solidão, a revolta e a violência em sua jornada de amadurecimento. Mais de cinco décadas após o lançamento do livro, a história ainda encanta jovens e adultos, mostrando-se atemporal. Com capa dura e pintura trilateral, além de tradução e projeto gráfico inéditos, a edição traz ainda prefácio da jornalista e crítica de cinema Ana Maria Bahiana, entrevista com a autora S.E. Hinton e uma seção dedicada aos bastidores do filme.


                                     Uma Dor Tão Doce, David Nicholls

É 1997 e Charles Lewis passa os dias quentes das férias andando de bicicleta pela cidade. Às vezes ele também lê. Não há nada mais para fazer quando se está afastado dos amigos, a família está caindo aos pedaços e não se tem ideia de qual será o próximo passo. Mas os dias tediosos e vazios de Charlie estão prestes a ter fim. Ao se deparar com uma companhia de teatro ensaiando Romeu e Julieta, sua primeira reação é fugir, mas ele talvez tenha encontrado um bom motivo para ficar: Julieta. No caso, a atriz que vai interpretar a personagem. Fran Fisher, uma garota bonita, confiante e metida a artista. Mas quem nos conta essa história, repleta de idas e vindas no tempo, não é o garoto Charles. É o adulto, que, às vésperas de seu casamento, rememora — com uma mistura sutil de humor e melancolia — um verão intenso, que moldou o homem que é hoje. Em semanas que marcarão sua vida, rodeado por textos do século XVI, figurinos, novas amizades e uma miscelânea de sentimentos inéditos, Charles desviará de conversas sobre o futuro enquanto tentará não ser devorado pela confusão de sua dinâmica familiar. E, ao lado de Fran, vai encontrar uma chance de se redescobrir e reinventar.

14 abril 2020

Resenha - Cidade nas Trevas, Adam Christopher


Livro: Cidade nas Trevas (Stranger Things #2)
Autor(a): Adam Christopher
Editora: Intrínseca
Páginas: 384
Adquira: Amazon
Livro cedido através da parceria com a editora

A terceira temporada de Stranger Things causou grande comoção, e o último episódio deixou os fãs perplexos e ansiosos por respostas. As pistas estão lançadas em Cidade nas trevas, segundo livro oficial da série, que explora o passado de um dos personagens mais queridos do público: o chefe de polícia Jim Hopper. Em Hawkins, durante o Natal de 1984, ele mal consegue conter a alegria. É sua primeira comemoração familiar com Eleven, sua chance de aproveitar momentos de tranquilidade com a filha adotiva. Mas a menina tem outros planos. Contra a vontade de Hopper, ela vasculha uma caixa em que está escrito “Nova York”. É aí que começam as perguntas. Por que Hopper foi embora de Hawkins anos atrás? Por que nunca contou sobre Nova York? O que ele está escondendo? Embora prefira enfrentar uma horda de demogorgons a mergulhar em seu passado, Hopper sabe que não pode mais esconder a verdade. Por isso, ele conta a Eleven os detalhes de um dos casos mais avassaladores de sua carreira, o último antes de tudo mudar... Em 1977, após retornar da Guerra do Vietnã, ele se muda com a esposa e a filha para Nova York e passa a atuar na divisão de homicídios. A cada dia, se depara com inúmeras tragédias, mas nenhuma se compara a uma série de assassinatos brutais e incompreensíveis. Quando agentes federais assumem o caso, Hopper e sua irreverente parceira, Rosario Delgado, decidem agir por conta própria, e logo o detetive se vê infiltrado entre as perigosas gangues da cidade. No momento em que está prestes a desvendar quem — ou o quê — está por trás dos assassinatos, um apagão lança a cidade nas trevas, e Hopper fica frente a frente com uma escuridão que mudará sua vida para sempre.


Hawkins, Natal de 1984. O chefe de polícia Jim Hopper só quer aproveitar e comemorar a data festiva com Eleven, sua filha adotiva, mas El tem outros planos. Ela quer saber mais sobre o passado do pai, e mesmo que a contragosto de Hopper, vasculha uma antiga caixa em que está escrito “Nova York”. E é então que muitas perguntas surgem: Quais os motivos que o levaram a deixar Hawkins anos atrás? E Por que ele nunca fala de Nova York? Quais segredos Jim Hopper esconde?

10 abril 2020

Resenha - Livre para Recomeçar, Paola Aleksandra


Livro: Livre para recomeçar
Autor(a): Paola Aleksandra
Editora: Essência
Páginas: 400
Adquira: Amazon
Livro cedido através da parceria com a editora

Anastácia carrega na pele as marcas deixadas por um casamento odioso. Em sua última noite como uma mulher livre, ela perdeu o controle do seu futuro e acabou presa no famoso hospício para alienados do Rio de Janeiro. Mas agora, três anos
após sua internação, Anastácia precisará enfrentar o passado e descobrir como recomeçar. Quem ela escolherá ser longe do peso do título de Condessa De Vienne? Graças ao Jornal das Senhoras, Benício de Sá é conhecido como o Bastardo do Café. Lutando diariamente contra a opressão do pai – um dos mais poderosos cafeicultores do Brasil – ele encontrou na construção cívil a oportunidade perfeita de mudar seu futuro e deixar uma marca no mundo. Contudo, enquanto a Empreiteira de Sá conquista o cenário carioca, Benício continua preso ao passado e às marcas que carrega na alma. Será que um dia ele conseguirá libertar-se por inteiro das garras do seu pai? Anastácia e Benício se conhecem em meio à ruína, mas é durante a esperança de um novo começo que eles se reencontram. Agora resta saber se estão prontos para recomeçar.


O Rio de Janeiro do Brasil Imperial é o pano de fundo da história de autodescobrimento de uma francesa diagnosticada como histérica, que após três anos trancafiada em um hospício, está livre para desfazer as amarras que o título de Condessa de Vienne lhe impuseram. Seu encontro com o herdeiro bastardo de um importante cafeeiro brasileiro, se dá ao acaso.

06 abril 2020

Resenha - A Padaria dos Finais Felizes, Lucy Diamond


Livro: A padaria dos finais felizes
Autor(a): Jenny Colgan
Editora: Arqueiro
Páginas: 336
Adquira: Amazon

Um balneário tranquilo, uma loja abandonada, um apartamento pequeno. É isso que espera Polly Waterford quando ela chega à Cornualha, na Inglaterra, fugindo de um relacionamento tóxico.
Para manter os pensamentos longe dos problemas, Polly se dedica a seu passatempo favorito: fazer pão. Enquanto amassa, estica e esmurra a massa, extravasa todas as emoções e prepara fornadas cada vez mais gostosas. Assim, o hobby se transforma em paixão e logo ela começa a operar sua magia usando frutos secos, sementes, chocolate e o mel local, cortesia de um lindo e charmoso apicultor. A Padaria dos Finais Felizes é a emocionante e bem-humorada história de uma mulher que aprende que tanto a felicidade quanto um delicioso pão quentinho podem ser encontrados em qualquer lugar.




Há alguns anos, Polly Waterford era parte de um casal bem-sucedido. Eles abriram uma empresa de design, compraram um apartamento numa área privilegiada, iam aos restaurantes da moda... eles exalavam prosperidade. Porém, a cabeça dura de Chris, afastou os clientes e afundou o relacionamento. Após a falência, tudo que lhe restou foi a vergonha do fracasso e um orçamento ridiculamente pequeno.

03 abril 2020

Resenha - Scarlet, Marissa Meyer


Livro: Scarlet (Crônicas Lunares #2)
Autor(a): Marissa Meyer
Editora: Rocco
Páginas: 480
Adquira: Amazon


Depois de Cinder, estreia de sucesso de Marissa Meyer e primeiro volume da série As Crônicas Lunares, que chegou ao concorrido ranking dos mais vendidos do The New York Times, a autora está de volta com mais um conto de fadas futurista. Scarlet, segundo livro da saga, é inspirado em Chapeuzinho Vermelho e mostra o encontro da heroína ciborgue que dá nome ao romance anterior com uma jovem ruiva que está em busca da avó desaparecida. Em uma trama recheada de ação e aventura, com um toque de sensualidade e ficção científica, Marissa Meyer prende a atenção dos leitores e os deixa ansiosos pelos próximos volumes da série.

Após a revelação de sua verdadeira identidade, Cinder foi aprisionada em Nova Pequim sob ordens do Imperador. Sua liberdade colocaria a segurança da Terra nas mãos da Rainha Levana, que propõe uma trégua de paz desde que Cinder seja enviada à Corte Lunar para responder por seus “crimes”.

Cinder sabe que não há chance de escapar em Luna, por isso quando a oportunidade de fugir surge, ela não pensa nas consequências e foge levando consigo o Capitão Carswell Thorne, um dos prisioneiros que cruza seu caminho.

Paralelamente, a trama se desenvolve na França, onde conhecemos Scarlet e sua busca incessante pelo paradeiro da avó. Atrás de pistas, seu caminho se cruza com o de Lobo, um lutador de rua que parece ter as informações que ela tanto necessita. E embora seus instintos gritem para manter-se longe desse homem sombrio e intrigante, Scarlet sabe que Lobo é sua maior chance para desvendar o desaparecimento da avó.

30 março 2020

Resenha - Mariana de Prodélia e o Grande Pássaro, Eduardo Hy Mussi


Livro: Mariana de Prodélia e o Grande Pássaro
Autor(a): Eduardo Hy Mussi
Editora: Pandorga
Páginas: 304
Adquira: Amazon


A grande ambição de Mariana é ser uma pintora profissional em Vóia, cidade repleta de artistas. Infelizmente, sua empreitada é interrompida logo no início e ela se vê sem dinheiro e sem auxílio, perdida no meio do nada. Surge, então, o misterioso Conde de Avenalhes, que lhe oferece abrigo em sua mansão e uma ajuda financeira irrecusável: a encomenda de uma pintura. Mariana torna-se hóspede do conde e, durante esse período, entre uma pincelada e outra, descobre mais sobre o Condado de Avenalhes e seus moradores. A artista é apresentada a uma família esnobe, conhece uma livreira de poucas palavras, faz amizade com um jovem arqueiro que, assim como ela, tem um grande sonho, e toma conhecimento da Lenda da Criatura da Floresta do Oito, com quem fica cara a cara.



Mariana deixou Prodélia em busca de autonomia, ela queria viver de sua arte e desenvolver seu talento como pintora, o que seria impossível se permanecesse na cidadezinha rural onde cresceu. Seus pais, embora não a incentivassem, não a impediram quando o momento chegou. O talento de Mariana era perceptível, no entanto, seria preciso coragem e determinação para seguir sozinha.

Vóia, a capital conhecida pelas inúmeras galerias e oportunidades artísticas era o seu destino. O que Mariana não imaginava era ver seus planos interrompidos de forma tão prematura. Sem recursos e longe de casa, o caminho da jovem pintora se cruza com o do misterioso Conde de Avenalhes, um homem de gosto peculiar que lhe oferece abrigo e a chance de se reerguer financeiramente.

Hospedada na suntuosa mansão do conde, Mariana é encarregada de pintar uma grande tela para o acervo de seu benfeitor. O trabalho remunerado garantirá que seu plano de seguir para Vóia seja alcançado. Porém, à medida que o Condado de Avenalhes, bem como seus moradores e lendas despertam a curiosidade de Mariana, a conclusão da tela torna-se cada dia mais lenta, o que não parece incomodar o conde, pelo contrário. Mas seriam as intenções desse bondoso homem genuínas?

Me encantei com esse livro em todos os aspectos: título, capa e uma sinopse que promete aventura, sonhos e mistério. Diferente das mocinhas ao qual estamos habituados, Mariana não precisa de um príncipe para resgatá-la, ela é corajosa, madura e conhece seu potencial. Sua felicidade não está atrelada a elogios, facilidades ou a alguém, mas em conquistar seu espaço por mérito próprio.

Outro ponto alto da história foi a forma como o autor inseriu magia na trama, tornando a obra quase um conto de fadas e revelando o lado sombrio de seus personagens aos poucos, o que rendeu uma reviravolta inesperada.

Mariana de Prodélia e o grande pássaro é uma história sobre empatia, destino, amizade, força de vontade e a capacidade de enxergar a beleza no outro, independente dos rótulos. É sobre ir atrás daquilo que acredita, sair da zona de conforto e seguir sua intuição.


27 março 2020

Resenha - Ousadas: Mulheres que só fazem o que querem



Livro: Ousadas - Mulheres que só fazem o que querem
Autor(a): Pénélope Bagieu
Editora: Nemo
Páginas: 168
Adquira: Amazon
Livro cedido através da parceria com a editora


VENCEDOR DO PRÊMIO EISNER 2019. A conclusão da série que é sucesso de público e crítica. Sonita, rapper afegã e militante no exílio; Thérèse, benfeitora de senhoras parisienses; Nellie, jornalista investigativa no século XIX; Cheryl, atleta de maratona; Phoolan, líder de bando e símbolo dos oprimidos na Índia.
Personagens da vida real, elas quebraram preconceitos. Este segundo volume traz quinze novos perfis divertidos e sensíveis de mulheres que criaram o próprio destino.



Março é o mês em quê comemoramos o dia internacional da mulher, é quando relembramos com mais afinco a importância da nossa luta contra a desigualdade entre gêneros, contra o machismo, violência e subjugação da mulher. Por isso, ter a oportunidade de ler uma obra que enaltece e trás para conhecimento do público leitor a história de mulheres que ousaram, quebraram preconceitos e paradigmas em um tempo desfavorável a eles, é enriquecedor e inspirador.⠀

Em Ousadas 2, conhecemos de forma resumida, mas totalmente didática a história de 15 mulheres a frente de seu tempo, que revolucionaram a história e o mundo por não se contentarem com as imposições de uma sociedade patriarcal que lhes oprimiam e ditavam as regras de seus destinos. Mulheres visionárias, que enxergaram além e mudaram o curso não apenas de suas vidas, mas abriram caminho para que pudéssemos ter voz, espaço e direitos.

24 março 2020

Lançamentos da Editora Intrínseca (Março/2020)



1793
, Niklas Natt Och Dag

Em seu romance de estreia, o sueco Niklas Natt och Dag cria um retrato vívido da sombria Estocolmo do final do século XVIII. Estamos no outono de 1793. Logo pela manhã, ainda de ressaca, o sentinela Mickel Cardell é alertado sobre um corpo que foi encontrado flutuando nas águas fétidas do lago da Ucharia. Os esforços para identificar o cadáver totalmente mutilado são confiados ao incorruptível advogado Cecil Winge, que pede a ajuda de Cardell para resolver o caso. O tempo, no entanto, é curto: a saúde de Winge é frágil, a situação política do país, instável e, pelas esquinas, proliferam paranoia, violência e conspirações. Winge e Cardell mergulham nas sarjetas de um mundo brutal de ladrões, mercenários e aristocratas corrompidos. De um filho de fazendeiro percorrendo um caminho traiçoeiro ao procurar fortuna na capital a uma jovem órfã enviada para uma casa de correção por um pároco impiedoso, a complexa investigação passará pelas muitas camadas de uma sociedade corrupta. Ricos e pobres, bons e maus, vivos e mortos: o cadáver retirado do lago pode comprometer e fundir todos esses mundos. Ousado e brilhante, 1793 é um noir histórico eletrizante que, a cada página, torna-se ainda mais perturbador.


               Princípios para o sucesso, Ray Dalio


Princípios para o sucesso extrai o que há de melhor do best-seller de quase 600 páginas de Ray Dalio, Princípios: Vida e Trabalho, em um formato fácil de ler e divertido, acessível a leitores de todas as idades. A obra contém os elementos essenciais dos princípios não convencionais que ajudaram Dalio — copresidente da Bridgewater Associates, a maior e mais eficaz empresa de fundos hedge da atualidade — a se tornar uma das pessoas mais bem-sucedidas do mundo.Um guia ilustrado que ensinará o leitor a estabelecer metas, aprender com os erros e colaborar com outras pessoas para produzir resultados excepcionais, além de ajudá-lo a obter sucesso e alcançar seus objetivos de vida.


A convenção das aves
, Ranson Riggs

A série O lar da srta. Peregrine para crianças peculiares é sucesso no Brasil e no mundo, tendo figurado na lista de mais vendidos e alcançado a marca de meio milhão de exemplares. Na aguardada continuação da história, vamos acompanhar os perigos que cercam o futuro do universo peculiar. Em A Convenção das Aves, novo capítulo da série criada por Ransom Riggs, a jornada de Jacob pelo perigoso e surpreendente mundo peculiar dos Estados Unidos se transforma numa corrida contra o tempo. Ao lado dos amigos, ele se envolve em uma misteriosa missão: precisa salvar a jovem Noor Pradesh e levá-la até uma mulher poderosa e enigmática conhecida apenas como V. Noor parece ser a chave de uma profecia antiga que prevê um apocalipse que destruirá tudo e todos. Em seu leito de morte, H. confessa a Jacob que ela será “uma dos sete que emanciparão os peculiares”. Mas quem são os sete? E do que — ou de quem — eles serão emancipados? Os questionamentos são muitos, mas a mensagem é clara: Salve Noor, salve os peculiares. Mais do que nunca, eles precisarão se unir, embrenhando-se por mundos desconhecidos enquanto tentam decifrar a profecia e descobrir os planos malignos dos etéreos. Enquanto isso, a srta. Peregrine e as outras ymbrynes se veem em meio a negociações de paz com os clãs norte-americanos, buscando a todo custo evitar que uma guerra seja deflagrada e que o mundo peculiar sofra as consequências irreversíveis desse conflito. Eles só não contavam que um de seus maiores inimigos talvez esteja se preparando para um retorno triunfal. E aterrorizante. Numa edição em capa dura com sobrecapa, ilustrada com as fotos mais sombrias do acervo pessoal do autor, A Convenção das Aves vai conquistar novos leitores e encantar os fãs, preparando-os para o emocionante desfecho da saga, que está cada vez mais próximo.


                                     Território Lovecraft, Matt Ruff



Nos Estados Unidos segregados da década de 1950, Atticus é um rapaz negro, veterano da Guerra da Coreia, fã de H. P. Lovecraft e outros escritores de pulp fiction. Ao descobrir que o pai desapareceu, ele volta à cidade natal para, com o tio e a amiga, partir em uma missão de resgate. Na viagem até a mansão do herdeiro da propriedade que mantinha um dos ancestrais de Atticus escravizado, o grupo enfrentará sociedades secretas, rituais sanguinolentos e o preconceito de todos os dias. Ao chegar, Atticus encontra seu pai acorrentado, mantido prisioneiro por uma confraria secreta, que orquestra um ritual cujo personagem principal é o próprio Atticus. A única esperança de salvação do jovem, no entanto, pode ser a semente de sua destruição — e de toda a sua família. E esta é apenas a primeira parada de uma jornada impressionante. Estruturado ao mesmo tempo como uma coletânea de contos e um romance, Território Lovecraft apresenta, além de personagens memoráveis, elementos sobrenaturais, como casas assombradas e portais para outras realidades, objetos enfeitiçados e livros mágicos. Um retrato caleidoscópico do racismo — o fantasma que até hoje assombra o mundo —, a obra de Matt Ruff une ficção histórica e pulp noir ao horror e à fantasia de Lovecraft para explorar os terrores da época de segregação racial nos Estados Unidos.


Terra Americana
, Jeanine Cummins

Em uma agradável vizinhança de Acapulco, um massacre. Uma chacina vitima dezesseis membros de uma mesma família, durante uma festa de quinze anos. Os únicos sobreviventes são Lydia e seu filho Luca, de oito anos. O marido de Lydia, Sebastián, foi o jornalista responsável pelo perfil jornalístico do homem que controla o cartel de drogas mais poderoso da cidade. E agora, como a maioria dos seus parentes, ele também está morto. Lydia acredita ter sua parcela de culpa. O homem gentil e erudito que passou a frequentar a livraria que ela administra não é apenas um sujeito de meia-idade interessado em literatura. É Javier, o narcotraficante que comanda o cartel. Agora, Lydia sabe que precisa fugir com seu filho para muito longe e o mais rápido possível. Instantaneamente transformados em migrantes, os dois dão início a uma longa jornada em direção aos Estados Unidos, aparentemente o único lugar que o poder de Javier não alcança. À medida que se juntam às inúmeras pessoas que tentam uma vida melhor fora do país, e enfrentam todos os obstáculos e perigos dessa viagem que deixa uma infinidade de vítimas pelo caminho, Lydia descobre que todos ali estão fugindo de algo. Repleto de suspense e impactante, Terra americana tem personagens cativantes, cujas histórias fazem refletir sobre o heroísmo e a generosidade das pessoas que arriscam tudo para ter um lugar em que possam viver com dignidade. Escolhido para o clube do livro da Oprah, o romance já teve os direitos de adaptação cinematográfica adquiridos.


           Como o cérebro cria, David Eagleman/ Anthony Brandt

O que guarda-chuvas, sinfonias, viagens espaciais, estádios de futebol, os quadros de Picasso e o calendário têm em comum? Todos foram concebidos, desenvolvidos e aperfeiçoados pelo poder da criatividade humana. Em um passeio pelas criações que tornaram o mundo o que ele é hoje, o compositor Anthony Brandt e o neurocientista David Eagleman explicam os elos entre a criatividade na arte, na ciência e na tecnologia e mostram as rotinas básicas do “software da inovação” em funcionamento. Descrevendo as ferramentas e as estratégias responsáveis pela irrefreável inventividade de nossa espécie, Como o cérebro cria oferece inúmeros exemplos de como todos os atos criativos resultam das mesmas operações cerebrais aplicadas a algo que já existia. Neste mergulho profundo na mente criativa, Eagleman e Brandt tentam responder à pergunta: O que está por trás da capacidade — e do desejo — dos seres humanos de inventar? Ao mesmo tempo uma celebração do espírito humano e um vislumbre de como podemos melhorar o futuro ao abraçarmos nossa criatividade, o livro apresenta surpresas e curiosidades, além de dicas sobre como produzir ideias de sucesso.


Coragem
, Raina Telgemeier


A jovem Raina está com um probleminha. Ela acordou com uma dor estranha na barriga. Sua mãe também, então talvez seja só uma virose. Até aí tudo bem, acontece. É só descansar. No entanto, quando Raina volta para a escola, surgem mais problemas. A tal dor causa um enjoo que não passa, e agora ela está cheia de preocupações: medo de comer, de perder as amigas, dos trabalhos da escola e de uma palavrinha em especial, um terror que começa com a letra “v”. Para completar, ela tem que lidar com a família caótica e com uma menina que vive implicando com ela, além dos colegas de turma, que só querem saber de nojeiras. Cada dia traz um novo receio para Raina. Ela só tem 10 anos, e talvez seja um pouco complicado lidar com tudo isso sozinha. Felizmente sua família percebe que há algo avassalador e paralisante tomando conta dela: a ansiedade. Então, com a ajuda dos pais e da terapeuta, Raina vai descobrir que uma dorzinha pode esconder nossos maiores medos, e que é preciso coragem para dominá-los. Em Coragem, a premiada cartunista Raina Telgemeier traça, com base em suas experiências, os desafios de crescer. Em uma edição belamente ilustrada e colorida, o livro explora todo o desconforto do amadurecimento e mostra como o medo e a ansiedade afetaram a infância da autora.

18 março 2020

Resenha - Cinder, Marissa Meyer


Livro: Cinder (Crônicas Lunares #1)
Autor(a): Marissa Meyer
Editora: Rocco
Páginas: 448
Adquira: Amazon


Num mundo dividido entre humanos e ciborgues, Cinder é uma cidadã de segunda classe. Com um passado misterioso, esta princesa criada como gata borralheira vive humilhada pela sua madrasta e é considerada culpada pela doença de sua meia-irmã. Mas quando seu caminho se cruza com o do charmoso príncipe Kai, ela acaba se vendo no meio de uma batalha intergaláctica, e de um romance proibido, neste misto de conto de fadas com ficção distópica.Primeiro volume da série Crônicas Lunares, Cinder une elementos clássicos e ação eletrizante, num universo futurístico primorosamente construído.



Em um mundo futurístico divido entre humanos e ciborgues, Cinder é considerada uma cidadã de segunda classe. Metade humana e metade ciborgue, a garota foi adotada por um cientista que faleceu sem deixar respostas. Seu passado é um mistério e sua atual realidade consiste em se desdobrar entre o trabalho como mecânica e suprir as necessidades da madrasta e de suas meias-irmãs. Mas por mais que se esforce, as humilhações dentro e fora de casa são constantes. O que só piora quando sua meia-irmã é infectada por um vírus mortal e Cinder é considerada culpada.

Mais que Livros - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥