17 novembro 2017

Resenha - Meus Dias Com Você, Clare Swatman


Livro: Meus Dias Com Você
Autor(a): Clare Swatman
Editora: Arqueiro
Páginas: 288
Adquira: Submarino | Amazon
Livro cedido através da parceria com a editora
Quando o marido de Zoe morre, o mundo dela desaba. Mas e se fosse possível tê-lo de volta?
Numa fatídica manhã, Ed e Zoe têm uma discussão terrível, algo recorrente no seu casamento em crise, e ela acaba se despedindo de forma brusca quando ele sai para o trabalho.
Pouco tempo depois, um ônibus acerta a bicicleta de Ed, matando-o e deixando Zoe arrasada por não ter lhe dito quanto o amava. Se tivessem ficado mais um pouco juntos aquela manhã, ele ainda estaria vivo? Será que poderiam ter reconstruído o amor que os unira? Após dois meses, Zoe ainda não conseguiu se conformar. De luto, decide cuidar do jardim do marido, quando acaba caindo e desmaiando. Então, algo estranho acontece: ao acordar, ela está em 1993, no dia em que conheceu Ed na faculdade. A partir desse instante, Zoe passa a reviver momentos cruciais de sua vida e percebe que talvez tenha conseguido uma segunda chance: uma oportunidade de fazer tudo diferente, de focar naquilo que realmente importa, de mudar os rumos do relacionamento – e, quem sabe, o destino de seu grande amor.


Zoe conheceu Edward na faculdade, e embora seu primeiro contato com o rapaz não tenha lhe despertado interesse amoroso, com o tempo seu sentimento começou a mudar. Ed por sua vez não queria se prender a um namoro sério, e embora também nutrisse sentimentos por Zoe, o rapaz optou por curtir a vida badalada da juventude na faculdade e deixar adormecido o que seu coração sentia.

Anos depois, Ed reencontra Zoe e decide reacender o que sentia pela moça na adolescência. Eles namoram, se casam e decidem dar um passo maior como casal, eles serão pais. Tudo deveria ser muito simples, mas a infertilidade de Zoe não estava nos planos. Com dificuldade para aumentar a família por métodos tradicionais, ambos se entregam a um processo doloroso de fertilização, sofrendo a cada resultado negativo e se afastando quando as coisas começam a ficar ainda mais difíceis.

Com o tempo e a dificuldade de alcançar o objetivo de tornarem-se pais, Ed e Zoe já não se reconhecem como casal e não se apoiam como deveria acontecer, pelo contrário, encontramos um casal cada vez mais distante e uma relação cada vez mais fragilizada pela falta de maturidade, compreensão e companheirismo. A Jornada para enfrentar os obstáculos para engravidar acaba por torna-los amargurados, tristes e infelizes, incapacitando-os de seguir adiante e de se abrir com a família e amigos.

Após muitas separações seguidas de reconciliação, ambos já não conseguem manter um bom relacionamento dentro de casa, o mau humor faz parte do dia a dia e a intolerância relacionada a hábitos simples está cada vez mais presente, a ponto de não se falarem antes de sair para enfrentar mais um dia de trabalho. E é em um dia desses, onde os dois apenas toleram a presença um do outro antes de ir trabalhar que Zoe recebe a pior notícia de sua vida. Ed está morto, e ela nem teve a chance de dizer o quanto o amava e precisava tê-lo em sua vida.

- Nesses últimos quinze anos, Ed foi sempre o meu mundo. Ele era tudo para mim, e a verdade é que a simples ideia de continuar vivendo sem a presença  dele é como atravessar um imenso deserto sem nenhum sinal de água. Sinto que minha vida agora existe apenas pela metade, e ele mal acabou de partir. Sei que todos dizem que o tempo cura, mas não sei se quero que isso aconteça. Não quero que a lembrança dele, de tudo que vivemos desapareça. 

Enterrada em uma depressão após a morte do marido, Zoe não consegue encontrar motivos para seguir em frente, até mesmo olhar para o jardim que Ed cultivava com tanto carinho lhe dói o coração. Decidida a destruir as flores e lembranças que ali crescia e dessa forma aplacar parte de sua angústia, ela direciona toda a sua dor no processo de arrancar flores e galhos do jardim com toda a sua força. Cega com toda a situação, Zoe escorrega e bate a cabeça em um vaso de planta que a faz desmaiar, mas quando ela acorda algo inesperado acontece, ela está de volta ao seu quarto de faculdade, no exato dia em que conheceria Ed. Será que ela voltou ao passado? E se voltou, seria possível concertar seu relacionamento e mudar a sorte do seu amado? Só lendo para saber.

Quando a Editora Arqueiro anunciou o lançamento de Meus dias com você, a sinopse e capa me chamaram a atenção imediatamente. De certa forma eu até imaginava o que essa leitura me reservava, porém nunca pensei que doeria tanto acompanhar o sofrimento e jornada de Zoe enquanto ela tentava fazer pequenas mudanças no passado com a esperança de impedir a morte de Ed.

Me apaixonei por esse casal e sofri quando o fardo que carregavam acabou por torna-se tão pesado a ponto de destruí-los profundamente. Zoe e Ed tinham um sonho em comum, e a frustação por não conseguir alcançar algo que tanto desejavam os impediu de enxergar o que já tinham construído juntos. Infelizmente isso é um caso bem real e pode acontecer com qualquer casal.

O livro é narrado em primeira pessoa pelo ponto de vista de Zoe e já somos introduzidos ao seu sofrimento pela perda de Ed nas primeiras páginas. A partir daí o leitor é apresentado ao passado do casal e a cada data importante que passaram juntos. Achei essa forma da autora contar a história bem interessante, pois somos capazes de compreender a relação de Ed e Zoe desde o primeiro momento e pesar a relevância que cada decisão e situação tiveram durante o tempo que namoraram, casaram e decidiram ter um filho.

Em suma, Meus dias com você é uma história linda e angustiante que nos faz refletir sobre as dificuldades da vida e o quanto nos permitimos que elas nos definam. Leiam.


- - - - -
Postagem válida para o TOP COMENTARISTA, Participe!
Valendo um exemplar de Dear Heart, eu odeio você!.


5 comentários

  1. Acabei de ir ali na estante achar este livro. Ando lendo pouco demais e minha fila de livros acumulados anda bem grande. Depois de ler esta resenha, com certeza, esta será uma das minhas próximas leituras!!!
    Adoro enredos assim, que trazem não somente a dor, mas também o mostrar como sair de "buracos" onde a gente nem consegue se imaginar!
    Lerei com certeza e pra logo!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Ahh amei :D

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu estou doida pra ler esse livro. Ele tambem chamou a minha atenção desde o lançamento, e já até comprei ele, estou só esperando chegar.
    No começo, eu não achei que o livro fosse tão bom assim, mas pelo jeito estava bem enganada. Essa história parece ser bem triste e bem profunda, e estou vendo que vou chorar bastante com o livro.
    Também achei essa forma da autora contar a história bem diferente, e estou curiosa pra ver como ficou.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Eu já li tantas resenhas desse livro que sempre que leio me deixa mas com vontade de ler ele. A história é muito envolvente, muito fofo. Mostra uma forma de valoriza a pessoa que está ao nosso lado e isso é incrível. Estou super ansiosa por comprar e ler!

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  5. Gláucia!
    Imagino por tudo que Zoe passou com a perda do marido e que tente de alguma forma tentar mudar o passado, mas é bem improvável que aconteça.
    Acho importante livros que trazem uma forma de nos mostrar que devemos sempre expressar nossos sentimentos a qualquer oportunidade, porque ninguém sabe o que está por vir...
    Reflexão é sempre boa de ser feita em nossas vidas.
    Gostei!
    Que dezembro seja repleto de realizações e o final de semana cheio de luz e paz!
    “Dentre os mais dignos predicados de um homem está o de saber dizer a verdade.” (Renato Kehl)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA dezembro 3 livros + 2 Kits papelaria, 4 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir


Mais que Livros - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥